Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia e Tarot: A Assinatura da Alma

by Eva Veigas

Numerologia e Tarot: A Assinatura da Alma

by Eva Veigas

21
Abr18

Numerologia Abril 2018

Eva Veigas

Venus1.jpg

 Imagem: O Nascimento de Vénus  de Sandro Botticelli

 

Numerologia Abril 2018

 

Regente Numerológico – 15:6

 

Dados numerológicos do mês:

- Vibração Universal do ano 2018: 11:2

- Abril: 4º mês do ano

- Vibração Universal de Abril 2018: 15:6

 

 

“Aqueles que dão têm tudo: aqueles que guardam para si não têm nada.”

Provérbio Hindu

 

 

Este mês teve início num dia dedicado ao Sol – Domingo, o que auspicia um período rico em tomadas de consciência, rico em “pequenas iluminações” ou pelo menos assim se poderia esperar.

 

O Sol é sinónimo de consciência, de iluminação. É ele que ilumina as partes mais escondidas, mais sombrias da nossa alma e ao fazê-lo expõe as nossas feridas mais enterradas, mais ocultas – aquelas que ninguém quer ver, muito menos abordar, tocar, falar delas ou, no mínimo, identifica-las como suas.

 

Mas Abril proporcionará espaço para entrar em contacto com essas partes frias, congeladas pelo tempo e pela nossa negligência. É claro que é apenas o medo, que faz com que congelemos essas emoções, ou a expressão das mesmas. O medo de um dia termos de aceitar que essas partes escuras e feias fazem parte deste todo que é o ser em humanização (estamos a aprender a ser humanos)!

 

No dia em que formos humanos, deixaremos de precisar de viver estas lições, estas aprendizagens e seguiremos para a nossa evolução por outros caminhos, outras aprendizagens com novos conteúdos, novos desafios, em novas paragens.

 

Por agora, tratemos dos assuntos terrenos de modo a facilitar o acesso ao caminho do Espírito na Terra.

 

Este Número 6, como todos sabem, é um Número que está rotulado, por assim dizer, por Número do Lar, da Família e do Casamento ou da União de dois seres em amor.

 

Pode parecer à primeira vista que os temas do 6 e do Sol não estão relacionados, mas nada poderia estar mais longe da realidade.

 

É através das relações, dos relacionamentos entre os humanos que ganhamos consciência da maior parte (se não totalmente) das feridas que carregamos na alma há incontáveis eras. Sem elas (as relações) não teríamos possibilidade de nos revermos ou espelharmos nos outros e sem essa possibilidade não teríamos oportunidade de nos conhecermos um pouco mais todos os dias.

 

Sem o auto conhecimento não há progresso e sem progresso não há evolução, nem crescimento interno.

 

Assim, este mês regido pelo Número 6 coloca em evidência o estado em que nos encontramos relativamente aos nossos relacionamentos em geral, e ao relacionamento amoroso, em particular.

 

O 6 questiona-nos acerca do nosso papel no nosso próprio relacionamento, do nosso papel no seio familiar:

 

Quem sou eu enquanto mulher/marido, namorado(a), amante?

Quem é o outro e que papel tem na minha vida?

Aceito o meu papel e honro-o, cumprindo-o? Aceito o papel do outro e honro-o?

Que feridas estão ocultas por baixo do manto de fingimento que optei por envergar?

Porque é que não dispo este manto e encaro de uma vez as minhas dificuldades?

Porque é que o meu coração se fecha ou se abre demasiado?

De onde vem o medo de encarar a responsabilidade sobre a minha própria vida e sobre as minhas escolhas e decisões.

Porque receio encarar o passado?

Porque faço tanta questão de enterrar bem fundo as minhas emoções?

 

Este é o momento de olhar bem de frente os nossos demónios, os nossos fantasmas, os nossos medos e de os trazer à luz, para que possam ser vistos e observados por nós mesmos, com toda a segurança e com toda a firmeza.

 

Se não te sentes capaz de o fazer sozinho(a), procura ajuda de um profissional, para te guiar nos primeiros passos, até que tenhas adquirido a capacidade de o fazeres sem bengalas.

 

 

Mantra do mês: Consciência gera consciência.

 

 

Eva Veigas

01
Mar18

Numerologia Março 2018

Eva Veigas

 

porta2.jpg

 

 

Regente Numerológico – 14:5

 

 

Dados numerológicos do mês:

- Vibração Universal do ano 2018: 11:2

- Março: 3º mês do ano

- Vibração Universal de Março 2018: 14:5

 

 

"Querer ser livre é também querer livres os outros."

Simone de Beauvoir

 

 

O mês inicia-se novamente numa quinta-feira, tal como o mês passado, pelo que se mantém o tema de Júpiter, que governa o signo de Sagitário e que rege a abundância, o prestígio social e o dinheiro, estando associado à fé, à confiança, ao desenvolvimento e à expansão em diferentes áreas da nossa vida.

 

Assim, temos durante este mês dois períodos especiais e distintos em que estas forças se conjugam e nos revelam importantes lições acerca destes temas. São eles, o período de 8 a 14 e de 22 a 31 de Março.

 

Depois da desafiante e transformadora proposta do mês anterior surge agora Março com nova e vibrante energia sob a forte regência do Número 5.

 

O Número 5 é o Senhor da Mestria e da Liberdade Interior, regido pelo Fogo e pelas suas Salamandras, que queimam tudo o que de nós se foi desprendendo ao longo da transformação a que fomos sujeitos em Fevereiro.

 

Foi muito intensa e dura a prova, mas chegámos inteiros. Talvez ainda não o sintamos na totalidade, mas estamos mais fortes e mais preparados hoje do que ontem. Esta preparação foi absolutamente necessária pois os desafios não terminam, apenas dão lugar a outros.

 

Haverá maior desafio do que alcançar a liberdade interior? Haverá maior desafio, no momento em que nos encontramos, do que nos propormos adquirir um nível de mestria pessoal que nos remeta para um patamar onde deixemos de estar dependentes dos outros a todos os níveis?

 

A compreensão do verdadeiro significado do que está por trás desta “meta” pouco importa agora. O que importa considerar é em que nível de dependência nos encontramos e o que podemos fazer em relação a isso.

 

5 é desprender, é desvincular, é deixar de resistir, é largar, é deixar ir, mas… atenção, este 5 é uma redução de 14, portanto este deixar ir, não é bater com a porta e virar as costas a uma qualquer contrariedade. Não é largar tudo por causa de uma birra. É largar em total consciência, com a compreensão de que é preciso largar para crescer. Se for uma relação é preciso compreender que ambos precisam de crescer e o que pesa é o crescimento e não o ir ou ficar.

 

Por exemplo, por vezes é preciso ficar numa relação para que ambos cresçam, mas isso exigirá que um, ou ambos, largue(m), deixe(m) ir, se desvincule(m) de determinados comportamentos, exigências ou atitudes. Outras vezes, é melhor sair da relação para dar espaço a que as raízes de ambos possam crescer e tornar-se mais fortes. Que esse largar nunca seja feito sob uma energia de vingança, ódio, raiva ou zanga. O mesmo se aplica no trabalho, na amizade, etc.

 

O 14 é um Número que ajuda o indivíduo a organizar-se melhor, a ajustar-se a um novo padrão ou modelo de comportamento, que se espera, seja o próprio a criar. Sempre que seguimos os padrões e os ritmos dos outros ficamos reféns dessas energias e voltamos à dependência, à fé cega e à obstinação.

 

Deixemos de ser Velhos do Restelo e tornemo-nos mais refinados, mais abertos ao novo, ao estranho, ao desconhecido. Deixemos de lado a desconfiança, baixemos a guarda e as espadas, pois as espadas só devem ser levantadas para defender a Vida e a Verdade.

 

A Liberdade pode e deve ser alcançada, mas há um longo caminho a percorrer. Desengane-se quem pensa que a irá atingir numa só vida. Estamos a dar pequenos passos nesse sentido, e muitas vezes, quando olhamos para a nossa própria vida e em nosso redor, constatamos que a Liberdade continua a ser posta em causa. Vemos liberdades, direitos e garantias serem violados a cada momento e até o direito à vida continua a ser-nos muitas (demasiadas) vezes sonegado.

 

Lutamos pela Liberdade, mas não sabemos ainda fazê-lo da melhor forma. Grupos de pessoas lutam por uma liberdade que parece cada vez mais longínqua. Luta-se pela Liberdade com armas em vez de Amor, porque a linguagem do Amor não é aceite, é incompreendida, como sempre foi e será ainda durante muito tempo. Mas é no Amor que reside a semente da concórdia, que um dia nos permitirá viver essa Liberdade, senti-la, experimentá-la. Até lá estamos sujeitos a uma série de Leis Universais, entre elas, a Lei do Retorno, à qual ninguém escapa.

 

O que podemos fazer? Podemos aprender e aplicar a Lei da Temperança (do lat. temperare – temperar), aprendendo a dosear o sal com que temperamos ou não a nossa vida. Se formos exagerados, tanto por excesso como por defeito, tornaremos a nossa vida salgada ou insossa demais. Há que aprender a gerir “o 8 e o 80” e escolher o caminho do meio, pois esse, é o que mais se aproximará da Liberdade e da Mestria internas.

 

Ser Mestre interno é conhecer a fundo cada uma das nossas faculdades, das nossas capacidades, cada um dos nossos limites. É saber quando falar e quando silenciar. É saber respeitar a nós mesmos e aos outros. É saber onde termina a nossa liberdade e começa a do outro.

 

Mantra do mês: Ao encontro do desconhecido em mim.

 

 

Regentes das semanas de Março

 

Número 5 – De 1 a 7 de Março

- Dia 2 – Lua Cheia

 

Esta é a segunda semana numerológica do ano sob a regência do Número 5. A primeira aconteceu entre os dias 8 a 14 de Janeiro, embora com contornos um pouco diferentes, devido aos Números compostos que deram origem ao 5.

Uma semana 5 remete-nos sempre para um período onde podemos fazer uma espécie de balanço do momento em que nos encontramos, tendo em conta o caminho percorrido até aqui e aquele para onde nos estamos a dirigir. É um tempo de reposicionamento. Há muitas mudanças no ar e a energia que transita durante este período a par com a regência do mês, mostra-nos a importância dessas mesmas mudanças.

A Lua Cheia abre praticamente este momento, pois acontece logo no dia 2 e a sua influência prolonga-se até ao meio deste período, ou seja, até ao dia 4 sensivelmente. É tempo de expansão e de ganho de compreensão/luz sobre o momento presente.

O que precisa de ser visto? O que está a ser iluminado desde dentro? Que consciência é esta que vai ganhando forma? O que posso fazer com isto? Que mudança me está a ser pedida? Que caminho estou eu a percorrer? É mesmo isto que eu preciso?

 

Mantra da semana: Permito-me balançar para ganhar equilíbrio.

 

 

Número 7 – De 8 a 14 de Março

- Dia 8 - Dia sob a regência do Número Mestre 22

- Dia 9 – Lua Minguante

 

Primeira semana do ano sob a influência do Número 7, o Senhor do Ar, que nos vem pedir silêncio. É preciso serenar a mente, depois da agitação da semana anterior. Ter em conta também que o mês é marcadamente agitado e possivelmente caótico, pois antes que tudo se reorganize instala-se a confusão e o aparente caos.

O 7 ajuda-nos a afastar um pouco do alvoroço, da inquietação, do nervosismo e da ansiedade por eles causada, permitindo alguns momentos de sossego, de modo a recuperar a serenidade e a calma necessárias ao reequilíbrio interno.

É um bom momento para meditar, refletir, repensar, recolhermo-nos e prepararmo-nos para receber e escutar a nossa intuição, que estará mais afinada do que é habitual. A Lua, na sua fase minguante acompanha-nos e ajuda-nos a permanecer numa certa quietude interna, mesmo que fora de nós tudo pareça demasiado avassalador.

Mantra da semana: Eu Sou Silêncio.

 

 

Número 3 – De 15 a 21 de Março

- Dia 17 - Dia sob a regência do Número Mestre 22

- Dia 17 – Lua Escura (Lua Nova)

 

De assinalar que o dia 17 que é regido pela forte vibração do Número Mestre 22 é também o dia que assinala a entrada da fase da Lua Escura, mostrando assim a importância deste dia e deste período em particular.

A Lua Escura envolve-nos durante este período, cujo regente é 3, um 3 muito interessante pois é redução de 39, um Número secundário que promove a amplificação do Amor em nós, o qual se derrama para fora de nós, através da alegria, da espontaneidade e da capacidade de expressarmos com leveza o que esta dentro de nós.

A alegria é algo que muitas pessoas se queixam de ter perdido. Mas será que algum dia a sentiram verdadeiramente? Quem é genuinamente alegre, jamais perderá a alegria. Portanto, aqueles que a buscam, provavelmente nunca a experimentaram.

Aproveitem este momento para se encontrarem com ela e compreenderem que ser ou estar alegre não é uma coisa mundana, não vos chega por causa de um momento engraçado ou de alguma anedota divertida. Alegria não deve ser confundia com diversão passageira, “risota” ou tolices. Essas coisas são o que são e valem o que valem.

Alegria é um estado natural. É um estado de espírito que nos devolve um estado de amor e de paz, de abundância e de gratidão por tudo o que é.

 

Mantra da semana: Eu Sou o Caminho da Alegria de Ser.

 

 

Número 8 – De 22 a 31 de Março

- Dia 24 – Lua Crescente

- Dia 26 - Dia sob a regência do Número Mestre 22

- Dia 31 – Lua Cheia

 

Este último período de Março é muito rico em possibilidades e vivências, já que o Número 8 é ele mesmo um Número que representa abundância, progresso, amplificação e expansão de toda e qualquer experiência que se nos apresente. É tempo de colheita e de receber. É tempo de abrir os braços à experiência e abraçar tudo o que nos envolve.   

A Lua vai crescer a partir do dia 24 e portanto iremos saindo do período de escuridão, do encontro connosco, onde, supostamente mergulhámos em silêncios profundos, remexendo tenaz, mas alegremente, no fundo da nossa alma em busca de visão e clarificação (no escuro vê-se bastante melhor!).

Nós cresceremos com a Lua, aumentando o nosso poder de mudar e transformar o que precisamos, sempre numa tentativa de melhorar e aprimorar as nossas qualidades e limar as nossas arestas.

No último dia do mês a Lua Cheia iluminará de novo os nossos rostos e os nossos corpos; é tempo de colheita, que será, como sempre, farta para uns e fraca para outros, de acordo com o mérito e com o que cada um plantou.

É com esses frutos que nos nutriremos no mês seguinte.

 

Mantra da semana: Eu Sou o Progresso em acção.

 

 

Eva Vilela Veigas

 

31
Jan18

Numerologia Fevereiro 2018

Eva Veigas

fevereiro 18.jpg

 

Regente Numerológico – 13:4


Dados numerológicos do mês:
- Vibração Universal do ano 2018: 11:2
- Fevereiro: 2º mês do ano
- Vibração Universal de Fevereiro 2018: 13:4


“Há três maneiras de estar na vida: esperando que aconteça, vendo acontecer, provocando o acontecimento.”

José Medeiros 

Com apenas 28 dias, Fevereiro traz-nos diversas oportunidades (pelo menos 28) de crescimento e de preparação para muitas mudanças que estão a ocorrer mesmo debaixo dos nossos pés. Mesmo que não tenhamos consciência disto, elas estão a acontecer: preparando o caminho à medida que vai criando as condições ideais para que o novo possa surgir.

Os cenários onde a nossa vida acontece, os problemas e os afazeres quotidianos, tornam-nos muitas vezes insensíveis a tudo o que sucede internamente, pois existem mil e uma distrações que nos levam por mil e uma estradas ou direções diferentes, mas que na maioria das vezes não nos levam a lado nenhum, senão aos lugares de sempre: os lugares de conforto, os lugares conhecidos, as pessoas e as situações conhecidas, etc.
O mês inicia-se numa quinta-feira, dia governado por Júpiter, e que, por sua vez, governa o signo de Sagitário. Júpiter rege a abundância, o prestígio social e o dinheiro. Está associado à fé, à confiança, ao desenvolvimento e à expansão.

Mas de que forma é que tudo isto se interliga?

Fevereiro traz uma proposta de transformação, pois o seu regente numerológico é 13. O Número 13 é o agente transformador e aquele que possibilita que a transformação aconteça. A transformação das crenças e das inverdades que a nossa mente lógica e dedutiva nos devolve, relativamente aos aspectos governados por Júpiter, os quais se encontram abundantemente configurados e sintonizados com os temas principais de 2018. 

A transformação de que se fala aqui é inevitável, pois tudo tem um fim. É desta forma que a natureza se regenera e que tudo recomeça. Para que haja renascimento a morte tem de acontecer. Para que o novo surja é necessário deixar ir o velho, o obsoleto, o imprestável e o inútil.

Se determinada crença, ou vivência (relativa à abundância, ao dinheiro, à fé, etc.) a que estamos agarrados, está a dar sinal para que a larguemos, é inútil continuar a batalhar para a segurar, pois mais cedo ou mais tarde, por nossa própria iniciativa ou por via do processo natural de nascimento, crescimento e morte, ela mesma se desprenderá, deixando no seu lugar um espaço vazio para que o novo se manifeste.

Todavia há que encarar este processo de uma forma muito natural, pois na realidade trata-se apenas de uma passagem entre dois aspectos da mesma realidade.

A nossa dificuldade reside precisamente na não-aceitação daquele vazio, na incapacidade de compreender o quanto esse vazio é necessário, para nos podermos mover nas nossas sombras, ao encontro de uma paz, de uma rendição, de um encanto natural pela própria manifestação da Vida
A morte de algo, o fim de algo, levará, sem sombra de dúvida, ao nascimento ou renascimento de outra forma, coisa, situação, etc., e neste aspecto podemos ver a relação directa entre este Número e o 13º Arcano Maior do Tarot - A Morte.

Observemos a natureza e veremos como todo este processo se desenrola naturalmente, e depois observemos a nossa própria natureza e condição humanas e constatemos o quão difícil é para nós aceitar esta lei da vida.

É este trabalho que está em causa durante este mês, embora, como é óbvio este seja o trabalho de uma vida (ou de várias). A questão está em que durante este mês, o Número que rege este trânsito nos garante a oportunidade de aprofundar este tema e de nos armar com as ferramentas necessárias, para podermos trazer mais consciência desta situação a nós mesmos.

Encaramos a morte (em todas as suas dimensões) como um fim em si mesmo e criamos toda a espécie de apegos, crenças, medos, ilusões, afirmações inconsequentes, aos quais nos agarramos com medo de perder, medo de de ficar só, medo de não ser capaz de recomeçar do zero, enquanto a vida nos mostra exactamente o contrário. A vida, a natureza, mostra-nos a sua força, a força dos seus Elementos em acção, restaurando e resgatando o velho para fazer acontecer o novo.

Dessa forma, afinal o que precisamos de ver e compreender? 

Que na verdade, falamos muito, mas não confiamos no próprio processo Vida. A Vida acontece sem a nossa permissão. 

Porque haveria de ser diferente com a morte ou o fim de algo?

Este é um tempo de deixar ir o velho, as crenças que ainda permanecem e nos impedem de ver a verdade por detrás dos panos, dos véus ilusórios, da malha inebriante que nos separa de nós mesmos, do amor que tudo agrega, que tudo ampara, que tudo acolhe e que depois se derrama, iluminando tudo e todos.

Mantra do mês: Renasço da minha própria morte.


Regentes das semanas de Fevereiro

Número 4 – De 1 a 7 de Fevereiro
- Dia 7 – Lua Minguante

A influência do Número 4 que vem influenciando os acontecimentos desde o passado dia 22 de Janeiro, sofre uma alteração, com a entrada num novo mês e numa nova vibração. Assim, durante este período, o foco (4) dirige-nos para a necessidade de entrar em profundo contacto com o nosso curador interno, com o nosso mestre interno, que está aguardando amorosa mas firmemente pela nossa decisão de ir ao seu encontro.

É preciso fazer silêncio dentro, através de alguma prática, como por exemplo, a meditação, a contemplação, a vibração do som do tambor, etc.

É perfeitamente possível conseguir aceder a este espaço onde poderemos ficar frente a frente com o nosso curador. Ele nos guiará pela mão, colocando-nos no caminho da realização, da compreensão, da simplicidade, da humildade, da transformação de dentro para fora.

Mantra da semana: Ao encontro do Mestre Interno.


Número 6 – De 8 a 14 de Fevereiro

- Dia 9 – Dia sob a regência do Número Mestre 22

A influência do Número 6, durante este período, abre as suas portas para que possamos ver além desta realidade, além do sofrimento, além dos muros e das barreiras que se erguem imponentes à nossa volta. 

O 6 é um caminho que nos leva à descoberta do Amor, através da família, do casamento, das uniões sagradas (que geralmente são as mais difíceis de aceitar e compreender). 
Se soubermos compreender as lições escondidas em cada relação, o tesouro que jaz submerso no fundo do oceano de experiências vividas e repetidas, nos fará crescer e amadurecer.

Mantra da semana: Que o Amor seja em mim a cada momento.


Número 1 – De 15 a 21 de Janeiro

- Dia 15 – Lua Escura (Lua Nova)
- Dia 18 – Dia sob a regência do Número Mestre 22

Sob o manto e a protecção da Lua Escura, o Número 1 assinala o momento em que a transformação pedida pelo Número 13, o regente numerológico do mês, terá início.
É um momento de retorno, de regresso à gruta ou à caverna escura. Aqui é possível permanecer diante de nós mesmos, desnudados, mas conscientes do caminho que estamos a percorrer, do caminho que somos, ou, por outro lado, o momento que nos devolve a consciência e a certeza de que algures lá atrás nos perdemos de nós, saímos do trilho e andámos à deriva. 

Portanto, é hora de regressar, mais fortalecidos do que antes, mais firmes nas nossas decisões, mais amadurecidos do ponto de vista da experiência, aptos para iniciar um processo de síntese das vivências que nos trouxeram até aqui.
Mantra da semana: Tocando a vida com consciência.


Número 6 – De 22 a 28 de Fevereiro

- Dia 23 – Lua Crescente
- Dia 27 – Dia sob a regência do Número Mestre 22

A influência do Número 6, durante este período, aponta um caminho de mudança em direcção à libertação de tudo o que nos prende e amarra à vida e à consequente incapacidade de nos desprendermos dessas amarras, dessas correntes pesadas e rígidas.

É tempo de ganhar consciência dessas prisões, dessas grades de ferro que nos separam do mundo, dos outros e de nós mesmos. É tempo de usar e dar permissão ao nosso Fogo interno para que ele destrua e incendeie esse ferro, tornando-o incandescente, ao ponto de o transmutar na totalidade, devolvendo-nos a possibilidade de nos libertar do cativeiro em que temos permanecido por nossa própria deliberação.

Que no fim sobrem apenas cinzas!

Este período conduz-nos ao mês seguinte regido pelo Número 14:5, fazendo a transição entre o que é imperativo transmutar e a preparação necessária para que assim aconteça.

Mantra da semana: Eu Sou a Chama da minha própria Liberdade.

Eva Vilela Veigas

03
Jan18

Numerologia Janeiro 2018

Eva Veigas

Foto de Eva Vilela Veigas.

 

Regente Numerológico – 12:3

 

Dados numerológicos do mês:

- Vibração Universal do ano 2018: 11:2

- Janeiro: 1º mês do ano

- Vibração Universal de Janeiro 2018: 12:3

 

 

Iniciamos este ano, e este mês em particular, sob uma forte influência lunar, não só por causa da Lua Cheia do dia 1, mas também porque o ano começou numa segunda-feira, um dia consagrado à Lua desde tempos imemoriais.

 

A Lua está associada aos ciclos da vida: à fertilidade, à gestação, ao nascimento, ao crescimento, à transitoriedade, e à morte, por esse motivo é impossível dissocia-la do nosso complexo processo emocional, estando ainda relacionada com o inconsciente, com os processos que ocorrem na sombra e com tudo o que é transitório, oculto ou invisível.

 

A Lua Cheia, plena, atingiu o seu auge, o que permite iluminar partes desse inconsciente quer a nível coletivo quer a nível individual.

 

É tempo de dar mais um passo no caminho, com mais consciência, mais clareza e maior discernimento acerca de tudo o que estivermos a experienciar neste momento.

 

O 12 representa uma etapa preciosa em que podemos observar quer o nosso mundo interior quer o nosso mundo exterior a partir do ponto mais sagrado em nós, mais puro e mais genial – a Câmara Secreta do nosso Coração Luminoso -, pois este é um processo que exige muita criatividade, imaginação e capacidade de expressar os nossos sentimentos e emoções mais profundas, com o fim de nos libertarmos da toxicidade resultante das mais pesadas e duras experiências vividas nesta existência.

 

As experiências dolorosas deixam, devido ao trauma vivido, marcas profundas que com o passar do tempo nos vão envenenando o espírito caso não façamos a devida purificação interna. Morrer para o passado é a tarefa mais complicada para o ser humano, porém a mais necessária e importante. Funciona como uma peneira que liberta todo o excesso, todo o peso, toda a dor, deixando apenas o amor contido em cada aprendizagem.

 

O 12 é um tempo de paragem, mas não de uma paragem forçada ou imposta por algo ou alguém. Devemos ser nós a parar para observar, para sentir, para tocar essas partes de nós que estão insensíveis, inanimadas, mortas para o mundo, incapazes de cocriar a mais pequena solução para os nossos problemas e desafios diários, partes de nós que estão frias, magoadas, infelizes, tristes, revoltadas, zangadas, iradas, devido aos traumas experimentados.

 

É preciso tocar-lhes mas em amor, com muito cuidado, com muita cautela, ou essas partes de nós ainda se tornarão mais distantes, mais frias e escorregadias. É preciso saber fazer, usando a nossa inteligência emocional, o nosso discernimento. Fazer tudo com serenidade e calma, criando um ambiente pacífico e amoroso para que a cura e o perdão possam acontecer, harmonizando em nós todos os aspetos opostos, isto é, transformando a oposição em complementaridade.

 

Para usufruir em pleno das energias exortadas pelos Números de Janeiro, podemos aconchegar-nos na essência deste mês que é regida pelo Número 20 e que traz consigo uma energia renovada, que possibilita a restauração e a recuperação do que em nós se encontra desgastado e esgotado.

 

Aproveite ao máximo para repor as suas energias, para descansar e para respirar ar puro. Tente obter equilíbrio entre o número de horas que dedica ao trabalho, ao descanso e ao lazer. O seu corpo e o seu espírito agradecem.

 

Mantra do mês: Reinvento-me a cada momento.

 

 

Regentes das semanas de Janeiro

 

 

Número 3 – De 1 a 7 Janeiro

 

 

- Dia 1 – Lua Cheia – Super Lua

 

- A influência do Número 3 será muito intensa, e far-se-á notar por um excesso de euforia, uma imensa vontade de colocar mil e um projetos em prática e uma tendência forte para nos precipitarmos e nos atirarmos de cabeça à primeira oportunidade que nos apareça.

 

Importa observar tudo com calma e avaliar cada situação cuidadosamente pois a falta de foco e a vontade de querer experimentar muitas coisas novas e diferentes, ao mesmo tempo, é muito apelativa sob a influência destas frequências numerológicas.

 

Mantra da semana: Encontro-me com a Deusa a cada inspiração.

 

 

Número 5 – De 8 a 14 de Janeiro

 

- Dia 8 – Lua Minguante

 

- A influência do Número 5 estará muito forte e será bem favorável para quem estiver envolvido em projetos criativos que proporcionem um estímulo e uma renovação na vida de outras pessoas.

 

A dificuldade pode estar numa tentativa em se esforçar demasiado para corresponder às suas próprias expectativas ou às dos outros.

 

Mantra da semana: Sou o Amor em ação.

 

 

Número 8 – De 15 a 21 de Janeiro

 

- Dia 17 – Lua Escura

 

- Dia 19 – Dia sob a regência do Número Mestre 22

 

- A influência do Número 8 marca este período, trazendo infinitas possibilidades para aumentar o conhecimento em qualquer área que queiramos ou precisemos. Esta informação serve tanto a nível pessoal como a nível profissional. É preciso estar atento e não deixar escapar nenhuma boa oportunidade que possa alterar a nossa vida de um momento para o outro.

 

- A dificuldade pode estar no medo de estar à altura do desafio ou de ser merecedor de êxitos e sucessos em qualquer área da nossa vida.

 

Mantra da semana: Mereço viver experiências positivas que reflitam a minha essência.

 

 

Número 4 – De 22 a 31 de Janeiro

 

- Dia 24 – Lua Crescente

 

- Dia 28 – Dia sob a regência do Número Mestre 22

 

- Dia 31 – Lua Cheia (Lua Azul) *

* Designa-se assim por ser a segunda Lua Cheia do mês

 

- A influência do Número 4 reflete um período favorável para transformar todo e qualquer aspeto negativo ou tenso nas nossas vidas, por muito doloroso ou penoso que possa ser.

 

A procrastinação, o eterno adiar, é a maior dificuldade que podemos sentir durante este período. Só com muita disciplina e trabalho poderemos vencer este desafio. Usar a imaginação e a criatividade pode ser uma excelente opção para combater a inércia que acompanha este período.

 

Mantra da semana: Transmuto todas as minhas dificuldades em projetos criativos.

 

28
Jul15

Número 16:7 - Regente de 1 a 7 de Ago

Eva Veigas

 

rcgorman01.jpg

 

 

“Quando um determinado número de pessoas tiver fé suficiente para mudar este cenário, todas as outras pessoas – em todas as partes do planeta – serão beneficiadas por esta mudança.”

 

Paulo Coelho in “Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei”

 

 

O Regente deste período é 7 (redução de 16). Esta vibração energética emanada pelo Número 7 religa-nos aos planos mais subtis e intuitivos com os quais nos podemos sintonizar sempre que quisermos.

 

É uma semana preciosa na medida em que é a única durante todo o ano 2015 a coexistir com um mês que está sob a mesma regência. É importante, para quem sentir, ler acerca do regente numerológico do mês de Agosto, para entender melhor o significado desta semana numerológica.

Também é a penúltima semana sob esta regência, este ano. A última será em Setembro.

 

É tempo de nos alinharmos com o nosso poder psíquico e de o usarmos para o nosso bem. A mente não é uma coisa má. Por vezes é mal usada e mal gerida. É como uma empresa mal administrada. Perde-se imenso tempo com pensamentos que geram divisão interna e externa, pois produzem conflitos de vária ordem.

O objectivo é precisamente aprender a harmonizar esses conflitos internos que muitas vezes nos conduzem a escolhas e caminhos difíceis que poderiam ser evitados se estivéssemos mais atentos ao que pensamos, verbalizamos e em que vibração se encontra o nosso coração, quando emitimos a nossa própria energia.

 

Se não estivermos vibrando em alegria, harmonia e equlibrio dentro do nosso coração, o mais provável é produzirmos energias dissonantes em nós e à nossa volta, o que obviamente irá afectar as pessoas que amamos. É preciso não esquecer que afectamos não só as pessoas que conhecemos, mas também todas as que não conhecemos. Contaminamos o ambiente, os animais, as plantas e o próprio ar que respiramos, com a nossa raiva, o nosso ódio, a nossa dor… É preciso cuidar dos pensamentos e da energia que os acompanha.

 

Esta semana é excelente para iniciarmos novas abordagens de ser e de estar na nossa própria vida. A nossa presença neste planeta não é ao acaso. Fomos escolhidos e escolhemos estar aqui. Façamos por merecer este estágio, contribuindo com a nossa luz, com a nossa sabedoria, com a nossa entrega irradiando alegria e infundindo paz neste planeta e em tudo que ele contém.

 

Banhemos o nosso Ser em águas perfumadas com as nossas poderosas essências e tudo à nossa volta será perfumado em Amor.

 

Eva Veigas

 

28
Jul15

16:7 - O Regente de Agosto 2015

Eva Veigas

gorman_43987_2.jpg

 

 

Análise Numerológica para Agosto 2015

 

 

“O guerreiro sabe que a intuição é o alfabeto de Deus, e continua a escutar o vento e a falar com as estrelas.”

 

Manual do Guerreiro da Luz

 

 

16:7 – O Regente de Agosto 2015

 

 

O Regente de Agosto é 7 (redução de 16). Esta vibração energética emanada pelo Número 7 religa-nos aos Planos Mentais e às esferas superiores relacionadas com a Mente de Deus.

 

É preciso trabalhar a nossa clareza mental de forma cada vez mais profunda. É preciso abrir a nossa mente a novas possibilidades. Entre aquilo que a mente consegue conceber e aquilo que é possível manifestar vai uma pequena distância, porém para a maioria de nós isso não passa de pura ilusão ou utopia. A verdade é que tudo o que o homem concebe é passível de ser concretizado e o o mistério que o 7 revela é que não é preciso que o lapso de tempo entre uma coisa e outra seja gigante.

Noutros tempos, sabemos que foram necessários, por vezes séculos, para vermos materializado o sonho de alguém. Referimo-nos as essas pessoas, como aqueles que viveram à frente do seu tempo… Interessante!

Como pode alguém viver à frente do seu tempo? Não seriam antes os outros que viveram numa cegueira tal (amedrontados pelas circunstâncias), que não se permitiram experimentar?

 

Enfim… vivemos tempos novos e maravilhosos, onde tudo é possível experimentar e experienciar. Aproveitemos então este convite do 7 que nos assegura que sempre que elevamos os nossos pensamentos, envoltos numa fé inabalável, porém não cega, poderemos fundir-nos com a mente superior (ou com o nosso Eu Superior). Nesse estado é possível receber todo o tipo de informações através da nossa visão e audição internas.

 

Tudo é possível neste aqui e agora, mas é preciso confiar, acima de tudo em nós. É preciso recordar que em nós residem todas as respostas, todas as soluções para os nossos infindáveis quebra-cabeças. Porém é preciso recordar que isso não se ensina. Tem que ser através de um esforço da nossa própria vontade. É preciso querer evoluir. É preciso estar aberto à transformação interior e é preciso aceitar que já temos as condições necessárias para contribuir, cada um a seu modo e ritmo para o Bem da Humanidade.

 

A vontade de dar início (1) a novos projectos somada à sensibilidade e harmonia (6) com que se quer começar esta nova etapa dentro do grande ciclo que se está a fechar, irá levar-nos para patamares que o ser humano nunca experimentou.

 

Há que confiar e ser constante (1) no meio das tempestades da vida, mantendo a criatividade em níveis um pouco acima da média para poder levar a cabo os nossos intentos e por outro lado é preciso abandonar as velhas crenças relativas ao perfeccionismo e aos ideais impossíveis de realizar (6). É preciso assentar bem os pés na terra e esta frequência 16:7 não é a que mais nos ajuda a fazê-lo, portanto é necessário dar uma atenção redobrada ao nosso ancoramento diário.

Há que permanecer isento dentro da nova realidade que se está instalando. Por isento eu quero dizer que quem estiver a querer obter benefícios para si próprio, não chegará muito longe, pois essa atitude corresponde à velha energia – aquela que todos conhecemos tão bem.

 

É tempo de fazer escolhas diferentes e vincar bem aquilo que se quer. Queremos avançar juntos em prol de um Bem Maior? Não temos que esperar uns pelos outros… basta que a nossa intenção seja clara e definida, que nos aceitemos como somos, com as nossas características particulares, e que, obviamente, aceitemos os outros, com as suas fantásticas diferenças.

 

Se fôssemos todos iguais, o mundo seria imensamente monótono.

 

Este mês é então indicado para colocarmos em prática, os nossos conhecimentos, por um lado, e por outro para nos propormos a aprofundar mais as nossas aprendizagens, sejam elas de que nível for.

 

Estudar, aprender, ensinar, partilhar são palavras-chave para este mês de Agosto. Porém há que saber dosear esta vibração 7, pois ela absorve muita energia mental, portanto, devemos intervalar os estudos com momentos de repouso, sobretudo da mente. Fazer coisas que não exijam grande concentração é o ideal.

 

A nossa capacidade de relaxar na vida reflete a nossa disposição para confiar em nós mesmos e por consequência nos outros e na vida.

 

Eva Veigas

Numeróloga Transpessoal

01
Jul15

15:6 - O Regente de Julho 2015

Eva Veigas

Veados.jpg

 

Análise Numerológica para Julho 2015

  

“O mundo está neste momento a ser criado e destruído. Quem encontraste voltará a aparecer, quem deixaste partir haverá de voltar.

Não traias as graças que te foram concedidas. Compreende o que se passa contigo, e saberás o que se passa com toda a gente.”

 

O Aleph

 

15/6 – O Regente de Julho 2015

 

A energia dispensada para este mês espalha fragrâncias de amor e harmonia, como pétalas de rosas que chegam com a suave brisa das manhãs.

É importante saber usar estas dispensações. É importante recordar que os números são símbolos que contêm informação valiosa, sobretudo para os tempos que correm. O número é como uma cápsula do tempo contendo tesouros inimagináveis e cada um deles está associado a características físicas, emoções, questões mentais, experiências e vivências específicas de cada um de nós. Mas também está associado a cada ser não humano, a cada corpo celeste, a cada galáxia, e assim por diante.

 

A frequência 15:6 emana harmonia e equilíbrio a níveis profundos. Não estou a falar de conceitos bonitos e floridos, nem de mundos cor-de-rosa. Refiro-me à importância de procurar, cada um em si próprio, essa harmonia e esse equilíbrio e fazê-los emergir de acordo com o nosso próprio conhecimento interno.

Trazer essa harmonia para a nossa vida quotidiana e transportá-la em nós é uma tarefa para uma vida inteira na Terra (pelo menos).

 

Pode parecer impossível, mas não é. Pode parecer utópico, mas não é. Pode parecer loucura, mas não é.

É só uma questão de dar permissão a nível interno, celular, para que isso se manifeste.

 

É evidente que este movimento de abertura interna implica largar e desprender todas as histórias que herdámos, todas as mentiras que nos contaram, todos os medos que nos incutiram, todos os “nãos” que ouvimos, todas as proibições que nos decretaram…

 

Isto implica abrir mão de uma série de preconceitos (pré-conceitos), de julgamentos que entretanto construímos acerca de nós mesmos e dos outros.

Muitas das escolhas que fizemos, para não afirmar que foram todas, assentam nessas bases que recebemos como herança dos nossos pais, educadores, familiares, professores, etc., sem sabermos a um nível consciente que estávamos a comprar os seus próprios medos e descrenças em relação à vida. Escolhemos lá atrás, baseados no medo, na insegurança, no desamor, na dificuldade e nas infinitas probabilidades de tudo dar errado.

 

Esta frequência acena-nos com veemência convidando-nos a desmontar este complexo sistema de crenças limitadoras, tão arreigado nas nossas consciências pequenas e fechadas.

 

A frequência 15:6 pede observação isenta, numa postura onde a clareza mental e sobretudo emocional, nos levarão numa viagem única ao mais profundo de nós. Essa viagem pode não ser muito bonita para o nosso ego que está permanentemente na defensiva, mas será certamente muito eficaz para a alma que anseia por crescer e por experiências enriquecedoras, pois a nossa alma conhece o ganho que daí advirá, mais tarde ou mais cedo.

Durante este período seremos confrontados com as partes de nós que ainda não conhecemos, aquelas partes que ainda não vimos em ação, mas que sabemos existirem. São aquelas partes que designamos como sombra, que caracterizamos com adjectivos pouco simpáticos, são aquelas partes que até achamos que não deveriam existir, que teimamos em ignorar, desprezar, e das quais nos queremos livrar a todo o custo, para nos tornarmos uns seres de luz, muito bonitos e perfeitos.

 

E iremos fazendo esse caminho até percebermos que essa é a derradeira ilusão que carregamos há incontáveis vidas.

 

A quem teremos nós comprado essa ilusão? Onde e em que circunstâncias a teremos criado? Quando criaremos a condição interna de aceitar a sombra e mergulhar nela de verdade?

 

Tantos cursos, formações, livros e professores, terapeutas e facilitadores da chamada “Nova Era” já tivemos, que continuam a alimentar a velha energia do medo, do ego e da ilusão.

Esses mesmos professores que se dizem gurus e mestres, continuam a querer a mesma coisa: reconhecimento e poder sobre nós. A diferença é que usam uma linguagem mais “moderna” mais “up to date” e fizeram uns “upgrades” nas filosofias milenares para ficarem mais apelativas para nós, mas a intenção é a mesma – a de nos encantar, mantendo-nos presos às mesmas velhas ilusões e armadilhas do ego.

 

Mas… o Universo é profundamente sábio e mágico e enviou uns pozinhos para que nós começássemos a despertar deste sono, desta letargia em que a humanidade mergulhou há muitos séculos. Esses pozinhos estão encapsulados nos Números-Símbolos, no caso da Numerologia, no movimento dos Planetas no caso da Astrologia e em milhares de outros símbolos que antes eram indecifráveis, mas que agora estão ao nosso alcance compreender.

 

Portanto cabe a cada um de nós usar esses pozinhos mágicos (que de verdadeira magia universal aqui se trata, e não de magia para manipular ninguém) com muita responsabilidade e maturidade, pois a energia do 6, assim o exige.

O 6 dispensa a possibilidade de fazer aprendizagens acerca do amor-próprio. Aprende a amar-te, diz o 6, mas sem apego (alerta o 15), com desprendimento, com alegria, com um sorriso estampado no rosto, independentemente das circunstâncias.

 

É evidente que não é para rir das nossas desgraças ou das desgraças alheias, mas também não precisamos de levar isto tudo tão a sério, nem de nos levarmos tão a sério, porque a Terra é uma Escola onde muitos de nós entraram por uns semestres para fazer uma formação rápida e eficaz, porém ao ficarmos presos nas malhas da ilusão, nunca mais conseguimos obter a tão desejada graduação.

 

Este mês convida-nos a olhar para todas as aprendizagens que temos vindo a fazer, e a começar, de uma vez por todas, a abrir mão daquilo que já não nos faz falta. Nós já fizemos determinadas “cadeiras” mas achamos que ainda não fizemos, que ainda falta algo. O Professor já nos deu 20, já nos dispensou da oral, mas nós achamos que não, então voltamos constantemente não para o primeiro ano do curso, mas muitas vezes, voltamos para o jardim infantil, achando que temos que começar tudo de novo. É desse apego que falo.

 

Este é aquele momento que comparo ao dos passarinhos bebés que têm que aprender a voar. Os pais estão a incitá-los, mas eles têm apego ao ninho, pois é o único lugar confortável que conhecem: ali têm comida, quem olhe por eles e as asas dos pais que os cobrem de noite protegendo-os do frio e dos perigos aos quais estão sujeitos. Mas os pais sabem que eles nunca serão livres se não aprenderem – ou melhor recordarem aquilo que já sabem no seu íntimo – a voar. Os pais sabem que se isso não acontecer aqueles filhotes estão condenados à morte.

 

Assim é connosco, se não dermos o salto agora estaremos condenados a vaguear pela Terra, por mais 1000 vidas até ao dia em que saltaremos do ninho de uma vez.

 

Então porque nos adiamos? Porque não fazemos esse movimento já? Porque banalizamos tanto aquilo que já sabemos dentro de nós? Porque não valorizamos e conferimos que efetivamente já sabemos voar? Só temos medo de dizer que sabemos como se isso fizesse de nós pessoas menos amorosas.

 

É mesmo nesse amor que muitos de nós já se encontram, mas mesmo assim, achamos que ainda não podemos dar esse salto de fé!

 

Pois este mês dá-nos essa oportunidade, esse incentivo, através da dispensação dessas frequências trazidas pelo 15:6.

 

Verifiquemos pois o que já aprendemos e integrámos, mas em total amor por nós, saindo do ego manipulador, arrogante ou orgulhoso, teimoso ou aniquilador da esperança.

 

O que já integrámos nada nem ninguém nos poderá arrancar.

 

A partir daqui só temos que nos manter humildes e abertos na nova experiência de poder escolher o nosso próprio caminho, ainda que isso implique que algumas portas se possam fechar para sempre (trabalhar o desapego é mesmo importante).

Quanta fé, esperança, harmonia, alegria trazemos dentro de nós? E dessas fragrâncias todas quanto espalhamos ao nosso redor? E tudo isso é suficientemente forte e íntegro em nós, para abrir novas portas?

E temos nós a capacidade para adentrar os novos portais da verdadeira Nova Era, onde tudo é desconhecido? Onde nunca nos experimentámos? Onde não há certezas de nada? Onde ninguém, absolutamente ninguém nos assegura resultados de espécie nenhuma?

 

Aproveitemos bem as frequências deste mês, pois o mês que se segue será para aprofundar ainda mais tudo isto.

 

Recordo que estamos a viver um ano universal de vibração 8 e que nos dirigimos para o fim de um ciclo de 9 anos, dentro de outros ciclos maiores, acerca dos quais vos falarei noutro momento.

 

Recordo também que tudo isto é vivido em cada indivíduo de acordo com o seu mapa numerológico natal e também com os trânsitos numerológicos do momento, nomeadamente o ano pessoal, o ciclo de aniversário e os meses pessoais. Tudo isto é passível de ser analisado numa ou mais sessões de numerologia.

 

Aproveitem bem esta viagem pois ela será única e irrepetível.

Desejo a todos um mês maravilhoso.

 

 

Eva Veigas

Numeróloga Transpessoal

01
Mai15

13:4 - O Regente de Maio 2015

Eva Veigas

mountain.jpg

 

Análise Numerológica para Maio 2015

 

 «Não importa o tamanho da montanha, ela não pode tapar o sol.»

 

Provérbio chinês

   

13/4 – O Regente de Maio 2015

 

O mês de Maio é regido pelo número 4, redução de 13. O 13, um número que em tempos foi temido e que de certa forma, para aqueles que se afinam pelas superstições, ainda o é.

Um dos exemplos mais famosos é o de Jesus e os seus 12 apóstolos cuja soma, dá evidentemente 13. Um dos apóstolos, tal como nos é referido na Bíblia Sagrada, traiu Jesus, conduzindo-o à morte. É portanto um número que está, ou esteve, durante muito tempo, associado à morte e à traição, ao azar e às dificuldades.

 

Outro exemplo, é o da carta do Tarot – A Morte, que em tempos se designava, o Arcano Sem Nome, tal era o temor que as pessoas sentiam perante este Arcano, que afinal mais não é do que a proposta de nos transformamos a cada momento.

Aceitar a Morte e a sua proposta de transformação é o tema que nos traz este número 13 que rege o mês de Maio.

 

Existe uma necessidade de olhar para a nossa vida, sem filtros, sem lentes que aumentem ou diminuam os factos. Observar a realidade que estamos a viver agora. Pode parecer um pouco cruel, mas é melhor ver e assumir tudo o que temos e somos do que tentarmos tapar o sol com a peneira.

 

As características deste número passam por saber usar e aplicar as nossas capacidades mentais, emocionais, físicas… (enfim a nossa criatividade) em todas as situações, mais ou menos difíceis, que nos vão surgindo.

A ação (1) pede engenho e arte (3), para que cada aspecto da nossa vida seja tratado de forma sensível, harmoniosa, ao mesmo tempo que vamos ganhando consciência da nossa própria falta de estrutura (4) interna.

Os nossos alicerces sejam eles físicos, mentais ou outros, vão sendo testados ao longo de cada existência terrena.

 

Assim este mês é indicado para começarmos a ganhar essa consciência de nós, em todos os níveis da nossa existência. É importante sentirmos quais os aspetos em que estamos mais fortalecidos e quais os que poderão estar menos. Por exemplo, podemos sentir-nos bem fisicamente e emocionalmente menos bem.

É interessante olharmos para nós, tal como somos, sem nos auto exigirmos aquele grau de perfeição que muitos de nós (por vezes inconscientemente) desejam.

Não somos, nem temos que ser perfeitos, pois tudo está em eterna mudança e transformação, mas somos perfeitos tal como somos, pois a cada momento temos em nós as soluções e a criatividade necessária para responder a cada desafio que a vida nos coloca.

Claro que para que tudo isto funcione é necessário permanecer focado, dado que quanto mais nos estruturamos, maior responsabilidade temos perante nós mesmos e perante os outros.

 

Entretanto, não devemos esquecer-nos do número do mês, que também é levado em consideração nesta análise numerológica. Maio é o quinto mês do ano, portanto o número 5 também empresta a sua influência ao número regente 13/4.

 

A proposta do 5 é a abertura à mudança e a par com o 13, proporciona a quem está nesse caminho, iniciar uma nova e excitante etapa neste período.

É preciso ser-se flexível, adaptável, mantendo um espírito aventureiro e curioso para podermos experimentar coisas novas, usando todas as nossas virtudes, talento e experiência do passado.

 

Querer que a nossa vida mude, sem a nossa firme intenção de participar ativamente nessa mudança, com uma atitude intransigente e rígida, com aquele sentimento de que nada temos a aprender com a vida e com os outros, não pode trazer resultados favoráveis.

Há que aprender a permanecer num estado de eterna aprendizagem, onde a única meta é a nossa transformação gradual. É essa transformação que nos devolve a liberdade de ser quem somos.

 

Eva Veigas

Numeróloga Transpessoal

01
Abr15

12:3 - O Regente de Abril 2015

Eva Veigas

844395-bigthumbnail.jpg

 

Análise Numerológica para Abril 2015

   

12:3 – O Regente de Abril 2015

 

O Regente de Abril é o número 12 que depois pode ser reduzido a 3 (1+2=3). Mas o 3 é uma conversa e o 12 é outra.

Claro que seremos atingidos pelas frequências do 3, mas não sem antes, atravessar as do 12.

 

Um ciclo curto de 12, como neste caso, é para ser levado a sério, mas sem colocar pesos, não se devem temer os ciclos, os números ou quaisquer outras energias disponíveis para nós.

À medida que as experiências nos vão surgindo, devemos sobretudo usar todo o nosso discernimento, a fim de sabermos o que fazer. Talvez tenhamos que parar um pouco, para sentir o que esta ou aquela experiência, nos quer mostrar ou ensinar. Talvez tenhamos que tomar alguma decisão, mas não sem antes passar tudo através das nossas peneiras internas. A peneira interna da criatividade, por exemplo, é muito interessante se for bem usada para peneirar tudo aquilo que já não é criativo, tudo o que na nossa vida já não tem vida, tudo o que está parado, estagnando, ganhando poeira e teias de aranha…

O 12 é uma frequência de 4:3 portanto é necessário ir mexer tanto nos alicerces, como no nosso próprio edifício. Claro que é necessária uma boa dose de coragem e de vitalidade para o fazer, mas estas vibrações impelem-nos nesse sentido. São oportunidades como esta que nos permitem largar ou desprender tudo aquilo que já não nos serve, que já não contribui para a nossa felicidade, bem-estar e alegria.

Porém, há que fazer este exercício com muito amor, por nós, pelas experiências vividas e pelos outros (porque quase sempre há outros seres humanos envolvidos).

Por vezes fechamos ciclos mas deixamos as caudas presas na porta e portanto ela volta a abrir-se! É por isso que tantas pessoas se queixam de que as suas vidas parecem repetições. E são-no, em boa verdade, porque de facto, não sabemos deixar ir em amor.

Muitas vezes largamos ainda com a dor, com a raiva, com a zanga. Ora as energias geradas por essas forças não permitem fechar o ciclo definitivamente, regressando assim a nós a experiência, que pode vir através de pessoas e situações diferentes, que na sua essência se mantem inalterada.

Este é assim um bom momento para aprendermos a deixar ir com muito amor, tudo o que já não nos valida ou traz crescimento pessoal ou colectivo.

 

Eva Veigas

Numeróloga Transpessoal

 

02
Mar15

11:2 - O Regente de Março 2015

Eva Veigas

março 2015.jpg

 Análise Numerológica para Março 2015

 

11:2 – O Regente de Março 2015

 

Março está sob a regência do Número Mestre 11 que se apresenta como uma oportunidade única durante todo o ano.

O 11 representa um portal magnético onde tudo pode acontecer: desde nos rebelarmos contra todo o tipo de estruturas rígidas, montadas pelas sociedades e que têm permanecido inalteráveis por séculos, até sentirmos um forte apelo interno que nos levará a enfrentar essas estruturas, pondo à prova a nossa coragem, força e determinação, chegando ao ponto de sermos pioneiros no que diz respeito a tomar a iniciativa de começar a desmontar essas mesmas estruturas.

 

Trata-se portanto de um mês com uma importância fulcral, pois muitos dos factos que ocorrerão sob esta vibração, serão fruto das escolhas e das decisões de quem se alinha com esta poderosa vibração numerológica.

 

A onda 11:11 ou o portal 11:11, está evidentemente mais intenso em períodos 11, quer se trate da frequência de anos, meses, semanas, dias, horas, propósitos de vida, dias de nascimento, e assim por diante.

 

Porém, esta frequência especial, e é especial apenas por ser diferente e não melhor do que as outras, irá ressoar em níveis diferentes em cada um de nós e de acordo com a consciência, que cada um tem de tudo o que É, a cada momento.

 

Lembrem-se que esta frequência é magnética, portanto ela atua como íman, ou seja tem o poder de atrair ou de rejeitar determinadas vibrações.

O 11 atrai tudo o que encontrar pelo caminho e que esteja de acordo com o cumprimento do seu propósito e logicamente rejeitará todo o tipo de vibrações que não ressoem com ele.

 

Portanto, vai provocar vários danos na vida daqueles que desprezam, escarnecem, ignoram e rejeitam as Leis Universais.

 

Os sentimentos de revolta, raiva, a falta de escrúpulos para se conseguir o que se quer (ainda que para isso tenham que destruir tudo à sua volta) serão ativados naqueles que não estiverem sintonizados com o caminho da Luz e do amor incondicional.

 

Claro que as escolhas desses seres terão que ser respeitadas do ponto de vista cósmico, mas o 11 se encarregará de mostrar que não tolera comportamentos distorcidos, nada que vibre fora do Amor, será tolerado.

 

Por outro lado, aqueles que há muito tempo, fizeram a escolha de querer mudar a si mesmos, ainda que não tivessem muita consciência de que ao fazê-lo estariam a mudar o mundo (“Sê a mudança que queres ver no Mundo” M. Ghandi), usufruirão dos benefícios desta forte vibração, pois neles reside a semente da compaixão.

 

Eles têm a capacidade de perceber com bastante distância o rumo dos acontecimentos, sabem que são guiados amorosamente a cada momento e usam a sua intuição de forma inteligente e madura. Sabem perdoar, mas não confundam a sua capacidade de perdoar com fraqueza.

É que quem aprendeu a perdoar fez uma escolha surpreendente, que se traduz por uma indisponibilidade interna de carregar uma energia tóxica e pesada, dentro do seu coração.

 

Quem perdoa liberta-se e liberta!

 

De facto, este mês vai mesmo colocar-nos a todos à prova, sem exceção, e aqueles que “passarem no teste”, irão encontrar dentro de si as respostas que necessitam a cada momento da sua permanência nesta existência.

 

A energia do 11 tem este condão: a de nos ir despindo o ego.

 

Portanto fica a questão: vais permitir-te despir essas roupagens?

 

 

Nota importante: 29/03/2015 é regido pela vibração-mestre 22*.

 

*O Número Mestre 22 representa a energia do 2 amplificado. Sentiremos um imenso aumento da nossa capacidade de trabalho. Poderemos trabalhar mais horas sem nos sentirmos tão cansados. Dias como este são excelentes para trabalhos de grupo, em equipa, onde a sinergia gerada pelo todo será exponencialmente aumentada e expandida.

 

Eva Veigas

 

Mais sobre mim

foto do autor

Contactos

Email: evaveigas@sapo.pt

Follow me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

  •  
  • Exercícios e Orações

    Numerologia: 2018

    Numerologia

    Significado dos Dias de Nascimento

    Runas

    Tarot

    Videos

    Cursos / Ws Realizados

    PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS:

    •  
    •  

    Entrevistas

    Parcerias

    Sapo Astral Vídeos

    Sapo Desporto

    Arquivo

      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2015
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2014
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2013
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2012
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2011
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2010
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2009
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2008
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2007
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2006
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D