Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia, Arcanos & Cia. by Eva Veigas

Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência

Numerologia, Arcanos & Cia. by Eva Veigas

Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência

Escurecer para depois Renascer

Eva Veigas, 21.06.20

eclipse solar.jpg

Imagem: Bryan Goff

 

Estamos em plena Lua Escura, Eclipse Solar e Solstício de Verão. São muitos eventos de uma só vez, o que nos leva a reflectir sobre tudo o que é preciso escurecer em nós. O que precisamos deixar ir para renascer. O que precisa ser transformado e trabalhado em nós. Usemos as ferramentas, os recursos internos ao nosso dispor, as capacidades e habilidades mentais e físicas e as inteligências de que dispomos para rever a nossa vida.



É tempo de nos movermos para dentro, através da nossa consciência e da nossa vontade expressa. É preciso querer. É preciso abrir mão do que já pensamos que sabemos. É preciso largar a crença firme e arreigada que nada mais há a aprender, nada mais há a fazer, nada mais tem solução.



Há quem diga que é preciso ser forte para atravessas as duras e penosas sombras da alma. Eu diria que é preciso ter um coração de criança. Uma inocência consciente, uma fé inabalável e uma alegria inesgotável. É preciso tornarmo-nos vulneráveis, atentos e focados em vez de fortes e inabaláveis.



Ser forte ou ter que ser forte, torna-se uma exigência, uma obrigação. E tudo o que nos leva para o campo da exigência torna-nos duros e inflexíveis.



Não precisamos ser fortes para atravessar as sombras, não precisamos ser heróis nem heroínas para olhar para nós mesmos de frente e encarar os nossos medos, as nossas frustrações, os nossos vazios, as nossas dimensões negras que nunca queremos revelar a ninguém, nem a nós mesmos.

Na verdade, por tanto as querermos ocultar, acabamos por lhes conceder espaço para as tornar visíveis.

 

E elas, as sombras, revelam-se!

 

De uma forma ou de outra, a nossa sombra move-se no escuro, na cave, no sótão, nos lugares escuros da nossa casa interna.



E isso acontece enquanto não acendermos a luz, a nossa luz interior, e virarmos o foco na direcção dessas sombras que se movem como personagens de um filme de terror, na penumbra, prontas para nos atacar, na primeira oportunidade.



Somos atacados por nós mesmos, e enquanto isso não ficar esclarecido e claro nas nossas mentes e nos nossos corações, não pararemos de acusar os outros de serem eles a causa das nossas desgraças, dificuldades, dores e desamor.



É preciso polir a lâmpada de Aladino para que o génio saia e nos mostre o que precisamos de ver. O que estamos dispostos a fazer em troca de uns momentos de amor ou atenção. O quanto, sem disso termos consciência, pedimos que algo exterior chegue a nós para nos salvar, o quanto rezamos por um génio, por uma fada-madrinha, por um príncipe ou por uma princesa encantados, ainda que jamais o admitamos.

 

O que estamos dispostos a fazer em troca de uns momentos de amor ou atenção? Porque afinal é disso que se trata. Só queremos que alguém nos veja, nos escute, nos olhe, nos valide, nos proteja, nos aceite, nos ame...


Mas nós aceitamo-nos tal qual somos?...

 

É que para nos amarmos incondicionalmente temos de aprender a aceitar quem somos e para isso temos de aceitar que somos uma partícula de Deus Pai/Mãe e para isso temos de reconhecer o Divino em nós e para isso já temos de adentrar dimensões que nos deixam incomodados, amedrontados, com tonturas e dores de cabeça, que depois, alguns sem saber do que falam, atribuem à abertura de portais, a números repetidos e a seres de luz que os vêm salvar…

 

Ninguém nos salva de nós… Só nós, cada um de nós, ao reconhecer o Divino, o Sagrado, dentro e fora, se pacificará e se iluminará e então aí sim. Aí pode resplandecer de novo como o Sol depois do eclipse ou como a Lua depois da fase escura que começa a espreitar lentamente por cima das nossas cabeças.

 

Chegará porém o momento, ajustado para cada um de nós, em que compreenderemos, pois far-se-á "LUZ" ou seja ganharemos essa consciência, ou ainda por outras palavras: teremos acesso a esse conhecimento de que tudo começa em nós mesmos, e de acordo com essa premissa, somos nós que precisamos de nos ver a nós mesmos, de nos escutar a nós mesmos, de nos sentir a nós mesmos, de nos validar... proteger e abençoar a nós mesmos, de nos Amar... sem condição, sem reserva, que é o mesmo que dizer: INCONDICIONALMENTE!



O dia de hoje, sendo governado pelo Número 13, propõe que "morramos". Este é um tempo de morrer, de transformar, de deixar ir. Curiosamente este Número 13 é o Número do Arcano da Morte, no Tarot, em tempos chamado de Arcano Sem Nome, tal era o medo que as pessoas tinham de proferir a palavra "Morte".



Esta Morte é uma bênção, é como um eclipse ou como uma Lua Escura (Lua Nova).

 

Pai Sol e Mãe Lua revelam-nos como fazer, basta olhar e ver! A Natureza é tão sábia…Esta Inteligência Cósmica que a tudo permeia, mostra-nos que para brilhar em todo o nosso esplendor é preciso primeiro escurecer, largar a identidade, largar a vaidade, largar tudo o que não condiz com ser-se verdadeiramente Espírito na Matéria.



Assim, este é um daqueles momentos únicos de Morte e Renascimento, que pode ser aproveitado por todos quantos desejem realmente VIVER! Experimentar Ser na Matéria, conscientes de que somos feitos de pó estelar, que somos poeira espacial, que somos energia condensada num corpo, cuja natureza é efémera, é verdade, mas que enquanto existe na condição ou na esfera da materialidade, deve ser respeitada e consagrada à Luz.



O nosso veículo humano não é para ser mal utilizado, porém abusamos dele todos os dias. Colocamo-lo ao serviço de uma "persona" sem escrúpulos, que apenas pensa no seu belo prazer. Entupimos o corpo com comida, álcool, pensamentos negativos, criticando tudo e todos, inclusive a nós mesmos. É essa postura que corrói as nossas células, que então adoecem e ao se multiplicarem criam mais células doentes. Ou então as células pura e simplesmente desligam os seus interruptores por falta de Amor, falta ou ausência do nosso próprio Amor por nós. Ausência de Amor-próprio equivale a sucumbir, a desaparecer, a morrer sem consciência do processo de transformação. As células morrem por falta de Luz, de Sabedoria, de Conhecimento, de Amor, de Cuidado.



Afirmamos que não temos tempo para estudar, para nos auto conhecermos, mas temos tempo para maldizer, para julgar os outros, para tecer comentários ofensivos, para criar artefactos que tiram a vida a qualquer ser vivo. Temos tempo para destruir, mas não temos tempo para construir? Temos tempo para atirar pedras ao outro mas não temos tempo para acarinhar o outro? Temos tempo para ver vídeos tontos, sem sumo nenhum, ou ler acerca de tolices que não devolvem nenhum crescimento ou nos trazem conhecimentos válidos, mas não temos tempo para escutar a Natureza, para observar os seus fenómenos ou sequer para agradecer por tudo o que Ela nos proporciona?


Escurecer para depois Renascer!

 

Bênçãos e Paz Profunda

 

 

Eva B. Veigas

Curadora Holística
Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência

Mil Bênçãos no teu Caminho

O Poder da Mansidão unido à Acção Correcta

Eva Veigas, 14.06.20

Will O.jpg

 

De 15 a 21 de Junho - Uma semana governada pelo Número 6 (reduzido de 24)

O Poder da Mansidão unido à Acção Correcta

 

Chega uma energia de pacificação que pode ser usada por aqueles que escolherem harmonizar e suavizar as suas dores, a sua revolta, o seu cansaço, a sua exaustão, as suas feridas. O Número 6 simboliza a estrela de seis pontas do Rei David. Do encontro dos dois triângulos surge a harmonia dos dois pólos. É a combinação perfeita do céu e da terra, da matéria e do espírito, dos opostos que se complementam.

 

Esta harmonia, este equilíbrio que buscamos para a nossa vida, pode ser encontrado, se aquietarmos a nossa ânsia, se substituirmos a nossa pressa habitual por um modo de viver mais ajustado ao nosso compasso interno. Este é um tempo de abrandar para cuidar de todos os aspectos que se encontrem danificados, defraudados, desajustados.

 

Cuidar de cada uma das partes feridas ou deficientes do ponto de vista energético pode ser uma missão, uma necessidade ou uma emergência.

 

Usa a estrela para trazer a harmonia, o amor, a luz, a abundância, a cura, a doçura, a tranquilidade, o calor ou o que quer que necessites no teu coração neste momento para te reergueres.

 

Este 6, redução de 24, revela que este é um período de cooperação e colaboração, mas onde se deve usar de grande sensibilidade para tratar dos conflitos e das questões mais tensas e complexas.


Traz sabedoria e capacidade de saber fazer. É um momento de aplicação prática para uns e de aprendizagem para outros.

 

É preciso saber colocar limites a tudo o que nos possa atirar para um poço sem fundo, para um lugar onde não mais somos escutados, vistos e sentidos, sobretudo por nós mesmos.

 

Todos nós temos os nossos limites e cada um saberá até onde pode ir. Respeitar-se, amar-se é compreender, assumir e aceitar os próprios limites.

 

Este é um período muito rico e activo para colocar em marcha qualquer projecto, ideia ou impulso para criar ou construir através da energia amorosa que tudo abençoa e vivifica, cura e sana.

 

Assim, é um momento adequado para dialogar, perdoar, construir, reconstruir, religar, rezar, orar, sentir, meditar, dançar, cuidar de nós e /ou de alguém que precise do nosso abraço ou do nosso gesto de ajuda.

 

É um período onde a nossa dignidade e humanidade pode sobressair, pois ela estará sustentada por diversas frequências que se relacionam com a sensatez, o equilíbrio em qualquer situação, a aceitação daquilo que não se pode mudar, a atitude concertada rumo ao que se pode e quer mudar ou transformar.

 

Este é um momento em que o fruto amadureceu e está cheio de sumo e sementes. Há que saber aproveitar o fruto inteiro ou as sementes serão desperdiçadas.

 

Bênçãos e Paz Profunda

 

 

Eva B. Veigas

Curadora Holística
Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência

Mil Bênçãos no teu Caminho

A Mudança, a Transformação sustentada pela destilação do negro.

Eva Veigas, 12.06.20

colibri2.jpg

 

De 8 a 14 de Junho - Uma semana governada pelo Número 5 (reduzido de 14) - A Mudança, a transformação sustentada pela destilação do negro.

Esta semana que agora chega ao fim, abanou as nossas estruturas internas, obrigando-nos a reformular, avaliar e pesar a nossa forma de pensar e de perspectivar as coisas, os assuntos, as prioridades, o que nos chama a atenção, a nossa vida quotidiana e os seus aspectos práticos.

Uma transformação real só ocorre quando mudamos a forma de pensar, quando transformamos hábitos nocivos em práticas diárias de qualidade.

Esta transformação exige um esforço da vontade que pode ser descortinada observando e dividindo o Número 14 nos dois algarismos que o compõem: o 1 e o 4.

Nesta caso concreto, podemos observar como este 1 nos transporta para esse lugar onde o nosso desejo de mudar, exigindo algum (ou muito) esforço da nossa parte, é fundamental para analisarmos a nossa vida actual quanto aos nossos padrões de comportamento (tantas vezes distorcidos) e para tomar as decisões necessárias caso queiramos mudar esses comportamentos e hábitos perniciosos.

Uma real mudança na nossa forma de pensar conduz-nos a diversas alterações nas nossas práticas e gestos diários, aumenta o nosso foco e reposiciona-nos ante as nossas prioridades o que consequentemente permite uma verdadeira transformação e expansão da nossa consciência.

Este 1 devolve a possibilidade de usarmos a nossa força de vontade, bem como a determinação e a firmeza necessárias para alterar coisas como hábitos nocivos, modos de estar, estados de alma, etc.

Uma vez tomada a decisão de mudar, já poderemos fazer uso da vibração 4 para começar a colocar em prática os novos hábitos, de forma mais ordenada, organizada e disciplinada, criando objectivos, sustentados numa intenção clara e firme, criando horários e mantendo-nos fieis a eles, alterando regimes alimentares, cuidando da saúde por todos os meios à nossa disposição, criando espaço para nos auto conhecermos e para conhecermos as Leis Universais que nos sustentam e às quais estamos sujeitos, para conhecer a nossa divindade. No fundo trata-se de um período ideal para criarmos uma higiene espiritual ou energética, se preferirem.

Este é um tempo de destilar e decantar os aspectos grosseiros da personalidade, o lado escuro da alma e atravessar as sombras, caminhando desde a esfera lunar, até à esfera solar, fazendo o caminho da Lua para a o Sol, construindo uma ponte que permita a ligação entre a personalidade e a consciência intuitiva.

A verdadeira transformação ou mudança, só ocorre quando os sinais de mudança interna se manifestam exteriormente.

Eva Veigas
Curadora Holística

(Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência)

Mil Bênçãos no teu Caminho

Esvaziando para Libertar

Eva Veigas, 11.06.20

photo of half moon

 

Estamos a preparar-nos para esvaziar todos os conteúdos aprendidos. A sensação interna de que tudo se desmorona, é substituída pela firme convicção e desejo de aceitar o convite que avida nos faz: o da suprema rendição.

Tempo de esvaziar memórias, de abrir mão de tudo o que não nos alinha com o nosso centro, com a nossa verdade interior, ainda que essa postura e essa decisão atice mais os dragões internos e enfureça os nossos inimigos.

É tempo de morrer, e essa morte acarreta uma total libertação e um total desprendimento da teia em que andamos enredados há muitos éons.

Desde o passado dia 8 e até ao próximo dia 7 de Julho, estaremos sujeitos a poderosas forças naturais que envolvem muita movimentação cósmica, muita energia telúrica, muitas convulsões de diferentes níveis e cargas vibratórias.

Escolhas terão de ser feitas, muitas delas radicais ou próximas disso.

Este é um tempo de escurecimento e de nos dirigirmos para o centro, para o ponto zero. Um momento de ficar a sós, diante de nós mesmos, diante da nossa essência e por alguns instantes receber o seu perfume, desfrutar dele, espalhá-lo e agitá-lo suavemente dentro de nós e depois irradiá-lo, o que implicará uma valente mudança de direcção e de sentido na vida.

Se não o fizermos, a vida se encarregará de o fazer por nós e dessa forma sentiremos essa mudança como uma contrariedade, uma espécie de castigo ou de punição, quando na verdade, é apenas a vida em nós a ajustar-se e a mostrar-nos o caminho que se abre mesmo à nossa frente.

Por vezes, não queremos ver a realidade, com medo do que se esconde por detrás da ilusão ou daquele lugar que estamos habituados a conhecer - aquilo que agora todos conhecem por "zona de conforto".

Por vezes, a nossa alma grita mais alto para que as múltiplas máscaras da persona, que geralmente são muito barulhentas e ruidosas e se entretêm a complicar tudo dentro e fora, possa ser escutada por nós mesmos.

E no meio da confusão e do caos, se nos retirarmos um pouco do mundo e nos dirigirmos para o nosso dentro e ficarmos um pouco em silencio dentro e fora, poderemos escutar a nossa alma. E Ela - a Alma - sabendo-se escutada, aquieta-se e segreda ao nosso ouvido o próximo passo, ou até mesmo, nos pode revelar um bom pedaço do caminho.

Só no vazio e no silêncio do nosso Ser podemos escutar a Verdade. Só nesse lugar podemos encontrar conforto e equilíbrio, só aí podemos revigorar-nos e reajustar o ponteiro da nossa bússola interna.

Quantas vezes, julgando estar no caminho certo, não estamos senão a afastar-nos daquilo que é o nosso verdadeiro Eu.

É por isso que há momentos em que tudo converge, para que possamos reposicionar-nos ante nós mesmos. E esse é um desses momentos: A Lua Cheia que se vai esvaziando e nos leva ao encontro da Lua Escura no próximo dia 21, o mesmo dia em que se celebra o Solstício de Verão, se bem que este ano ele ocorra exactamente no dia 20, às 22h43m, e também o mesmo dia em que ocorrerá o primeiro eclipse solar deste ano.

Numerologicamente este mês é governado pelo Número 10, que nos recorda que é tempo de recomeçar, tempo de regressar à origem, ao princípio, ao zero, ao lugar onde tudo começou.

É uma oportunidade, um reinício, uma lufada de ar fresco para quem souber aproveitar... sobretudo depois do dia 21. É tempo de colocar em marcha e com novo fôlego, uma energia renovada, restaurada, rejuvenescida para enfrentar todos os desafios que temos pela frente.

Este não é um tempo para cruzar os braços, nem para desistir, nem para estagnar. É antes um tempo de aprendizagem através de um recolhimento necessário (até dia 21) e de aprendizagem através da acção e do movimento coerente (do dia 21 em diante).

A Força Interior que nos acompanha é compatível com o nosso grau de consciência, de aprendizagem e de mestria. Saibamos fazer bom uso dela!

 

Eva Veigas

Curadora Holística

(Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência)

Mil Bênçãos no teu Caminho

7 - Regente Numerológico de Março 2020

Eva Veigas, 12.03.20

Março 2020 foto by Erin Song.jpg

Imagem: Erin Song

 

Março 2020 - Um mês governado pelo Número 7

 

 

 "Quando os autores modernos descrevem a paisagem da alma de nosso tempo, surgem de quando em quando palavras como distanciamento, solidão e isolamento. Distanciamento entre o ser humano e a natureza, distanciamento entre os seres humanos, distanciamento entre o ser humano e ele próprio."

Achim Eckert in O Tao da Cura

 

 

O curso energético deste mês de Março, fluindo como um rio que recebe diversas influências energéticas (como por exemplo a do Número 4 que governa o ano 2020), corresponde ao Número 7.

 

Este Número, que governa, influencia e disponibiliza a sua energia, de forma abstracta, naturalmente, coloca-nos em posição de aprender e evoluir acerca dos temas que com ele se relacionam directamente: Introspecção/Isolamento, Meditação/Dispersão, Reflexão/Descontrolo, Calma/Euforia, Passividade/Fanatismo

Observemos então de que forma podemos aproveitar esta energia ao mais alto nível na nossa vida e como podemos aplicar os seus princípios.

Em primeiro lugar devemos considerar a energia deste mês (assim como dos restantes) como estando enraizado na energia do 4 (Número regente do ano 2020) para compreender que o elemento que tudo une ao longo deste ano é, sem dúvida, o elemento Terra.

Precisamos da força desta vibração particular para poder cruzar este mar de caos que se instalou nas nossas vidas e determinar uma direção.

Então, posteriormente já será possível focar-nos em tudo fazer, para não nos desviarmos da meta inicialmente traçada, excepto para ajustar as velas aqui e ali, atracar em portos seguros para reabastecer o navio e depois seguir viagem sem nos determos demasiado em lugares incertos.

O 7 é uma frequência fortíssima e muito intensa, que para muitas pessoas é sinónimo de passividade, lentidão ou mesmo apatia, mas isso não passa de uma grande ilusão e de uma crença tola.

Na verdade, não existe Número ou força da natureza que tenha tal significado ou atributo. O que sucede é que existem diferenças na forma como as frequências vibram, umas são mais lentas, ou se preferirem mais demoradas, e outras são mais rápidas e incisivas. Isto não é o que sucede quando tocamos um qualquer instrumento de cordas? A vibração das cordas (ou dos acordes) é mais demorada ou mais rápida, dependendo da forma como se toca.

Assim, o 7, nada tem de apático ou de passivo, nós é que nos tornamos apáticos ou passivos, letárgicos e dormentes, etc., dependendo da forma como vibramos internamente, quer quanto ao conteúdo, quer quanto à qualidade da nossa essência, sendo que isso é apenas a manifestação ou a consequência da nossa falta de interesse em conhecer a nossa natureza interna.

Deixamo-nos ir ao sabor da maré, sem rumo, sem direcção, sem vontade, não querendo investir em nada de profundo e duradouro (trabalho interior, relacionamentos, etc.), compromissos que exigem demasiado esforço para aqueles que querem comprar tudo feito, incluindo a sua própria evolução espiritual, perdão ou qualquer outro aspecto que dignificaria a sua espécie.

Portanto, o 7 coloca-nos de imediato, frente a frente com estas realidades obrigando-nos a fazer um movimento interno preciso e constante (percebem agora porque é demorado?), a olhar profunda e demoradamente para a nossa realidade interna e a fazer ligações com aquilo que expressamos fora, com o que trazemos de dentro, para fora de nós.

Aquilo que fazemos, dizemos e expressamos é igual ou pertence à mesma frequência daquilo que sentimos, pensamos e decidimos que queremos fazer?

É esta uma das razões pelas quais precisamos de ter em conta o elemento Terra, pois através dele, poderemos colocar os nossos pés em terra firme, poderemos enraizar um pensamento, para que ele possa crescer e dar frutos, poderemos fortalecer a nossa vontade, poderemos criar foco e sustentá-lo naquilo que é importante e prioritário para a nossa vida, poderemos definir metas, objectivos e intenções. Tudo isto em conjunto, obviamente, com o elemento Ar que governa o 7, pois sem ele não haveria movimento, nem direcção ao nível dos pensamentos e das subsequentes acções.

Precisamos de aprender a meditar e a reflectir; aprender a pesquisar e a estudar e aprender a aplicar na prática os frutos que recolhemos das nossas meditações pesquisas e estudos, Caso contrário, de nada nos serve um conjunto de conhecimentos sem aplicação prática e sem uma fundamentada visão espiritual.

Este é um excelente momento para se aplicar o que se apregoa - e se somos bons a apregoar o que é bom para os outros!

A frequência do 7 pode ser vivida ou sentida entre momentos de acalmia ou euforia e passividade ou fanatismo. Teremos que ser cuidadosos e estar atentos aos diversos graus da manifestação desta energia através da nossa armadura física e espiritual. Lembrem-se que todos nós somos veículos, cabendo a cada um de nós a responsabilidade das nossas decisões, das nossas emoções e dos nossos actos. No fundo, trata-se de nos responsabilizarmos pela nossa própria vida e de acelerarmos a nossa maturidade em relação a questões básicas da nossa humanidade. São questões que já deveríamos saber de cor, que deveriam incorporar o nosso quotidiano, como o respeito, a educação, a entreajuda, a honra, etc., mas que ainda parecem tão distantes quando observamos os nossos comportamentos, quer a nível colectivo, quer a nível individual.

A inconsciência, fruto da ignorância que grassa no mundo é a raiz podre que nos afasta de nós mesmos, uns dos outros e da natureza. É preciso arranca-la pelo fundo, revolver a terra onde ela cresceu e nutri-la de novo com a semente do conhecimento e das boas práticas. A árvore cresce enraizada na terra e é a qualidade da terra, do ar, da água e da própria semente (o fogo) que irá determinar se essa árvore crescerá forte e saudável ou se pelo contrário será estéril e seca.

Como é a tua árvore?

 

Eva Veigas

Arcanos & Cia.

 

 

Mil Bênçãos no teu Caminho

Bem-vindo Março!

Eva Veigas, 01.03.20

march.jpg

Imagem: Glen Carrie

 

Numerologicamente Março é governado pelo Número 7

O Arcano Regente corresponde ao Carro ou Carruagem

 

O perído de 01/03 a 07/03  é governado pelo Número 7

O período de 08/03 a 14/03 é governado pelo Número 11

O período de 15/03 a 21/03 é governado pelo Número 9

O período de 22/03/ a 31/03 é governado pelo Número 1

 

Dias em destaque:

02/03 - Quarto Crescente

04/03 - Regente 11

09/03 - Super Lua

13/03 - Regente 11

16/03 - Quarto Minguante

22/03 - Regente 11

24/03 - Lua Escura

31/03 - Regente 11

 

Fica a saber o significado destes aspectos numerológicos nas próximas publicações.

 

Mil Bênçãos no teu Caminho

Semana Numerológica: 22/02/20 a 29/02/20

Eva Veigas, 22.02.20

8.jpg

 

22 a 29 de Fevereiro – Semana 8 – Arcano 8 – A Força – Regeneração da Esfera Material

 

Elemento: Terra

Elementais da Terra: Gnomos

 

 

Ano 4 (2020) – Mês 6 (Fevereiro) - Semana 8 (22/02 a 29/02)

O aspecto mais forte ou evidenciado desta semana numerológica cai no próximo dia 23, o qual é marcado pela influência do Número 11 e da Lua Escura ou Lua Nova. Outro aspecto importante é a repetição do Número 2, no dia 22/02/2020, o qual volta a por em evidência as suas qualidades.

A semana tem como regente numerológico o Número 8 e o Arcano que lhe corresponde é a Força.

 

O Arcano Regente - A Força

8 Força.jpg

A Força é a oitava carta do Tarot (Raider Waite). Através dela compreendemos que é preciso aceitar de forma consciente o nosso corpo físico, o veículo que nos liga a esta dimensão terrena e material. Sabemos muito pouco do nosso corpo e do seu funcionamento, função e missão.

A consciência do corpo é arruinada por ilusões e fantasias e esta semana traz uma oportunidade muito boa para podermos começar a observar o nosso corpo físico com um novo olhar.

Sugiro uma meditação/exercício usando um cântico maravilhoso que afirma: “Terra meu Corpo, Água meu Sangue, Ar meu Alento e Fogo meu Espírito.” Meditar (se possível entoando este cântico/mantra) acerca do poder e significado destas palavras, transforma a percepção que temos sobre os nossos 4 corpos (físico, mental, emocional e espiritual).

Mas a Força traz-nos mais desafios importantes: ela recorda-nos da importância de conhecer, compreender e transcender os nossos instintos mais primários, mais básicos e primitivos. Para isso ela coloca-nos em contacto com os nossos três chakras inferiores, aqueles que nos ligam à Terra Mãe e ao mundo material; aqueles que tratam da nossa sobrevivência, da perpetuação da espécie e da dissolução da ilusão e do medo.

Quando em equilíbrio, os chakras inferiores ajudam-nos a evoluir e a progredir no mundo material de forma mais consciente e espiritualizada. As suas energias ao subirem através da coluna vertebral encontram-se com as dos três chakras superiores, no plexo cardíaco, para aí fazerem a sua dança, devolvendo-nos equilíbrio e autonomia, força e poder, amor-próprio e coragem para enfrentarmos os nossos desafios com honra e glória.

 

O Número 8 e o Poder de Materializar

8.jpg

 

O 8 é uma frequência muitíssimo intensa e poderosa, pois cabe-lhe o papel de tornar visível no mundo material, as aspirações, os sonhos e os ideais do nosso mundo interior. Para que tal se torne realidade – manifestação em acção -, precisamos de aprender a planear, a criar uma estratégia definida, embasada no mundo causal e seguir uma série de passos, até que a ideia, o sonho, o desejo, passe à acção e finalmente se torne visível no mundo das formas.

Além disto, o 8 também está relacionado com os períodos da colheita, e dessa forma podemos esperar, durante este período, receber os créditos pelo nosso investimento anterior. No entanto, podemos estar certos, de que se o nosso investimento ou semeadura assentou na nossa nobreza de carácter e numa profunda visão altruísta, então certamente a nossa colheita será proveitosa. Caso contrário, poderemos esperar um momento difícil onde a colheita poderá ser tudo menos prazerosa. Neste caso há que aceitar e reflectir acerca do que efectivamente nos moveu anteriormente e ao preparar a nova semeadura ou investimento, fazê-lo com maior consciência individual e colectiva, pois cada acto, pensamento ou acção, não nos atinge apenas a nós, mas também a todos os seres e a tudo o que nos envolve.

 

Trânsito Numerológico 4 – 6 – 8

O ano 4 (2020) que nos vem testar ao nível da estabilidade, que nos revela as bases e as estruturas sobre as quais assentam os nossos valores e princípios, as nossas vidas e as nossas escolhas, faz um aspecto ou trânsito positivo com esta semana 8, que nos impele não apenas para a frente, mas também para cima, num movimento espiralado e ondulante, levando-nos a dar um salto quântico e portanto bastante rápido.

Os Números 4 e 8 relacionam-se com os elementais da Terra ou Gnomos e por essa razão tudo o que fizermos em amor e por amor à Mãe-Terra e aos seus filhos, será certamente bem-vindo e trazido à vida, devolvendo-nos felicidade e paz interior.

Por outro lado a energia do mês de Fevereiro, governado pelo Número 6, forma um aspecto fluido com o regente 8 desta semana. Através das Águas de 6, poderemos levar as nossas ideias e projectos a bom porto.

Porém, o que for materializado, poderá diluir-se rapidamente se anteriormente não tiver ocorrido uma boa preparação/limpeza, pelo que o 6 nos convida a mergulhar nas suas Águas puras e cristalinas, com intenção de purificar e decantar os nossos estados emocionais densos, negros e distorcidos. Na prática é também um momento de limpeza para o corpo (limpeza de pele, desintoxicação alimentar, etc.) e para os espaços (habitação, local de trabalho, carro, etc.), para que nos possamos preparar para dar forma aos novos projectos ou novas experiências e aprendizagens.

 

Dia 22/02/2020 = 10:1

O 1 empresta uma nova energia para recomeçar o que quer que tenha ficado suspenso. É tempo de rever projectos, ideias, estratégias e/ou planos. É o momento de nos realinharmos com o propósito inicial ou de o reajustar ou melhorar.

O Número 2 aparece repetido cinco vezes nesta data, o que nos remete para um excesso ou domínio dos temas associados ao 2, como é o caso da híper sensibilidade, sobretudo para aquelas pessoas alinhadas na faixa de frequência do 2.

O dia é propenso a conflitos e confrontos, ofensas e mágoas, caso as pessoas não saibam gerir a própria energia, nem tenham consciência de si mesmas, das suas limitações ou das suas capacidades, o que pode desviá-las do propósito mais elevado do 10:1 (regente deste dia) - RECOMEÇAR.

Por outro lado, estarão em foco a necessidade de nos libertarmos das tensões geradas entre os deveres familiares e as obrigações profissionais e o direito ou a necessidade de descansar ou de buscar prazer através do que se faz. O eixo formado pela responsabilidade familiar e pela responsabilidade profissional fará vir à superfície o que precisa ser revelado e visto por cada um de nós, por forma a ganhar consciência das nossas reais necessidades e para que, uma vez conhecedores das mesmas, as possamos suprir.

Um dia de grande aprofundamento que coloca em evidência a polaridade do eixo espírito/matéria.

 

Dia 23/02/2020 = 11:2

Este é um dia com características especiais, dado que o Número 11 imprime um aumento de energia, inspirando-nos de formas inusitadas, levando-nos a revelar o melhor da nossa essência, assim saibamos aproveitar esta fantástica e renovada onda de energia que nos visitará algumas vezes ao longo do ano, interrompendo a sua jornada apenas nos meses de Agosto e Setembro.

Por outro lado a Lua Negra, convidar-nos-á a permanecer vigilantes e silenciosos, dentro e fora de nós, tornando assim este dia numa oportunidade única para meditar e reflectir profundamente acerca de quem somos, do que desejamos manifestar e de qual a melhor forma para o fazer. Devemos estar preparados para receber ideias originais, soluções geniais para problemas recorrentes ou transformar ideias semente em planos e projectos viáveis e exequíveis.

O último registo idêntico verificou-se no passado dia 24 de Janeiro deste ano.

 

 

Eva Veigas

Arcanos & Cia.

Numerologia & Tarot Semanal

Mil Bênçãos no teu Caminho

6 - Regente Numerológico de Fevereiro 2020

Eva Veigas, 19.01.20

“And those who were seen dancing were thought to

Fevereiro 2020 - Um mês governado pelo Número 6

 

Fevereiro é governado pelo Número 6, que representa, entre outros aspectos, a autonomia baseada na maturação do próprio ser que vai polindo o seu interior. As escolhas, neste nível, são mais conscientes, mais claras e mais passíveis de se alinharem com o propósito maior da nossa existência.

 

As escolhas que fizermos durante este período serão decisivas, quer a nível individual e pessoal, quer a nível colectivo. As cartas estão em cima da mesa, os dados foram lançados e qualquer movimento nos colocará em condição de nos libertar para sempre dos nossos medos e limitações ou de nos encarcerar no meio do turbilhão de sofrimento que a nossa condição humana vai gerando e experimentando.

 

É seguramente importante, e esse deveria ser o nosso objectivo principal, sobretudo ao longo deste mês, buscar e colocar harmonia em tudo o que afirmamos, pensamos e fazemos. Essa harmonização de opostos em nós poderá cicatrizar a ferida da divisão interna que todos (poderá haver alguma excepção) carregamos.

 

A figura geométrica que corresponde ao Número 6 é a Estrela de David ou Estrela de 6 pontas. Não nos devolvem as suas formas, uma harmoniosa e perfeita combinação e coordenação das 6 linhas que a compõem?

 

Pode ser um excelente ponto de partida, usar esta representação geométrica como um símbolo de harmonia e de cura interna, ou que, pelo menos, sempre que o observarmos ou nos recordarmos dele, sejamos capazes de avaliar quanto equilíbrio estamos dispostos a receber e a doar nas nossas vidas.

 

O mês de Janeiro deverá ter servido de instrumento para avaliar o nível de caos e confusão instalado no nosso coração e na nossa vida diária. Se soubermos aproveitar o movimento energético das vibrações numerológicas, em vez de nos debatermos contra elas, poderemos ganhar muito espaço para fazer o que precisa de ser feito ou para aceitar aquilo que não podemos alterar e aprender a respectiva lição a partir dessa experiência.

 

Dias em destaque:

02/02/2020 – Fase Lunar Crescente

05/02/2020 – Regente do dia – Número 11

09/02/2020 – Lua Cheia

14/02/2020 – Regente do dia – Número 11

15/02/2020 – Fase Lunar Minguante

23/02/2020 – Regente do dia – Número 11 – Lua Escura

 

Mil Bênçãos no teu Caminho

5 - Regente Numerológico de Janeiro 2020

Eva Veigas, 19.01.20

A imagem pode conter: céu, nuvem e ar livre

Janeiro 2020 - Um mês governado pelo Número 5

 

Janeiro, o primeiro mês de 2020 é governado pelo Senhor da Liberdade - o Gerador da Mudança. O 5 é a soma de 1 + 4 ou de 2 + 3. Neste caso concreto, traduz-se na soma de 1 + 4, sendo que 1 corresponde ao primeiro mês do ano e 4 corresponde à redução teosófica do ano 2020.

 

Assim, falamos da Unidade, o indivisível, o Uno, aquilo que é completo e que se associa à natureza do quadrado (2x2). O Número nobre, Senhor dos Deuses associa-se ao Senhor da Ordem. O 1 e o 4. O ponto e as 4 direcções (Norte, Sul, Este, Oeste). 1 + 4, sendo o 1 o quinto Elemento, o elemento que liga todas as coisas na natureza. Assim chegamos ao pentagrama, ou estrela de cinco pontas, cuja simbologia é por demais interessante e rica em variadas informações.

 

Para este efeito centrar-nos-emos no significado numerológico do Número 5, para nos ajudar a melhor entender de que forma podemos usar a informação contida nesta vibração na nossa vida diária.

 

Para começar o 5 representa união, coesão, elo de ligação com todos os elementos presentes na natureza para que as forças da natureza se mantenham em equilíbrio. Neste sentido o 5 é uma força criadora e edificadora.

 

Caso algo perturbe este sensível equilíbrio tudo o que foi construído facilmente se desmoronará e as forças que outrora serviam a criação depressa se converterão em forças destruidoras. Porém, não devemos temer este processo, pois a Natureza, através dos seus intermináveis ciclos têm-nos ensinado acerca da impermanência das coisas, da vida e de todos os seres vivos.

 

O facto é que este mês tanto nos pode trazer esse equilíbrio como nos pode atirar para o meio do caos.

No primeiro caso devemos aproveitar esse momento e usufruir dessa oportunidade para podermos colaborar conscientemente com o propósito da nossa alma.

No segundo caso deveremos apostar na aprendizagem que podermos tirar de uma situação mais difícil, complicada ou mesmo aparentemente impossível de contornar.

É ante este cenário que poderemos colocar à prova tanto daquilo que afirmamos ser e acreditar.

 

 

Dias em destaque:

03/01/2020 – Fase Lunar Crescente

06/01/2020 – Regente do dia – Número 11

10/01/2020 – Lua Cheia – Eclipse Lunar

15/01/2020 – Regente do dia – Número 11

17/01/2020 – Fase Lunar Minguante

24/01/2020 – Regente do dia – Número 11 – Lua Escura

 

 

Mil Bênçãos no teu Caminho

Outubro 2019 - Regente Numerológico 22:4

Eva Veigas, 03.10.19

dreamstime_s_36222151.jpg

 

Outubro 2019 - Regente Numerológico 22:4

Essência do Mês: 9

Ponto Forte: 13:4 //|||\\ Ponto Fraco: 5

 

Outubro de 2019 tem como regente o Número 22, um Número Dobrado que nos remete de imediato para as forças presentes no Número 2, seus atributos e qualidades, bem como, ainda que não imediatamente percetpível, para aquelas presentes no Número 4, por conta da redução teosófica do Número 22 (2+2=4).

 

O Número 2 está relacionado com a força Yin na Natureza e seus aspectos passivos, negativos e receptivos. “Chamo a atenção para a questão do termo “negativo” que neste contexto nada tem a ver com algo de mau, mas antes com o contraste com o positivo, como no caso dos iões com carga positiva e negativa, entre muitos outros exemplos que poderíamos dar.

 

O Número 2 fala-nos de sensibilidade e sabedoria, de paciência e de diplomacia, da capacidade de harmonizar forças contrárias e, em alguns casos até, de neutralizar os efeitos adversos de uma qualquer contenda. É da sua natureza acalmar, dialogar, serenar, compreender (ou pelo menos tentar) a visão, ideia ou opinião de cada um, para posteriormente ajudar a chegar à escolha de uma solução que sirva o bem comum.

 

Ora, no caso deste mês, observamos o Número 2 em duplicado, pelo que esses atributos ou qualidades estarão também elas, evidentemente, dobradas, intensificadas, ampliadas.

 

No caso do 4, que é o Número que condensa este 22, falamos de vibrações que sustentam as forças que promovem a ordem, a organização, a disciplina ou o pragmatismo.

 

Deste modo podemos falar de um momento (ou de um período que corresponde mais ou menos ao mês de Outubro), que desenha precisamente a conjuntura actual – a qual é mega desafiante, uma vez que o Número 22 se ocupa da criação, manutenção e finalização de superestruturas e empreendimentos de grande envergadura em qualquer área de vida, desde a pessoal à profissional, passando pela familiar ou outras.

 

Seja qual for o desafio que estejamos a passar, há-de ser complexo e desestruturante para a maioria de nós. Daí que as forças presentes ao longo do mês sejam necessariamente aquelas que nos poderão ajudar a atravessar momentos caóticos, criando a possibilidade de nos elevarmos acima dos próprios dramas pessoais. É importante enfatizar que por vezes o caos é apenas aparente ou fruto da nossa incapacidade de perceber a realidade além da ilusão dos sentidos.

 

Mas como poderemos elevar-nos acima do drama pessoal e do turbilhão de emoções que nos rodeiam e que vamos criando e alimentando dentro do nosso ser?

 

Criando novos alicerces, novas estruturas (na verdade o que está em causa é a manifestação de pseudo estruturas internas e complexas) ao nível do foro psíquico, intuitivo e mesmo físico, por conta da vibração 22 que trabalha especificamente com questões de fundo da nossa personalidade, com os problemas que estão na base das nossas incapacidades, dos nossos limites (sobretudo dos limites autoimpostos ou impostos por terceiros), com o nosso desenraizamento, com a nossa crença de estarmos sós diante das dificuldades e assim por diante.

 

Por outras palavras, esta vibração 22, permite o renascimento da nossa essência, desde que haja permissão e colaboração interna, para queimar o velho invólucro da personalidade, a velha e gasta manta da lógica, o puído e rasgado casaco da mente que vai costurando limites de todos os tipos, bem como todos os restantes andrajos que são apenas restos, ecos de uma crença ultrapassada, mas que não queremos largar, tal é a força do hábito a que nos agarrámos.

 

Estamos dependentes diz o 2, mas o que ele pede é colaboração e não dependência, pede empenho e firmeza e não vitimização, pede consciência e entrega ao projecto vida – o nosso próprio projecto, pede cooperação e não servilismo, pede que nos finquemos na nossa sabedoria interna e paremos de andar à mercê daquilo que os outros apregoam como a verdade. Porque Verdade há só uma e essa ainda está longe de ser compreendida por cada um de nós, dada a nossa condição humana.

 

É preciso paciência, e muita, portanto aproveitemos a boleia deste 2 dobrado, deste 22 que nos indica um caminho um pouco austero, um pouco rigoroso, para muitos, pois ele implica autodisciplina, método, organização pessoal, criação de horários e de limites saudáveis que não comprometam o nosso crescimento, mas que também não danifiquem as nossas relações interpessoais.

 

Equilíbrio diz o 2, lembrem-se do fiel da balança, aquele ponteirinho (no caso das antigas balanças) que revela o equilíbrio entre os dois pratos caso os pesos sejam iguais em ambos os lados. É preciso equilibrar todos os aspectos da nossa vida, para que ao caminhar pela vida, a nossa passada seja firme e não como a de um coxo, que precisa de se apoiar na sua bengala, caso contrário poderá cair.

 

A velha e gasta fórmula que usamos para viver (ou melhor, sobreviver) já não funciona, nem se coaduna, com a nova consciência que se agita desde o mais fundo de nós.

 

Podemos tentar ignorá-la, olhar para o lado, fingir que não sentimos esta nova sensação/abertura/luz/consciência a formar-se dentro do nosso coração, mas na realidade uma consciência que está despertando, que está questionando, que está olhando para dentro de si mesma, não pode deixar de olhar para fora com uma nova visão, mais ampla, mais abrangente.

 

Não será de estranhar ver tudo mais aumentado, pois recordo que as frequências do 2, neste caso, se encontram dobradas.

 

A única coisa que nos pode impedir de emergir desde os nossos próprios escombros é a preguiça (um atributo do Número 4, quando aqueles que são governados (a vida toda ou temporariamente) por esta potente frequência, se encontram sem norte e com a consequente falta de foco. Isso origina uma clara perda de rumo na vida, um abandono às circunstâncias, sendo essa uma bela desculpa para justificar a sua incapacidade, limitação ou mesmo falta de “sorte” na vida.

 

O Número 22 está presente para que todos aqueles que estejam prontos a abandonar a sua posição de vítimas, possam agora segurar firmemente o leme do seu barco, ajustar as velas e rumar em direcção ao Sol nascente, onde a luz da consciência os aguarda para os erguer acima da sua condição mesquinha, pequena e débil, assumindo de uma vez o seu lugar no mundo.

 

Um lugar que certamente será único, pois único é cada um de nós. Aqueles que se permitirem abrir ao novo, ao desconhecido, à mudança produzida por estes novos tempos, terão a possibilidade de crescer e de se transformar rapidamente, pois tudo está acelerado e vibrando numa cadência que se intensifica a cada momento. A própria quantidade de seres que vão despertando contribui para a intensificação acentuada dessa vibração.

 

As cordas que vibram dentro de nós ressoam por identificação com as cordas cósmicas que nos lembram aqui e ali quem somos, o que viemos aprender aqui, que contributo viemos dar a esta dimensão espácio-temporal, que esta experiencia é efémera, que o invólucro material é perecível, que nada começa e nada termina, que tudo se move e nada é para sempre.

 

O ponto mais elevado da vibração 22 deste mês é governado pelo Número 13, cuja redução teosófica é também um 4, pelo que tudo o que foi referido anteriormente, encontra aqui uma poderosa certeza de que este é um período em que podemos/devemos deitar mãos à obra, colocando as mãos na massa para ajudar a transformar/transmutar os velhos andrajos num manto dourado com manchas purpúreas, símbolo de sabedoria, nobreza e consciência profundamente elevada.

 

O Número 13 implica que saibamos usar a nossa mestria pessoal. Empenho e dedicação, compromisso e objectivos definidos, devem ser a base das nossas acções, pensamentos e modo de vida.  

 

Aqueles que não se encontram alinhados com estas forças, que lhes resistem ou tentam impor as suas visões catastróficos, tornando-se agentes intensificadores do medo e espalhando o terror à sua volta, estarão em sintonia com o ponto mais baixo ou denso da vibração deste mês que é o Número 5.

 

Neste caso concreto, e devido à posição que ocupa neste momento, no mapa numerológico, o 5 aparece aqui como representante do verdadeiro desequilíbrio das forças naturais, provocando desastres, caos, confusão, conflito, rupturas de ordem vária, acidentes, especulação, mentira, devassidão, etc.

 

Evidentemente, e mais uma vez reitero, a escolha é nossa a cada momento. A escolha deve ser feita de forma consciente, colocando todas as cartas em cima da mesa, analisando os prós e os contras de cada situação, bem como de todos os envolvidos.

 

No final só o bem maior, aquela que sirva o bem comum, deverá prevalecer e enquanto isso não se verificar, continuaremos a ver, a viver e a experienciar todo o tipo de histórias desagradáveis.

Na sua essência, este 22 transporta consigo as qualidades da mais elevada vibração numerológica – as do Número 9.

 

O 9 é o Número que sintetiza toda a série de Números anteriores a si, incluindo ele mesmo. É portanto um Número soberano, que representa o início do regresso à Fonte ou Origem de toda a Causa.

 

É o Número do Sonho, mas também é o da Manifestação. É o Número que representa o final de um ciclo, mas que transporta em si mesmo a semente do novo. É como se estivesse permanentemente prenhe de si mesmo. É a morte e a renovação. É o eterno ciclo de Nascimento, Vida, Morte, Desmaterialização, Regresso à Origem, Fecundação, Nascimento…

 

Assim é o Número que representa a essência perfumada deste 22 que promete desfazer para renascer… qual Fénix renascida das cinzas!

 

Mil Bênçãos te cubram

Eva Veigas

Mil Bênçãos no teu Caminho