Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Dúvida

Eva Veigas, 30.08.20

Dúvida - Estado mental comum no indivíduo que se mantém polarizado nos níveis psicológicos do seu ser.

 

Nos planos abstractos - regiões da consciência além da mente analítica e dedutiva - é impossível duvidar: ali se sabe o que é exacto e verdadeiro para cada momento, por se estar em contacto com a essência.

 

A dúvida não é parte do ser; tem origem em forças externas que podem introduzir-se nele e estimular desarmonias. Muitos encampam na sua aura dúvidas provenientes do psiquismo colectivo e, sem o perceberem, alimentam-nas.

 

Enquanto circulam no campo mental do indivíduo, as dúvidas geram vibrações que corroem as bases nas quais se firma o seu desenvolvimento interior. Por isso, ao surgirem, devem ser prontamente esclarecidas ou, conforme o caso, rejeitadas pela afirmação da verdade e, em seguida, dissolvidas - o que se consegue com a abertura plena da consciência para níveis de realidade além dos conceitos.

 



"Se buscais a luz, entregai-vos a ela. Não vos iludais - é preciso firmeza e fidelidade. As chaves de poder serão entregues aos que cruzarem o Portal. Que os servidores caminhem; que reconheçam o valor da entrega, que amem verdadeiramente e penetrem a Chama. É chegado o momento."



Glossário Esotérico

Chakra

Eva Veigas, 21.11.19

Termo sânscrito que significa roda ou centro. Existem 7 chakras principais que actuam e estão directamente ligados ao corpo físico. Existem no entanto milhares de chakras, mas há 7 principais ou essenciais: Sahasrara, Ajna, Vishuddha, Anahata, Manipura, Svadhisthana e Muladhara. Estes correspondem ao topo da cabeça, plexo cavernoso, plexo laríngeo, plexo cardíaco, plexo solar, plexo pélvico e plexo sagrado, respectivamente.

Os 7 chakras essenciais encontram-se distribuídos ao longo da coluna vertebral. Têm assim diferentes correspondências com o nosso corpo físico: plexos nervosos, glândulas endócrinas, órgãos e suas funções, sentidos, etc.

Os chakras são invisíveis a olho nu. Quem os detecta ou vê, diz que se parecem com flores, com centro e pétalas.

Estas rodas ou centro energéticos são receptores, transformadores e distribuidores de energia e actuam como verdadeiros portais que abrem a consciência.

Quando os chakras se encontram suficientemente purificados a Kundalini pode acordar e animar os Chakras Maiores.

Karma

Eva Veigas, 22.05.19

Pedro Kummel.jpg

Imagem: Pedro Kummel

 

Karma

 

Karma (ou Carma) é uma palavra do sânscrito que significa Acção. Este termo religioso é usado nas doutrinas budista, hinduísta e jainista. A Teosofia, o espiritismo e o movimento New Age adoptaram este termo para traduzir as acções levadas a cabo pelo homem e as suas respectivas consequências.

A lei do Karma diz que, toda a acção tem uma causa e que cada acção provoca uma reacção à qual é impossível escapar.

Portanto a Lei do Karma é a Lei da Acção e da Reacção. É interessante fazer aqui referência à analogia entre a Lei do Karma e uma das Leis da Física, que diz que “ Para toda a acção existe uma reacção de força equivalente em sentido contrário (…)”. Encontramos esta lei no 3º ponto do Sistema de princípios de Sir Isaac Newton (1642-1727).

Podemos concluir, que toda e qualquer acção levada a cabo pelo Homem, terá sempre como consequência uma reacção de igual intensidade.

Neste caso, para toda a acção efectuada pelo Homem ele pode esperar uma reacção. Se praticou o mal então receberá de volta um mal em intensidade equivalente ao mal causado. Se praticou o bem então receberá de volta um bem em intensidade equivalente ao bem causado.

Dependendo da doutrina e dos dogmas da religião discutida, este termo pode parecer diferente, porém a sua essência foca sempre as acções e as suas consequências.

No budismo, Kamma ou Karma é a palavra para "acto" ou "acção", e nesse sentido usa-se a palavra em textos mais antigos para ilustrar a importância de desenvolver atitudes e intenções correctas. Considera-se que por gerar karma os seres encontram-se presos ao samsara, e portanto a última meta da prática budista é extinguir o karma.

Sob esta perspectiva, deixa de haver injustiça, culpa e castigo, já que tudo o que acontece de mal ou de bem na nossa vida não é mais do que a lei do equilíbrio energético em acção.

É com base nesta premissa que surge o Tarot Karmico, como um aliado na edificação no nosso ser, o qual após ganhar consciência e distanciamento emocional relativamente às suas práticas, pode, a partir desse momento, escolher em total consciência uma conduta mais adequada ao ao seu novo nível de desapertamento interno.

 

Eva Veigas

 

Números-Mestre

Eva Veigas, 22.08.17

Um Número Mestre é um Número Repetido ou Dobrado, e por essa razão ele contém em si mesmo o poder ou as características, não apenas de um dado Número-Símbolo, mas desse Número-Símbolo repetido, o que faz com que a sua potência seja levada para um outro patamar, onde apenas vibram altas-frequências.

 

Quanto mais elevada é a frequência, mais subtil é a sua vibração e quanto mais subtil, mais rápida, intensa, dirigida, e forte se torna. Por outro lado, ela é menos detectável para os seres cuja vibração cria uma dimensão  densa, carregada, negativa, que é, naturalmente, mais lenta, mas nem por isso menos poderosa ou capaz de criar e gerar energia. A diferença está, evidentemente na qualidade das respectivas criações geradas por uma e outra frequência.

 

Esta é uma das razões pelas quais determinadas pessoas não conseguem aceder a este tipo de vibração elevada, mesmo que ela conste do seu próprio mapa natal.

 

Muitas vezes, o grande ego do ser humano, fica muito feliz por detectar que o seu mapa numerológico natal está repleto de Números-Mestre, mas isso não significa que ele consiga expressar saudavelmente a sua capacidade de amar, emitindo e recebendo luz de forma intensa e total, co-criando com a Deusa a cada momento, usando essas altas-frequências ao mais alto nível, pois o ego inferior encontra-se, não raras vezes, às voltas com situações mesquinhas por resolver, as quais teima em ignorar.

 

Sem prestar atenção à sua verdadeira história, seguindo em frente com os seus caprichos os seres humanos habituaram-se a criar e a manter uma imagem o mais perfeita possível de si-mesmos, da qual têm enorme dificuldade em se libertar.

Nesses casos é sempre preferível começar por usar e aplicar um lema que eu mesma adoptei desde cedo na minha vida: "Conhece-te a ti mesmo e conhecerás todo o universo e os deuses, porque se o que procuras não achares primeiro dentro de ti mesmo, não acharas em lugar algum.".

 

É importante ir ao encontro do essencial em nós, conhecer a nossa essência, conhecer a parte de nós mais subtil, mais poderosa e perfumada, mais potente e mais criativa, mais dinâmica e mais estranha (desconhecida) para nós.

 

Conhecendo a parte essencial, é possível abrir novas portas que nos levarão a tomar contacto com outras partes de nós que desejamos veementemente que não existam pois queremos muito acreditar que não somos também aquele lado negro. Porém, é adentrando esse portais da sombra que podermos iniciar a verdadeira transformação, aquela que um dia nos levará ao verdadeiro caminho do discípulo onde o verdadeiro poder que reside em nós poderá finalmente emergir. Conhecendo o nosso próprio poder poderemos usá-lo e usando o poder pessoal poderemos aceder a todo o potencial interno e vivê-lo, expressá-lo na sua plenitude, aplicando-o ao máximo nesta encarnação.

 

Esse poder pessoal, na maior parte das vezes ainda em potencial, encontra-se encriptado e gravado nos nossos corpos (no equipamento que foi cuidadosamente gerado para virmos à presente encarnação). Recorrendo à Numerologia é possível decifrar partes desses complexos códigos através do estudo de um mapa numerológico natal.

 

Sempre que falamos de Números no contexto da Numerologia, referimo-nos a um conjunto infinito de símbolos que representam um código, muitas vezes indecifrável pela sua imensa complexidade, pois a forma como estes símbolos interagem entre si, revelam uma estrutura dinâmica, profundamente intrincada em constante movimento no grande caldeirão cósmico.

 

Estes códigos podem ser detectados em diferentes conjugações de números, como por exemplo uma determinada data, uma matrícula, um nome (cujas letras se convertem em números-símbolo sempre que precisamos de o decifrar para obter uma melhor compreensão acerca daquele que o usa), ou uma qualquer palavra ou som do qual queiramos extrair a essência.

 

Um Número-Mestre representa, na sua essência, características muito próprias e específicas mudando apenas o grau de força e expressão de acordo com a posição que ocupa no mapa numerológico natal ou de acordo com o ponto a partir do qual o observamos.

 

No caso do mapa numerológico natal podemos observar um número-mestre na posição do dia de nascimento e outro na posição do mês, por exemplo, e isso tem uma determinada leitura.

 

Mas há outros exemplos. Se observarmos um número-mestre repetidamente nas horas ou nos minutos, uma coisa é ver 22h22m, outra é ver 22h seguido de qualquer outro número que indica os minutos, e outra ainda é ver qualquer hora seguida de 22m. 

 

Enfim, os exemplos seriam muitíssimos e não interessa aqui referi-los, o que importa é conhecer a essência do número enquanto símbolo. Para esse efeito é necessário antes de mais conhecer em profundidade o essencial de cada Número de 1 a 9, só então poderemos avançar para o estudo dos Números-Mestre.

 

Eva Veigas

 

Letra A

Eva Veigas, 20.06.17

A.jpg

 Credits: https://www.etsy.com/shop/EmilyBalivet

 

A letra A corresponde ao Número 1. No alfabeto hebraico ela é Aleph cujo símbolo é "Touro".

 

A letra A como pedra basilar do nome representa força, saúde, vitalidade, vida longa, abundância, poder de decisão, determinação, reacção ou resposta rápida a situações inopinadas e rectidão.

 

Dois traços, como dois pilares oblíquos são amparados por um traço horizontal a meio que nos devolve a imagem de um certo equilíbrio, deixando transparecer também certa verticalidade; a ligação no vértice superior que aponta para o alto está assente nos dois pilares bem ancorados na terra. A energia (semente) que vem do alto (do céu) desce pelos pilares em direcção ao mundo da matéria e da forma (à terra). Essas sementes trazem em potencial novos ideais e ideias originais, os quais precisam de cuidado para poderem germinar e florescer, materializando-se em sucessivas formas.

 

Assim, as pessoas que possuem a letra A no início do nome são geralmente ricas em ideias originais, porém, e dependendo das restantes letras do nome e de muitos outros elementos numerológicos presentes no seu mapa natal, poderão ficar face a face com diferentes dificuldades (umas mais complicadas que outras) no que toca à concretização dos seus ideais.

 

É importante que manter uma postura humilde pela vida fora,sobretudo se a letra A estiver presente em grande número, ou caso estejam presentes no nome outras letras que correspondam igualmente ao Número 1, como é o caso das letras J e S. (Há ainda outras letras que conjugadas com esta também poderão tornar a pessoa tendencialmente mais autoritária, arrogante ou prepotente em relação às outras pessoas.)

 

No entanto, as pessoas cujo nome começa por esta letra revelam grande dinamismo e criatividade, são ambiciosas, fortes e auto confiantes. São enérgicas e possuem forte capacidade de iniciativa. São ainda muito assertivas e habitualmente exprimem-se de forma clara e directa, e em alguns casos, até, de forma um pouco rude.
Geralmente são mais racionais do que emotivas e costumam ser teimosas.

 

Quando alinhadas com os seus propósitos de vida, estas pessoas passam a usar a letra A de forma positiva, e frequentemente, encontramos associada a esta letra, líderes, pessoas capazes de mostrar e abrir novos caminhos, administrar e começar coisas novas com autoridade e coragem.

 

Como o seu pensamento é ágil beneficiam de grandes quantidades de inspiração para as suas ideias, portanto, o portador desta radiosa letra deve aprender a usar e a emitir esse brilho para a sua própria evolução.

 

Estas pessoas possuem um sentido de independência e originalidade bastante desenvolvido e portanto é natural que a sua ambição os leve a querer alcançar sempre o primeiro lugar em tudo o que fazem. Gostam de estar na ribalta e apenas têm de ter cuidado para não se deixarem cair nas armadilhas da vaidade, do orgulho e da arrogância.

 

 

 

Número 32

Eva Veigas, 23.05.17

32.png

 

O Número 32 lembra-nos da necessidade de agarrarmos as rédeas da nossa vida. Por vezes, é mais fácil, deixar as decisões difíceis para as outras pessoas, responsabilizando-as pelas nossas próprias vidas, dada a nossa inexperiência, medo e dificuldade de lidar com as consequências dos nossos actos. Essa é a atitude de quem vira as costas ao desafio e prefere ficar estagnado à espera que a vida aconteça.

Como se isso não bastasse ainda cobra dos outros aquilo que ele mesmo não tem capacidade de resolver.


Portanto o 32 amassa-nos, esmaga-nos com o seu peso, propositadamente, para que aprendamos a lidar com a realidade do dia-a-dia, para que fiquemos diante daquilo que mais nos amedronta e possamos de uma vez por todas, dar o salto de fé, atingindo fronteiras desconhecidas.
É preciso ser preserverante e treinar a autoconfiança para sair do mundo letárgico onde nada acontece.

Número 35

Eva Veigas, 22.05.17

35.png

 

O Número 35 apela a continuar o trabalho do "eu interior", a investir na nossa busca pessoal, a reconhecer e activar as forças ocultas internas.
A mente deve permancer activa, aberta, em constante processo criativo. Não devemos fechar as portas a nenhuma possibilidade, pois as soluções estão dentro de nós, prontas para emergir e se manifestarem diante de nós.
Cabe-nos o papel de as vivificar, de as usar em prol da nossa própria progressão individual. Este é um momento de crescimento e expansão, de mudança e de apelo ao novo, mas é necessário grande equilíbrio a nível emocional. É preciso aprender a ser paciente, a desenvolver essa virtude e a permancer sereno diante de qualquer obstáculo do Caminho.