Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia, Arcanos & Cia. by Eva Veigas

Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência

Numerologia, Arcanos & Cia. by Eva Veigas

Numerologia, Tarot e Xamanismo ao Serviço da Expansão da Consciência

Propósito e Missão

Eva Veigas, 04.03.20

Eva (2).jpg

Eva Veigas

Arqueóloga da Alma

 

Saudações! Sejam muito bem-vindos a este lugar e a este tempo!

 

Apresento-vos o espaço de divulgação do meu trabalho.

Disponibilizo consultas online de Numerologia e Tarot no âmbito do desenvolvimento pessoal tendo em vista o nosso auto-conhecimento: quem somos; porque estamos aqui; quais as nossas maiores qualidades ou melhores características e como as podemos desenvolver, melhorar e refinar; de onde vêm ou qual a origem das nossas aptidões e dons inatos; quais os maiores desafios ou obstáculos a superar ao longo da presente existência e qual a postura ou atitude que podemos adquirir, para o fazer; qual é o verdadeiro anseio da nossa alma; que peso e influência tem em nós, e na nossa vida quotidiana, a nossa história familiar; entre muitas outras questões que podem ser abordadas neste género de sessões.
 
Cada sessão tem uma duração de 2 horas.
 
As sessões são online, telefónicas ou presenciais. (As sessões presenciais não se realizam, neste momento, devido à pandemia. Serão reactivadas assim que estejam reunidas as condições para as levar a cabo em segurança).
 
Antes de agendar a sua sessão comigo, deverá ler os Termos e Condições.
 
 
 

Sobre mim

Utilizo diversos instrumentos e ferramentas, como a Numerologia, o Tarot ou o Reiki e a Cura Xamânica, para "descobrir" (colocar a descoberto; destapar) os tesouros e artefactos internos que vão ficando enterrados dentro de cada um de nós, por via de experiências negativas ou traumáticas, desta ou de outras vidas.
 
Junto dos nossos tesouros e riquezas, estão também os nossos receios, os fantasmas e as memórias dos passado, que nos assombram constantemente e nos amedrontam ao ponto de não fazermos uso dos nossos recursos interiores, os quais, não só nos beneficiariam, como, muito provavelmente poderiam melhorar e elevar as vidas de outras pessoas.
 
Essas arcas cheias de tesouros, ocultadas por caixotes onde impera o medo e a desesperança, a zanga e o desespero, a raiva e a procrastinação, entre outros impedimentos, como, por exemplo,o sistema de crenças negativas que subjaz a todo esse processo, precisam de ser desenterradas.
Porém, tal como um arqueólogo, que se acha diante de uma descoberta incrível e que não pode alcançar o tesouro, sem antes remover, cuidadosamente, cada objecto, o pó, as teias de aranha, e por vezes até ter que dar umas marteladas para partir alguma pedra ou parede que bloqueia o acesso ao tesouro, também nós - através de um trabalho conjunto entre aquele que busca a ajuda e aquele que tem o recurso para ajudar - precisaremos dessa paciência, dessa minúcia, desse empenho, dessa persistência, entre outras características igualmente importantes, para alcançarmos o seu tesouro interno - o coração - o Amor, onde está inscrito tudo o que precisamos saber para que a nossa alma se cumpra.
 
Os instrumentos ou ferramentas de trabalho de que disponho aliados ao meu Coração, cujas raízes se encontram na Terra e no Céu, que o nutrem a cada inspiração, são o que tenho para oferecer. O grande motor de toda esta engrenagem é sem dúvida o Amor que carrego no meu peito e que por sinal, me fez seguir um caminho inesperado, desviando-me da normalidade de uma qualquer outra profissão, mais aceitável aos olhos da sociedade.
 
Foi precisa coragem e bravura para me ir conhecendo e aceitando e para remexer na minha própria estrutura, foi preciso escavar em mim (e continuo a fazê-lo), para me tornar capaz de ajudar outras pessoas a fazer o mesmo. Foi preciso largar o meu medo, foi preciso partir muita pedra para conhecer um pouco mais de mim, foi preciso atravessar um caminho escuro, cheio de sombras e cheiro a morte, para alcançar a luz do outro lado da parede. Foi preciso ser arqueóloga de mim mesma (não sem apoio de pessoas muito qualificadas, aqui e ali) para alcançar as minhas próprias riquezas internas.
 
Aprendi a aceitar a minha intuição, a validar minha capacidade de ler através das aparências, entre outras capacidades que descobri que tinha. A isto aliei a minha ética e os princípios e valores que defendo e dos quais não abdico, já que eles são, não apenas a base onde o meu trabalho com os outros assenta, mas, e acima de tudo, os alicerces que sustentam toda a minha vida.
 
Por estas e outras razões, considero-me, em tom de brincadeira, uma arqueóloga da alma.
 
E, tal como diria Herman Hesse: "Nada lhe posso dar que não exista em si. Não posso abrir-lhe um outro mundo de imagens, além daquele que existe na sua própria alma. Nada lhe posso dar senão a oportunidade, o impulso, a chave. Eu ajudá-lo-ei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo."
 

 

Não me defino pelo que faço, nem pelo que sou.

Sou tudo e não sou nada.

Sou grande e sou pequena.

Sou Sol e sou Lua.

Sou Fogo e sou Água.

Sou Sombra e sou Luz.

Sou Terra, Sou Mar, Sou Fogo, Sou Ar Sou Filha das Estrelas e do Povo do Mar.

Sou feita de Sonhos e de Memórias Busco Segredos e não Vitórias

Não tenho Idade nem Cor.

Sou Eternidade e Amor.

Sou Espírito que pulsa em mim.

Doce fragrância de Jasmim.

Sou Eu, Sou Tu, És Eu.

SOMOS NÓS.

 

 

Mil Bênçãos no teu Caminho