Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Análise Numerológica 2021 - Ano 5

Eva Veigas, 02.02.21

Deusa.jpg

Ano Universal 2021

 

Regente Numerológico 5

O Destruidor de Mundos ou da Ilusão

(Aquele que destrói para reconstruir em consciência)

 

 

O regente numerológico do ano 2021 (ano universal) corresponde à vibração Número 5. Sendo o 5 o Mestre da Liberdade, da Integridade e da Mudança, precisamos de olhar atentamente para este ano e para os dígitos que o compõem.

O ano universal tem uma influência geral e secundária no mapa numerológico pessoal e é calculado de acordo com o calendário oficial. Lembrando que há outros calendários e que não há verdades absolutas, no que a este assunto diz respeito, e que, se considerássemos todas as variáveis da Numerologia e todos os calendários conhecidos, tornar-se-ia impossível usar as suas Leis, com o intuito de ajudar aqueles que buscam nesta ferramenta uma fonte de inspiração e conhecimento.

Para obter uma leitura profunda e mais definida sugere-se a Consulta de Numerologia: Progressão – Orientação Anual (Ano Pessoal e Trânsitos Numerológicos). Relembro que são os anos pessoais que desvelam a proposta particular que cada ano nos apresenta, juntamente com os seus desafios, impulsos, estímulos e inspiração.

 Os primeiros dois dígitos do ano universal simbolizam a essência do século, que neste caso é representado pelo Número 2 (redução de 20), enquanto os últimos dois dígitos individualizam o ano dentro do século, representado pelo Número 3 (redução de 21).

Somando estes dois Números (2+3) obteremos o Número do Ano Universal que é, como já referi o Número 5.

 

Este ano é de suma importância, dado que ele representa a ponte entre o passado e o futuro de cada indivíduo.

 

Mais concretamente, o número 5, aqui como governante ígneo de 2021, indica o lugar em que nos encontramos nessa mesma ponte, esse lugar de transição entre mundos, realidades ou consciências.

 

Atrás de nós existe um caminho percorrido, onde diversas sementes foram espalhadas (umas cuidadosamente depositadas na terra, outras largadas ao vento…). Muitas escolhas foram feitas; atitudes foram tomadas; comportamentos e gestos foram repetidos, uma e outra vez; paixões, desejos, vontades, e necessidades foram sentidos e/ou experimentados; emoções foram vividas, reprimidas ou libertadas.

 

Estes aspectos deverão ser levados em conta, ao longo de todo o ano, a partir de uma plataforma de observação o mais isenta e objectiva possível, com vista à obtenção de uma maior e mais ampla visão.

 

Diante de nós existe um caminho por percorrer, um caminho totalmente desconhecido, totalmente novo, porém turvado pela poeira do tempo que ainda não foi vivido, pelas experiências que ainda não foram por nós revestidas nem usadas.

 

O 5, com as suas características de Fogo, entre elas a impetuosidade, a excitação (dos sentidos ou gozo espiritual), o ardor, o entusiasmo, a fogosidade, a exaltação, o arrebatamento e a versatilidade, encontram-se aqui bastante acentuadas, o que de certa forma, determina o caminho que cada qual irá escolher ao longo deste ano.

 

Em 2020 (ano 4) as estruturas, em todos os níveis que conhecemos foram abaladas de forma visível, impactante e sem margem para dúvidas. Esse processo de desmoronamento já vinha acontecendo há vários anos, todavia aguardava o momento perfeito para se manifestar, para se materializar, não fosse o 4 o representante da Matéria, sob o domínio do seu Elemento Terra.

 

Ora 2021, sendo um ano 5, também representa o desmoronar de tudo o que agora está assente sobre alicerces altamente instáveis, os quais, como se pressupõe, serão facilmente quebráveis e acabarão por cair e desmembrar-se. O número 5 também significa destruir, desconstruir, desmontar (no todo ou em parte) algo que agora, através de uma observação plenamente consciente, compreendemos que precisamos deixar ir. Precisamos desmaterializar (retirar a matéria que está minada, contaminada pelos desequilíbrios e distorções produzidos pelo nosso ego/mente). Precisamos ainda, de deixar cair muitas construções podres, antes de iniciar a verdadeira limpeza entre os escombros. Quem tentar limpar (quem tentar queimar etapas vitais) antes que este tumultuoso processo esteja completo, arrisca-se a ficar sob o peso dos escombros, dos restos, dos lixos, daquilo que os outros não querem e descartam…

 

É melhor deixar cair tudo o que precisa de cair, e depois, deixar assentar a poeira, para que a visão e o discernimento estejam mais claros, e então sim, dar início ao duro, mas tão necessário processo de limpeza interior/exterior.

 

O Fogo há-de queimar e incinerar todos os processos mentais que estão a impedir a consciência, de irromper desde dentro de cada ser humano. Assim cada um de nós faça a sua parte! É imperioso despertar, assumir de uma vez por todas a nossa quota parte de responsabilidade, por todas as acções ou inacções, por toda a negligência e cruzar de braços, diante de tantas situações tão graves.

 

O Fogo há-de queimar e há-de doer, no exacto local onde cada um de nós precisa de restaurar a energia, para que possamos ver o que precisa ser feito para o nosso próprio bem e para o Bem Maior. Não há Bem Maior do que a Vida! E essa perdurará de qualquer forma. Porque a vida sempre encontra um caminho para se manifestar e não depende de nenhum humano controlador ou manipulador para o fazer.

 

 

Mudança

 

Mudança é a primeira palavra-chave que escolhi para ilustrar a proposta deste ano 5.

Em 2021, precisamos de saber para onde estamos a dirigir o nosso foco, aquele que nos levará a fazer mudanças radicais, porém vitais, para que o novo paradigma possa vibrar no coração de cada homem e de cada mulher, manifestando-se gradualmente no coletivo. A mudança de mentalidade é urgente e só a convergência de muitos seres responsáveis e conscientes poderá fazer alguma diferença real, caso contrário, pode estar em causa a preservação da nossa espécie (se é que já não está).

Não é sonegando direitos, compactuando com a corrupção, com o desgoverno e com toda a espécie de mentira que chegaremos a bom porto. Há que olhar e ver, ouvir e escutar, tocar e sentir, permitindo que o nosso coração e a nossa mente se fundam, num só. Precisamos de ambos para transformar as matérias grosseiras em energias mais elevadas.

 

Os nossos pensamentos originam formas, que são depois revestidos de matéria, de onde surge a materialização dos desejos, sonhos, construções mentais, etc. Precisamos de aprender a sustentar, apoiar e embeber esses pensamentos em Amor (aquele Amor que a maioria apregoa, mas que não faz ideia do que se trata). As nossas acções precisam de ser gizadas em prole da Vida e do Respeito pela Natureza. Elas devem ter origem num ninho de Verdade e Bondade, de Cooperação e de Integridade, de Liberdade e de Confiança.

 

Sentimentos elevados e nobres geram formas-pensamento de alta qualidade, os quais direccionados para o Bem, resultam em Acções correctas que beneficiam o Todo.

 

 

Integridade

 

Para mudar precisamos de agir, e como é sabido, as acções ou os gestos falam mais alto do que as palavras. Pessoas muito palavrosas nem sempre são as que mais agem, pelo contrário. As que mais agem, são precisamente aquelas que menos falam, que se limitam a actuar, manifestando no mundo da matéria, as suas formas-pensamento, as quais souberam nutrir, proteger e cuidar, até que estivessem prontas para ser edificadas.

 

Viver uma vida alinhada com a sabedoria intuitiva do nosso coração é indício de quem vive ao mais alto nível da sua mais elevada integridade. Viver assim, implica uma responsabilidade maior e mais ampla, pois essa pessoa torna-se um exemplo vivo do que é viver as mesmas experiências mundanas (às quais todos estamos sujeitos), sem sucumbir às dificuldades e aos desafios que as mesmas devolvem. É não sucumbir à mentira, ao ódio, à vingança, à traição, à desonestidade, etc.

 

Assim, este ano servirá de base de aprendizagem para observar, compreender e reconhecer de que forma vivemos a nossa vida. Extrair informação acerca deste aspecto é fundamental para atingir o propósito deste ano.

 

A pergunta que se coloca é: Será que eu vivo de acordo com a minha mais elevada integridade?

 

 

 

Liberdade

 

O 5 é o número que representa a Liberdade, um conceito quase sempre mal interpretado, ou, pelo menos, subjetivamente interpretado e demasiadamente colado à visão particular que cada um tem sobre liberdade.

Mas o Número 5, enquanto símbolo da Liberdade, representa a oportunidade de cada um se libertar das ilusões criadas a partir dos nossos próprios padrões limitadores ou bloqueadores.

 

O caminho do 5 mostra (recorrendo na maioria das vezes a cenários complexos e devastadores) como num espelho, a realidade nua e crua: o nosso mundo interior tal como ele é, revelando o nosso lado “feio” – aquele que poucos se atrevem a olhar, quanto mais a reconhecer.

 

Liberta-te! - diz o 5! Liberta-te de quem te oprime; do que te oprime!

 

Quem se oprime e limita a si mesmo senão nós próprios? Quantas limitações aprendemos a tecer, de modo a podermos ter uma justificação bem argumentada, para cada situação em que não sabemos estar à altura do desafio? Quantas histórias e mentiras criamos para nós mesmos, para que os outros não vejam, ou sequer detectem, a nossa fealdade interior? Quantas crenças terríveis nos servem de bengala, para não nos movermos na direcção que o nosso coração intuitivo e sábio nos indica?

 

Para nos libertarmos de um vício necessitamos de criar novos hábitos, novas rotinas, novas regras, que se adequem melhor à nova expressão que queremos manifestar: ao novo ser que se vai construindo e reconstruindo, à medida que se permite desmembrar e desmoronar, isto é, à medida que vai aprendendo a morrer para o passado. Deste modo, a par com a Liberdade, surge a responsabilidade e esta, exige disciplina. A disciplina requer compromisso e acção, entrega e empenho, determinação e foco, resiliência e superação! Isto é 5 no seu melhor!

 

O 5 não gosta de regras, nem de rotinas, no sentido da repetição vã, oca, sem propósitos. Mas se dermos ao 5 algo porque lutar, ele próprio criará as novas regras e se regerá por elas, cumprindo-as em cada passo do caminho!

 

 

Cooperação, Equilíbrio, Autoconfiança

 

Para além das três palavras-chave de 2021, importa realçar a força e a importância dos quatro dígitos que compõem o ano.

 

Assim chegamos à força do 2, que aparece no início e no meio deste número, e que nos vai relembrando da importância de sermos constantes, persistentes e humildes - qualidades presentes no Elemento Água, o Elemento que domina o número 2. Além disso, a cooperação ao mais alto nível deve estar presente em tudo na nossa vida. A cooperação entre membros de uma família, entre amigos, na comunidade, nas relações profissionais, nas relações entre povos e nações e assim por diante.

 

Através do Zero, podemos aprender acerca da necessidade de nos observarmos, com o objectivo de reconhecer onde, e se, estamos a fluir com a Vida natural, com a nossa intuição e com a sabedoria do corpo e da alma. Esta mera reflexão levar-nos-á a compreender a importância de buscarmos constantemente o equilíbrio entre o nosso mundo interior e o nosso mundo exterior.

 

Para isso precisaremos de trabalhar vários recursos internos, entre eles, o da autoconfiança (Número 1). Sem essa capacidade, sem essa firmeza, sem essa tonicidade interna, vacilaremos facilmente diante da expressão fogosa do ano e da sua natureza aquosa. Todas essas vibrações juntas não nos emprestam solidez, nem base firme, por isso teremos que ser nós a criar chão à medida que pisamos este solo sagrado. Teremos que nos reinventar, mais do que nunca, a cada momento. Seremos muitíssimo desafiados e a nossa inteligência criativa e emocional, será testada ao mais alto nível.

 

Assim se conclui, que o ano 5 será muito desafiante em todos os sentidos. Pode afirmar-se que a Humanidade está a ser posta à prova, como um todo, mas mais uma vez todos teremos a perder ou a ganhar, dependendo, claro está, das escolhas e das acções individuais.

 

Um ano em que teremos que desaprender o que aprendemos e em que deveremos de aprender a aprender!

 

Eva Veigas

Numeróloga Transpessoal

 

 

2014 - 2015

Eva Veigas, 28.12.14

O Natal foi um tempo de celebração, de família, de confraternização. De uma maneira ou de outra é sempre um momento de interiorização, um tempo para nos voltarmos para dentro e para tomar consciência de tantas experiências vividas.

flow.jpg

 

Houve experiências e vivências que já integrámos e outras que ainda teremos que integrar à Luz das novas energias que iremos viver em 2015.

Agora é o momento de separar o trigo do joio.

De que é que já me consigo desprender?

O que é que já consigo deixar ir sem dor?

Já consigo agradecer a experiência?

O meu coração consegue ver apenas o Bem Maior em cada um dos acontecimentos da minha vida?

Já existe uma disponibilidade interna total para abrir os braços à experiência, ao novo, ao inesperado, na minha vida?

Consigo perceber quem sou?

Admito que ainda estou a crescer?

Abro espaço para continuar a evoluir?

Estas e outras perguntas devem ser feitas e respondidas, uma a uma, no espaço sagrado e seguro do nosso coração.

Calmamente, as respostas surgirão e serão elas a luz que nos servirá de guia e nos acompanhará ao longo de todo o ano que se avizinha.

Será um ano intenso, com energias únicas, especiais, que deverá ser muito bem aproveitado e essencialmente sentido, vivendo cada segundo com coragem, determinação e alegria.

Preparamo-nos para nos despedirmos de 2014, deixemos ir tudo com gratidão. Tudo o que sucedeu foi para um Propósito Maior cujos contornos a pequenez da nossa humanidade ainda não consegue alcançar, nem imaginar.

Preparemo-nos para celebrar a entrada de um Novo Ano, que traz consigo a esperança do Novo, que traz consigo todas as possibilidades e todas as oportunidades, que traz consigo todo o potencial de começar tudo de novo.

É isto que iremos celebrar - o Novo, o Desconhecido, o Inesperado!

 

 

Um abraço intergaláctico

Eva Veigas

 

 

Análise Numerológica 2015 - Ano 8

Eva Veigas, 11.12.14

E, finalmente, aqui está a perspetiva da Numerologia Karmica para 2015.

Espero que gostem e que retirem o sumo todo destas palavras que escrevi diretamente para cada um de vós, com toda a minha dedicação e alegria, ciente de estar permanentemente ao Serviço

Um abraço do tamanho do Mundo

Eva

2015.jpg

 

Curiosidades e características do 8

 

Palavras-chave:

Amplificação

Concretização

Abundância

Expansão

Força

Determinação

Persistência

Coragem

 

Elemento

Terra

Símbolo

Cor

Verde

Pedra

Esmeralda

 

 

Numerologicamente 2015 é um ano 8. Calcula-se somando horizontalmente cada um dos números que compõem o ano, assim: 2 + 0 + 1 + 5 = 8.

 

O último ano foi de recolhimento, de introspeção, de silêncios e de reflexões. Foi uma oportunidade única de olharmos para dentro, de uma forma consciente e demorada. O ano foi longo, complexo, exigente, e para muitos, doloroso a vários níveis. Grandes e preciosas lições podem ser retiradas de um ano com uma vibração universal 7, como foi 2014.

Agora, em 2015 novos desafios se nos colocam, sempre com o intuito de crescermos e evoluirmos através das experiências na Terra, sejam elas agradáveis ou desagradáveis.

 

Um ano de vibração universal 8 convida a elevarmo-nos para patamares cada vez mais altos, cada vez mais conscientes de quem somos e do que podemos realizar e manifestar de forma consciente no nosso dia-a-dia.

O 8 tem como característica essencial a expansão, o crescimento, a evolução e a manifestação na matéria. Tudo o que estava invisível (uma ideia, por exemplo, cuja associação numerológica se pode representar pela vibração 7) torna-se visível em 8, na nossa realidade física.

Representado na horizontal (∞) o 8 simboliza também o infinito, a eternidade e as Leis Cósmicas em ação que integram as duas polaridades, transcendendo a divisão à qual estamos sujeitos há incontáveis éons.

 

A cada momento em que nos encontramos sob a regência do Senhor da Expansão, temos a oportunidade de unir e integrar todos os pares de opostos.

Unir e integrar em nós os opostos significa que já vivemos e experienciámos cada uma das suas polaridades e só dessa forma as podemos compreender em nós, retirando-lhes toda a carga dramática, todos os excessos e todo o exagero, restando apenas a lição de vida aprendida. Sendo assim, resta-nos então ir transcendendo aos poucos essas oposições para que a dado momento as passemos a sentir como complementares.

 

Para melhor entenderem do que falo, consideremos o seguinte exemplo: o dia é o contrário da noite, portanto são opostos. Esta afirmação é de quem vive ainda apenas numa das polaridades. Quem já viveu as duas e disso tomou consciência, passa a afirmar simplesmente que o dia dá lugar à noite e vice-versa, portanto, são afinal complementares e não opostos. Assim sucede nas nossas experiências terrenas, e de acordo com os filtros físicos, mentais, emocionais e espirituais de cada um, vamos gerando a oportunidade de ir resolvendo esses pares de opostos.

 

Esta é uma tarefa nada simples para o ser humano em desenvolvimento, e que ainda agora está a dar os primeiros passos na tomada de consciência da sua divindade. Estamos ainda longe de alcançar um estádio de total equilíbrio, mas tudo tem um começo e nós, os humanos presentes na Terra, agora, somos a geração pioneira que ainda a medo se está a atrever a alcançar novos patamares, novas consciências e novas formas de ser e de estar.

 

O ano 2015, sob a regência do 8 é excelente para trabalhar estes aspetos tão profundos e ainda tão desconhecidos e até estranhos para muitos de nós. É preciso ter coragem para adentrar estes mundos que nos aguardam e estas novas dimensões de amor que alegremente nos incitam a praticar outros comportamentos, a rever as nossas atitudes e a compreender que temos um sistema de crenças, valores e referências completamente ultrapassados, na maioria dos casos.

 

É hora de levantar os véus da escuridão e da ignorância em que temos estado mergulhados há tanto tempo. Tanto, que a nossa imaginação não consegue alcançar. Esta energia do 8 permite levantar esses véus e rasgar as pesadas e escuras cortinas que nos impediam de ver a verdade com clareza e objetividade, plenos de uma emocionalidade saudável e equilibrada.

 

Em termos práticos este ano, permite-nos antever o que colheremos em 2016 (que será, logicamente, um ano de vibração universal 9).

 

Recordemos, então, o que plantámos em 2008.

A vibração universal em 2008 foi 1. Esse foi o ano em que do ponto de vista coletivo lançámos à terra as nossas sementes. Cada um é responsável pelo que plantou, no entanto, é certo, que também coletivamente todos colheremos um pouco dos frutos bons e saborosos e também um pouco dos frutos amargos e estragados, pois estamos todos ligados na matriz. É neste ponto que temos que começar a ganhar consciência. A responsabilidade do que fazemos e as respetivas consequências não são apenas uma questão individual, mas sim coletiva. O que cada um faz, diz e pensa altera toda a dinâmica coletiva. Portanto tomemos consciência disto de uma vez por todas, pois se cada um individualmente fizer a sua parte, imaginem como será viver neste Planeta dentro de pouco tempo. Claro que se imaginarmos o cenário inverso, sabemos bem o que acabará por suceder. Então arregacemos as mangas e comecemos a manifestar e a expandir a maravilhosa essência que cada um de nós transporta no coração.

Feliz 2015.

 

happy new year.jpg

 

Ponto Forte do Ano: 11

Os aspetos determinantes deste ano passam pela peneira da vibração mestra 11. Um número com forte inclinação para aceder a potenciais até agora ocultos, sobretudo no domínio da espiritualidade, mas também de tudo o que diz respeito ao lado prático da vida, nomeadamente, a sensível questão do eterno conflito relacional.

No fundo, estará em aberto a possibilidade de aceder a níveis de entendimento e harmonização de energias internas o que obviamente produzirá cenários positivos para a criação de relacionamentos mais saudáveis e equilibrados e para o consequente derrube de barreiras intra e interrelacionais.

 

Pontos Fracos do Ano: 3 e 4

Os pontos mais sensíveis deste ano estão associados às vibrações numerológicas 3 e 4. Ambas nos irão testar quanto à nossa capacidade de manter o foco e a atenção naquilo que é essencial para nós em cada momento. Lembro aqui que a energia segue a intenção e que a influência do 8 tanto pode ser benéfica como danosa, pois o 8 amplia e expande o que quer que seja o nosso foco.

Por outro lado o 3 como ponto fraco vai colocar-nos à prova quanto à nossa facilidade em aproveitar e expressar os nossos dons, talentos e recursos pessoais, num ano tão rico em possibilidades de concretizarmos o que quisermos. Este ano corremos o risco de ficar aquém das nossas capacidades por nos sentirmos perdidos no meio de tanta abundância, escolha e infinitas oportunidades sobretudo para quem lá atrás deu permissão a si mesmo para crescer, transformar-se e evoluir.

Já a vibração do 4 vai devolver-nos a verdade de forma transparente e incisiva, relativamente àquilo que está mal fundamentado, mal estruturado e em vias de queda iminente. Teremos que estar preparados para toda e qualquer ocorrência desse tipo, ancorando-nos na forte energia do 8 que nos capacitará, sem qualquer dúvida ou motivo de temor, para reerguermos ou reestruturarmos qualquer aspeto da nossa vida.

 

heart1.jpg

 

AMOR / AFECTOS / FAMÍLIA

Neste domínio temos que falar de vários aspetos. Em primeiro lugar referir que a vibração 8 não se afina propriamente pelas questões relacionadas com os sentimentos e emoções derivadas dos nossos relacionamentos familiares, afetivos, etc.

Ela está antes conotada com os sentimentos gerados a partir de relações de trabalho, portanto meramente profissionais. Portanto não é um ano muito dado a romantismos ou que mostre disponibilidade para dar atenção à família, ao lar, ao par, aos filhos, etc.

Em segundo lugar, pode haver, isso sim, espaço para paixões desenfreadas, vividas com grande intensidade (aqui está um exemplo do exagero do 8) para logo depois dar lugar ao vazio, troca de parceiro, etc. Portanto existe muita instabilidade neste campo ao qual necessitará de dar atenção. Não subestime esta área tão importante da sua vida, nem deite tudo a perder por uma mera aventura.

 

money.jpg

DINHEIRO / FINANÇAS / TRABALHO

Se há uma área que pode ser destacada durante este ano, será sem sombra de dúvida, a área que cobre a esfera material da vida.

Tudo o que diga respeito à materialidade e ao materialismo está codificado em 8 e também em 4 (4+4=8). Esta área relaciona-se com o nosso corpo físico (saúde – como veremos de seguida) e com os nossos bens materiais (ex: casa, carro, dinheiro, investimentos, negócios, etc.).

É errado dizer que o 8 traz tudo de bom e é magnífico, pois na verdade, cada um colherá aquilo que plantou. Mas não podemos, de acordo com as Leis Universais, contar apenas com o que plantámos nesta vida, ou há meia dúzia de anos, quando começámos a ter os primeiros vislumbres de consciência, temos que considerar tudo o que plantámos, isto é, todas as ações que fizemos em consequência das escolhas feitas em vidas passadas. Sob esta perspetiva deixamos de ver as colheitas “más” como castigo e passamos apenas a vê-las como consequência de uma escolha “má” naquele momento, ou seja, de uma escolha feita de acordo com o nível consciência daquela altura.

Portanto, este será por um lado um ano de colheitas neste nível, e por outro um ano em que podermos e deveremos investir em realizações práticas.

Cuidado com as tentações de enriquecer rapidamente e a qualquer custo. Cuidado ainda, com as apostas nos jogos, pois pode haver uma tendência para apostar forte e perder tudo o que se conquistou.

 

health.jpg

 

SAÚDE

Esta é uma outra área importante e sensível que deve ser considerada este ano. Está na hora de cuidar do corpo físico. É tempo de adotar ou introduzir novos hábitos de higiene: desporto, alimentação, descanso, lazer, etc. e acabar com vícios que a curto, médio ou longo prazo acabam por destruir o bem-estar e a saúde.

Esta área pede muito, mas mesmo muito equilíbrio, pois existe uma forte tendência para cair numa das polaridades: excessos de toda a ordem ou pelo contrário exagerar na preocupação com a saúde, gerando hipocondria.

Pode ser bom realizar um check up ou consultar o médico de família para fazer uma avaliação geral do estado de saúde.

O ideal é prevenir.

 

Spirituality.jpg

 

ESPIRITUALIDADE

A transformação ao nível da espiritualidade reside na resolução do eterno conflito matéria versus espírito. O ano anterior deu-nos a possibilidade de aprender muito nesse nível. Se bem se recordam, disse-vos a esse respeito que o 7 é produto da soma de 4+3, ou seja, o 7 é o casamento da matéria (4) com o espírito (3), portanto neste momento já não deveríamos ter dúvidas e este respeito. No entanto, a dúvida permanece no coração de muitos e enquanto isso suceder, será muito difícil resolver esta questão.

Estes dois aspetos divinos parecem ser opostos aos olhos da humanidade.

Recordam-se do que escrevi acima, relativamente à energia deste ano, nomeadamente a questão dos opostos?

Não?

Então eu relembro: “Unir e integrar em nós os opostos significa que já vivemos e experienciámos cada uma das suas polaridades e só dessa forma as podemos compreender em nós, retirando-lhes toda a carga dramática, todos os excessos e todo o exagero, restando apenas a lição de vida aprendida. Sendo assim, resta-nos então ir transcendendo aos poucos essas oposições para que a dado momento as passemos a sentir como complementares.”

Ora bem, neste nível ou esfera da espiritualidade encontramo-nos frente a frente com uma dessas oposições:

Por um lado temos o plano material (dinheiro, reputação ou fama, poder) por outro lado temos o plano espiritual onde se inclui a sabedoria e o respeito pelos valores morais e espirituais. A questão reside em encontrar o equilíbrio entre essas duas polaridades

Cabe a nós alcançar o sucesso no plano material sem contudo deixar de lado certas qualidades como uma boa dose de sensatez, moderação, humildade e generosidade relativamente a esse sucesso. Se conseguirmos aceder e permanecer nesse caminho experimentaremos sem dúvida, uma imensa satisfação, paz interior e serenidade.

 

fairy.jpg

 

A seguir apresenta-se a tabela dos meses em 2015 com a correspondente vibração numerológica e respetiva análise numerológica:

 

Vibração universal dos meses em 2015

 

Ano 2015

Energia do mês

Janeiro

9

Fevereiro

1

Março

11

Abril

3

Maio

4

Junho

5

Julho

6

Agosto

7

Setembro

8

Outubro

9

Novembro

1

Dezembro

2

 

 

Síntese dos 12 meses em 2015

O ano 2015 tem início com um mês de Janeiro regido pelo 9. Esta vibração indica fecho e conclusão de vários assuntos em diversas áreas da nossa existência. Devemos efetuar aqui uma espécie de balanço do último ano da nossa vida, a fim de preparar o terreno onde iremos plantar sementes novas, Claro que o mês propício para o fazer será em Fevereiro cuja vibração universal mensal é 1. Durante este mês podemos dar início a novos projetos e dar um novo rumo à nossa vida, desde que tenhamos refletido o suficiente e tenhamos feito o tal balanço em Janeiro. Depois em Março surge uma vibração 11 a reger o mês que dá início à Primavera. Esta vibração convida-nos a sair da nossa zona de conforto, sobretudo no que toca à forma como nos relacionamos connosco, com os outros e com a vida em geral. Abril é regido pela vibração 3 que nos dará a oportunidade de começar a ver as nossas sementes a crescer. Já é possível começar a ver uma pequena plantinha. Tudo se expande na nossa vida. Lembrem-se que tudo o que plantámos iremos colher, seja bom ou menos bom, agradável ou desagradável. Enfim, tudo começará a ganhar forma em Maio cujo regente é 4, o número da ordem e da organização. É hora de ganhar estrutura e de criar método e disciplina nas nossas vidas. Entretanto, surge Junho regido pelo 5 que nos permitirá tomar fôlego e avaliar das ações anteriores. Ainda há tempo para limar algumas arestas, para podar alguns galhos e para endireitar a árvore. É tempo de avaliar as escolhas feitas e tomar consciência que não poderemos colher (lá mais à frente, em Outubro) abóboras se plantámos batatas. Julho aparece regido pelo 6 para que possamos avaliar da nossa generosidade, da nossa disponibilidade e entrega aos outros. Sob a regência do 7 surge Agosto. Sendo um mês em que muitos estarão de férias, é hora de aproveitar esta energia para fazer um retiro (pode ser um retiro espiritual), uma paragem, um momento de reencontro connosco. O silêncio é necessário e podemos aproveitar para nos religarmos com a Natureza. Esta pausa ajuda-nos a centrar e a retomar o nosso equilíbrio interior para nos prepararmos para o mês de Setembro que é regido pelo 8, exatamente a mesma vibração deste ano 2015. É um mês de realizações e concretizações. A nossa colheita cresceu e temos que nos preparar para ela. Mas antes que isso aconteça podemos deleitar-nos com a nossa obra, ou pelo menos com o contributo que lhe demos para que ela se manifestasse por inteiro. E finalmente mais um mês regido pelo 9, Outubro. Outro pequeno ciclo que chega ao fim e onde tudo recomeça. Portanto durante este ano temos pelo menos duas oportunidades de começar tudo de novo. Uma em Fevereiro e outra em Novembro, pois este mês é novamente regido pelo 1. E o ano termina com uma vibração universal mensal 2 em Dezembro, como que a chamar a atenção para a importância da transcendência da dualidade. Busquemos harmonia em todos os lugares do nosso ser e expressemo-la sem preconceitos nem receios.

 

Períodos mais importantes ou favoráveis do ano:

 

De

A

08/01/2015

21/01/2015

01/09/2015

07/09/2015

22/09/2015

30/09/2015

08/10/2015

21/10/2015

 

 

Dias regidos por Números Mestre em 2015

 

02/01/2015

11

11/01/2015

11

20/01/2015

11

01/02/2015

11

10/02/2015

11

29/03/2015

22

19/04/2015

22

28/04/2015

22

09/05/2015

22

18/05/2015

22

27/05/2015

22

08/06/2015

22

17/06/2015

22

26/06/2015

22

07/07/2015

22

16/07/2015

22

25/07/2015

22

06/08/2015

22

15/08/2015

22

24/08/2015

22

05/09/2015

22

14/09/2015

22

23/09/2015

22

 

 

Um Número Mestre é um número composto por dois dígitos iguais. Exemplo: 11, 22, 33 ou 44.

É designado por Número Mestre exatamente por ter na sua composição a mesma energia duas vezes, está por assim dizer, dobrada. Significa que essa energia ou vibração se encontra reforçada, elevada ou ampliada, expandida, aumentada, nesse período em concreto. Em 2015 há cindo dias regidos pelo Número Mestre 11 e dezoito dias regidos pelo Número Mestre 22.

 

Significado do 11 – O Número Mestre 11 representa a energia do 1 amplificado. Assim, nestes dias poderemos sentir mais coragem, mais força, mais determinação, mais vontade de seguir em frente com a nossa vida, com os nossos projetos, objetivos e ideias. Teremos maior eficácia na execução das nossas tarefas diárias e sentiremos muita energia sobretudo mental, mas também física. Emocionalmente sentir-nos-emos mais maduros e mais assertivos do que nunca, portanto aproveitemos bem esta dádiva que ocorre apenas cinco vezes em 365 dias, durante este ano.

 

Significado do 22 – O Número Mestre 22 representa a energia do 2 amplificado. Sentiremos um imenso aumento da nossa capacidade de trabalho. Poderemos trabalhar mais horas sem nos sentirmos tão cansados. Dias como este são excelentes para trabalhos de grupo, em equipa, onde a sinergia gerada pelo todo será exponencialmente aumentada e expandida. Sentiremos necessidade de exercer algum tipo de atividade física pois a energia será mesmo muita, estimulando-nos a sair da inércia em que geralmente andamos mergulhados. A capacidade de nos relacionarmos sob esta vibração também é maravilhosa, pois é mais fácil colocarmo-nos no lugar do outro sob esta regência e só dessa forma podemos dar valor ao que o outro sente e pensa.

 

 

 

Eva Vilela Veigas

"Tour" Numerológico - Ano 2014

Eva Veigas, 24.11.14

22julho.jpg

 
E tal como prometido, vamos fazer um "tour" pelo ano 2014. Comecemos por recordar o que nos pede este ano universal. Como o tens estado a viver? Quais as emoções mais importantes que viveste este ano? Foi um ano "morno"? Qual a pior situaçã...o que viveste? E a melhor? O que não conseguiste ainda concretizar? O que é que falta para atingires determinado objetivo? Onde é que te perdeste? Sabes como regressar ao teu caminho?

Muitas das respostas ou soluções estão nas entrelinhas deste artigo. Lê, mas sem pressas, sem autojulgamento, apenas lê...
 

Análise Numerológica para 2014

 

 

7 – O Regente de 2014

 

 

Eis-nos perante um ano pleno de possibilidades em que poderemos crescer em inúmeras direções.

Para quem esteve presente momento a momento, observando-se, permitindo-se tomar contacto com as emoções e iniciar ou continuar a sua transformação interior durante 2013, tem agora a possibilidade, em 2014, de adquirir maior maturidade espiritual, mais sabedoria e portanto a oportunidade de dar mais um passo no sentido da mestria pessoal.

O 7, regente de 2014 é um número sagrado, mágico, espiritual. É o Senhor dos grandes Ciclos e das grandes transformações. Representa a união sagrada da matéria (4) e do espírito (3). 4 + 3 = 7.

A regência do 7 pede acima de tudo silêncio, interioridade, e uma atitude reflexiva.

É preciso, portanto, acalmar a mente, serenar os pensamentos e coloca-los em ordem. É preciso ajustarmo-nos a um novo tempo e sincronizarmo-nos com os desafios propostos por estas mudanças. É tempo de separar o trigo do joio e definir prioridades com base no novo paradigma recém-criado.

E eis que surge a primeira dificuldade ou o primeiro desafio do ano.

O ano 2014 abre o 14º Portal deste novo século - o portal 14/5 (1+4=5). Através da ordem e da estabilidade, da disciplina e da prática é possível criar uma base sustentável, tremendamente importante e necessária para o Novo Grande Ciclo que se inicia. O Elemento Terra ao qual pertence o 4 dá-nos o suporte, o apoio, as fundações nas quais nos poderemos apoiar para construirmos e erguermos o novo paradigma. Novos modelos de pensamento, darão lugar a novos modelos de ação, comportamento e atitude. Por outro lado, precisaremos trabalhar com coragem, ambição e ousadia, características do 1, cujo Elemento Ar nos levará para além dos limites, das barreiras e das crenças autoimpostas do passado.

São estas energias que cada um de nós deverá colocar em movimento, primeiramente dentro de nós. Só depois de experimentar dentro, é possível agir fora e sentir esse efeito no exterior, no coletivo. É dessa forma que as grandes mudanças ocorrem.

O 5, que pertence ao Elemento Fogo, apela por mudança, esse é o seu grito. Mudança é uma das palavras de ordem ocultas em 2014. Ela vai acontecer, mas, eventualmente, não a veremos acontecer já.

E porquê?

Porque na verdade, 2014 é um ano 7 e só o 7 possui esta habilidade de tornar as coisas invisíveis, mesmo enquanto elas estão a acontecer. Será um processo lento, portanto, será igualmente um ano lento, em que por vezes a nossa vida parecerá decorrer em camara lenta.

O que será então preciso? Qual o grande teste? É isso mesmo! Acertaram! PACIÊNCIA! Mas também calma, sensatez, controlo da mente (no sentido de não permitir que os pensamentos destrutivos e negativos ocupem as nossas mentes). Portanto, volto a repetir, será necessária uma enorme autodisciplina.

Entretanto, o ano alternará entre períodos de grande estabilidade e períodos de grande insatisfação pessoal geradores de irritabilidade e nervosismo. É preciso dar muita atenção a estes períodos mais difíceis de modo a evitar que esses momentos de rebeldia e zanga piorem as coisas.

Será necessário, portanto, usar com sabedoria as características do 7 que nos poderão ajudar a atravessar este Portal com menor ansiedade.

O 7 representa simbolicamente a vitória do homem sobre si próprio. Tudo o que conquistou foi à custa dos seus próprios erros o que o levou a conhecer-se mais e melhor, numa aventura interminável de conhecer mais de si mesmo, das suas emoções, dos seus pensamentos, dos seus movimentos internos, no fundo de certa forma, neste ponto o homem já deverá saber o que o move.

Assim, durante 2014 poderemos praticar (com maior probabilidade de sermos bem sucedidos) a inteligência emocional, que basicamente significa a capacidade de reconhecermos os nossos sentimentos e emoções e também os dos outros, bem como a capacidade de lidar com eles.

Esta é, sem dúvida, uma das grandes aprendizagens deste aqui e agora.

Estamos a aprender a ouvir-nos, a sentir, a sentir realmente, com a profundidade que só o 7 permite…

O que estou a sentir? O que é que o outro me está a fazer sentir? E quando sinto isto, que pensamentos me ocorrem? Estão associados a que tipo de emoções?

Porque é que estou e experimentar isto? Para quê? Com que objetivo? O que estou a aprender com esta experiência?

Tudo isto, sendo feito, sem julgamento, com o juiz interno silenciado, sem pressa, sem forçar absolutamente nada, deverá resultar numa experiência rica, que pode trazer grandes saltos quânticos (quer ao nível das lições que viemos aprender, quer ao nível do equilíbrio karmico) e consequentemente, se a lição for deveras apreendida, poderemos experimentar uma profunda paz interior e um forte sentimento de gratidão.

Durante este ano, não deveremos deixar nada ao acaso, deveremos antes, estar presentes, isto é, permanecer conscientes da nossa verdade, nunca esquecendo a verdade do outro.

Se estivermos presentes a cada momento, com o coração e com a mente, ou seja, se soubermos usar os dois hemisférios (direto e esquerdo), ou, se quiserem, as nossas duas polaridades (positivo e negativo), plenamente conscientes da nossa essência divina e da nossa humanidade, estaremos a trabalhar para conquistar o tão desejado equilíbrio interno.

A Mestria Interna está ao alcance de qualquer ser humano, no entanto é preciso querer, não basta acreditar e imaginar seres e luzes coloridas (cuidado com as ilusões que o 7 produz). Lembrem-se que há sempre as duas faces de uma mesma moeda. Cabe a nós escolher com sensatez e de acordo com a nossa consciência do momento. Necessitamos de olhar com verticalidade e profundidade para os recursos que temos. Não devemos temer aceitar quem já somos, ou, pelo contrário, querermos ser como os outros. O que importa agora é descobrir a nossa verdadeira essência e agir de acordo com ela. Esse será o ponto de partida para novas descobertas de quem somos. A viagem da alma prossegue interminável…

 

AMOR / AFECTOS / FAMÍLIA

No plano afetivo, é um ano tendencialmente fraco, pois as pessoas tendem a criar barreiras devido à natureza solitária do 7. Não se isole. Procure antes respeitar os seus momentos ou necessidade de silêncio e introspeção. Lembre-se que na solidão há muita pouca aprendizagem. É através do outro que é possível crescer, pois é o outro que nos devolve as experiências mais importantes a serem vividas e desse modo, as maiores lições a serem apreendidas.

Durante este ano há uma forte tendência para ruturas e separações nas relações a dois ou mesmo com alguns membros da família ou amigos, dado que o 7 promove a necessidade de nos afastarmos, por vezes, mesmo daqueles que mais amamos.

Anos como este apresentam tendência para se colocar tudo em causa, mas não de um modo leviano. Há muita profundidade nas emoções e tudo se torna mais intenso.

 

DINHEIRO / FINANÇAS / TRABALHO

Em termos práticos, a regência do 7 é pouco dada a grandes concretizações no plano material, por isso é preciso ter muita cautela, sobretudo no que diz respeito a negócios que exijam grande investimento.

São anos de poupança e poucos ganhos materiais. Será bem mais produtivo investir em si, em formação, por exemplo, ou em qualquer tipo de atividade que lhe permita alargar mais os seus horizontes, seja em termos culturais ou em alguma área específica que pretenda.

É um ano excelente para aprofundar estudos, sobretudo ao nível das especializações.

Ótimo para investigadores, cientistas, filósofos, psicólogos, etc. dado que a necessidade de isolamento do 7 promove o silêncio e a serenidade que permitem aos estudiosos a concentração e clareza mental necessárias.

 

SAUDE

Relativamente à saúde é preciso ter cuidado, sobretudo com a saúde mental, mas também com a emocional, claro. A mente e as emoções estão interligadas, é impossível separá-las e por isso devem ser trabalhadas como um todo.

Cuide das suas emoções, use a inteligência emocional. Não se deixe enredar na teia dos pensamentos destrutivos. Procure a causa dos seus receios, medos e ansiedades. Não deixe arrastar as situações. Procure alguém da sua confiança e partilhe as suas dificuldades, verá que há sempre alguém pronto a ajudar.

Acima de tudo não se deixe chegar ao limite.

 

ESPIRITUALIDADE

Tendência para o fanatismo e para o radicalismo. Será necessário muita atenção e sentido prático para não nos permitirmos entrar por campos tão delicados, como estes, pois isso só dificultará a nossa transformação pessoal e eventualmente a nossa evolução espiritual.

As falsas crenças são motivo de discórdia em toda e qualquer área da nossa vida. Cabe, portanto, a cada um de nós manter abertura mental, sentido crítico e uma boa dose de sentido de humor.

 

Um abraço intergaláctico

Eva Vilela Veigas

 

Análise Numerológica 2014 - Ano 7

Eva Veigas, 13.12.13

46463281_110863993264436_7989920303469821952_n_110

Análise Numerológica para 2014

 

 7 – O Regente de 2014

 

Eis-nos perante um ano pleno de possibilidades em que poderemos crescer em inúmeras direções.

Para quem esteve presente momento a momento, observando-se, permitindo-se tomar contacto com as emoções e iniciar ou continuar a sua transformação interior durante 2013, tem agora a possibilidade, em 2014, de adquirir maior maturidade espiritual, mais sabedoria e portanto a oportunidade de dar mais um passo no sentido da mestria pessoal.

 

O 7, regente de 2014 é um número sagrado, mágico, espiritual. É o Senhor dos grandes Ciclos e das grandes transformações.

Representa a união sagrada da matéria (4) e do espírito (3). 4 + 3 = 7.

A regência do 7 pede acima de tudo silêncio, interioridade, e uma atitude reflexiva.

 

É preciso, portanto, acalmar a mente, serenar os pensamentos e coloca-los em ordem. É preciso ajustarmo-nos a um novo tempo e sincronizarmo-nos com os desafios propostos por estas mudanças. É tempo de separar o trigo do joio e definir prioridades com base no novo paradigma recém-criado.

 

E eis que surge a primeira dificuldade ou o primeiro desafio do ano.

 

Através da ordem e da estabilidade, da disciplina e da prática é possível criar uma base sustentável, tremendamente importante e necessária para o Novo Grande Ciclo que se inicia. O Elemento Terra ao qual pertence o 4 dá-nos o suporte, o apoio, as fundações nas quais nos poderemos apoiar para construirmos e erguermos o novo paradigma. Novos modelos de pensamento, darão lugar a novos modelos de ação, comportamento e atitude. Por outro lado, precisaremos trabalhar com coragem, ambição e ousadia, características do 1, cujo Elemento Ar nos levará para além dos limites, das barreiras e das crenças autoimpostas do passado.

 

São estas energias que cada um de nós deverá colocar em movimento, primeiramente dentro de nós. Só depois de experimentar dentro, é possível agir fora e sentir esse efeito no exterior, no coletivo. É dessa forma que as grandes mudanças ocorrem.

 

O 5, que pertence ao Elemento Fogo, apela por mudança, esse é o seu grito. Mudança é uma das palavras de ordem ocultas em 2014. Ela vai acontecer, mas, eventualmente, não a veremos acontecer já.

 

Porque na verdade, 2014 é um ano 7 e só o 7 possui esta habilidade de tornar as coisas invisíveis, mesmo enquanto elas estão a acontecer. Será um processo lento, portanto, será igualmente um ano lento, em que por vezes a nossa vida parecerá decorrer em camara lenta.

 

O que será então preciso? Qual o grande teste? É isso mesmo! Acertaram! PACIÊNCIA! Mas também calma, sensatez, controlo da mente (no sentido de não permitir que os pensamentos destrutivos e negativos ocupem as nossas mentes). Portanto, volto a repetir, será necessária uma enorme autodisciplina.

 

Entretanto, o ano alternará entre períodos de grande estabilidade e períodos de grande insatisfação pessoal geradores de irritabilidade e nervosismo. É preciso dar muita atenção a estes períodos mais difíceis de modo a evitar que esses momentos de rebeldia e zanga piorem as coisas.

 

Será necessário, portanto, usar com sabedoria as características do 7 que nos poderão ajudar a atravessar este momento com menor ansiedade.

 

O 7 representa simbolicamente a vitória do homem sobre si próprio. Tudo o que conquistou foi à custa dos seus próprios erros o que o levou a conhecer-se mais e melhor, numa aventura interminável de conhecer mais de si mesmo, das suas emoções, dos seus pensamentos, dos seus movimentos internos, no fundo de certa forma, neste ponto o homem já deverá saber o que o move.

 

Assim, durante 2014 poderemos praticar (com maior probabilidade de sermos bem sucedidos) a inteligência emocional, que basicamente significa a capacidade de reconhecermos os nossos sentimentos e emoções e também os dos outros, bem como a capacidade de lidar com eles.

 

Esta é, sem dúvida, uma das grandes aprendizagens deste aqui e agora.

 

Estamos a aprender a ouvir-nos, a sentir, a sentir realmente, com a profundidade que só o 7 permite…

 

O que estou a sentir? O que é que o outro me está a fazer sentir? E quando sinto isto, que pensamentos me ocorrem? Estão associados a que tipo de emoções?

 

Porque é que estou e experimentar isto? Para quê? Com que objetivo? O que estou a aprender com esta experiência?

 

Tudo isto, sendo feito, sem julgamento, com o juiz interno silenciado, sem pressa, sem forçar absolutamente nada, deverá resultar numa experiência rica, que pode trazer grandes saltos quânticos (quer ao nível das lições que viemos aprender, quer ao nível do equilíbrio karmico) e consequentemente, se a lição for deveras apreendida, poderemos experimentar uma profunda paz interior e um forte sentimento de gratidão.

 

Durante este ano, não deveremos deixar nada ao acaso, deveremos antes, estar presentes, isto é, permanecer conscientes da nossa verdade, nunca esquecendo a verdade do outro.

 

Se estivermos presentes a cada momento, com o coração e com a mente, ou seja, se soubermos usar os dois hemisférios (direto e esquerdo), ou, se quiserem, as nossas duas polaridades (positivo e negativo), plenamente conscientes da nossa essência divina e da nossa humanidade, estaremos a trabalhar para conquistar o tão desejado equilíbrio interno.

 

A Mestria Interna está ao alcance de qualquer ser humano, no entanto é preciso querer, não basta acreditar e imaginar seres e luzes coloridas (cuidado com as ilusões que o 7 produz). Lembrem-se que há sempre as duas faces de uma mesma moeda. Cabe a nós escolher com sensatez e de acordo com a nossa consciência do momento. Necessitamos de olhar com verticalidade e profundidade para os recursos que temos. Não devemos temer aceitar quem já somos, ou, pelo contrário, querermos ser como os outros. O que importa agora é descobrir a nossa verdadeira essência e agir de acordo com ela. Esse será o ponto de partida para novas descobertas de quem somos. A viagem da alma prossegue interminável…

 

AMOR / AFECTOS / FAMÍLIA

No plano afetivo, é um ano tendencialmente fraco, pois as pessoas tendem a criar barreiras devido à natureza solitária do 7. Não se isole. Procure antes respeitar os seus momentos ou necessidade de silêncio e introspeção. Lembre-se que na solidão há muita pouca aprendizagem. É através do outro que é possível crescer, pois é o outro que nos devolve as experiências mais importantes a serem vividas e desse modo, as maiores lições a serem apreendidas.

Durante este ano há uma forte tendência para ruturas e separações nas relações a dois ou mesmo com alguns membros da família ou amigos, dado que o 7 promove a necessidade de nos afastarmos, por vezes, mesmo daqueles que mais amamos.

Anos como este apresentam tendência para se colocar tudo em causa, mas não de um modo leviano. Há muita profundidade nas emoções e tudo se torna mais intenso.

 

DINHEIRO / FINANÇAS / TRABALHO

Em termos práticos, a regência do 7 é pouco dada a grandes concretizações no plano material, por isso é preciso ter muita cautela, sobretudo no que diz respeito a negócios que exijam grande investimento.

São anos de poupança e poucos ganhos materiais. Será bem mais produtivo investir em si, em formação, por exemplo, ou em qualquer tipo de atividade que lhe permita alargar mais os seus horizontes, seja em termos culturais ou em alguma área específica que pretenda.

É um ano excelente para aprofundar estudos, sobretudo ao nível das especializações.

Ótimo para investigadores, cientistas, filósofos, psicólogos, etc. dado que a necessidade de isolamento do 7 promove o silêncio e a serenidade que permitem aos estudiosos a concentração e clareza mental necessárias.

 

SAUDE

Relativamente à saúde é preciso ter cuidado, sobretudo com a saúde mental, mas também com a emocional, claro. A mente e as emoções estão interligadas, é impossível separá-las e por isso devem ser trabalhadas como um todo.

Cuide das suas emoções, use a inteligência emocional. Não se deixe enredar na teia dos pensamentos destrutivos. Procure a causa dos seus receios, medos e ansiedades. Não deixe arrastar as situações. Procure alguém da sua confiança e partilhe as suas dificuldades, verá que há sempre alguém pronto a ajudar.

Acima de tudo não se deixe chegar ao limite.

 

ESPIRITUALIDADE

Tendência para o fanatismo e para o radicalismo. Será necessário muita atenção e sentido prático para não nos permitirmos entrar por campos tão delicados, como estes, pois isso só dificultará a nossa transformação pessoal e eventualmente a nossa evolução espiritual.

As falsas crenças são motivo de discórdia em toda e qualquer área da nossa vida. Cabe, portanto, a cada um de nós manter abertura mental, sentido crítico e uma boa dose de sentido de humor.

 

Síntese dos 12 meses em 2014

O ano 2014 começa com um mês de Janeiro regido pelo 8, favorável a concretizações e realizações no plano da matéria, tal como o mês de Outubro.

Fevereiro e Novembro, são meses indicados para resolver questões pendentes, enquanto Março indica o início de um novo, porém, curto ciclo.

Abril é regido por 11, cuja vibração nos permite elevar a consciência e tomar contacto com os nossos sonhos mais profundos, é uma excelente alavanca para seguirmos o nosso coração, sobretudo porque o mês anterior, Março é também ele um mês que nos induz ao movimento e nos catapulta para a ação.

Maio, com o seu regente 3 convida-nos a expressar as nossas emoções com clareza.

4 é o regente de Junho e permite-nos aliar a nossa vontade ao nosso desempenho.

Julho é um mês mais agitado com a sua regência 5, podendo aqui sentir-se com mais intensidade algumas das maiores dificuldades do ano.

Agosto é regido pelo 6 e por isso é um mês excelente para nos dedicarmos mais à família e aos amigos.

Setembro é o mês que faz o aspeto mais importante com o ano 2014 dado que possuem o mesmo regente - 7. Por esse motivo, poderá também ser um dos meses mais desafiantes, mas também um dos que mais crescimento poderá oferecer.

O ano termina com um mês de regência 1, favorável a criar novas oportunidades e a desbravar caminhos novos e diferentes, abrindo assim as portas a 2015, cuja regência 8 trará certamente novas possibilidades e oportunidades.

 

Palavras-chave do 7: introspeção, espiritualidade, fé, reflexão, interioridade, silêncio.

 

 

"O homem sereno procura serenidade para si e para os outros."

Epicuro

 

 

A seguir apresenta-se a tabela dos meses em 2014 com a correspondente vibração numerológica e respetiva análise numerológica:

 

Ano 2014

Energia do mês

Janeiro

8

Fevereiro

9

Março

1

Abril

11

Maio

3

Junho

4

Julho

5

Agosto

6

Setembro

7

Outubro

8

Novembro

9

Dezembro

1

 

 

 

 

 

 

Análise Numerológica 2013 - Ano 6

Eva Veigas, 01.01.13

 

“Escuta o teu coração. Ele conhece todas as coisas, porque veio da Alma do Mundo, e um dia a ela retornará”

In “O Alquimista” Paulo Coelho

 

6 – O Regente de 2013

 

As tribulações, as dificuldades e os desequilíbrios sentidos em 2012, evoluirão para uma energia que se traduzirá por um crescente amadurecimento das consciências, quer a nível individual quer a nível coletivo.

O que aconteceu sob a regência do 5 em 2012, veio mostrar com toda a sua imparável e muitas vezes, destrutiva força (o 5 pertence ao elemento Fogo), as feridas que são necessárias destapar. Foi necessário remexer na dor, para poder libertar a energia contida.

Quando existe uma ferida no nível físico (ou material) tendemos a tapá-la. Porém, ao fazê-lo, corremos o risco de apanhar uma infeção. Nessa altura, só há duas coisas a fazer, ou se toma a coragem para mexer na ferida com o intuito de a curar ou se permite que a ferida se apodere de nós na totalidade e mais tarde ou mais cedo sofreremos as derradeiras consequências da doença ou da morte.

Mas não é só nos planos físicos e materiais que estas situações ocorrem. Elas também têm a sua contrapartida nos restantes planos da existência. Portanto, o nível emocional, mental e espiritual, também sofrerão os danos decorrentes das nossas escolhas mais ou menos conscientes.

Uma vez a ferida exposta é hora de tomar coragem para a limpar, para aplicar o remédio, desta vez de forma consciente, madura, sabendo que o mais provável será atingir o nível de cura ou equilíbrio pretendidos.

É deste modo que devemos sentir a energia do 6. O velho modelo, as antigas crenças, e conceções do mundo foram postas em causa, remexidas, cortadas, tal como se cortam os ramos de uma velha árvore. Só assim ela voltará a dar rebentos, de onde surgirão de novo flores perfumadas e saborosos frutos.

Sob a regência do 6, vivenciamos aquele momento único em que de repente tudo se torna claro, sabemos o que fazer, qual a direção a tomar… Escolhemos em consciência mudar de paradigma.

As ondas de solidariedade aumentarão, à medida que novos desafios se abatem sobre a humanidade, sejam eles guerras ou catástrofes naturais.

Sentiremos uma necessidade imperiosa de agir rápida e eficazmente perante um pedido de ajuda sincero. Saberemos que é sincero no nosso coração!

O julgamento e o preconceito terão tendência a diminuir porque os nossos corações terão maior abertura e maior flexibilidade. Estaremos mais atentos, mais sensíveis aos problemas que realmente afetam a humanidade.

Hoje em dia, as pessoas preocupam-se muito com o ego. Por um lado, temos as pessoas que agem de acordo com os seus egos durante a maior parte das suas vidas. Estas pessoas não têm consciência real do mal que causam a si próprias, influenciando, consequentemente, tudo o que as rodeia. Por outro lado, temos aquelas pessoas que sabem que o ego existe mas que vivem aflitivamente com medo que o ego destrua o seu frágil equilíbrio interno.

Na verdade, qualquer uma das situações alimenta este ego, que de uma maneira ou de outra as controla, tornando as suas vidas num inferno com as suas influências negativas e destrutivas.

A propósito, recordo aqui a velha lenda índia dos dois lobos: “ Certa noite, sentado ao redor de uma fogueira, um velho índio, falava com o seu neto acerca dos seus conflitos internos:

- Dentro de mim existem dois lobos. Um deles é mau e cruel. O outro é bom e justo. Um nunca deixa o outro descansar. Estão sempre a brigar um com o outro.

- Qual dos dois vai ganhar esta luta? – perguntou o neto.

Com toda a sua sabedoria, o velho índio respondeu:

- Aquele que eu alimentar mais.”

Se pretendemos, efetivamente, deixar de alimentar o ego, foquemo-nos naquilo que realmente importa: nós mesmo!

Teremos que colocar a pergunta: O que estou a sentir?

Depois teremos que nos permitir escutar. Só então, poderemos agir de acordo com a nossa verdade interna.

Como saberemos se a nossa decisão é fruto da nossa alma ou do nosso ego? Se aquilo que decidirmos fazer nos permitir sentir paz no coração, em paz com os outros, com uma tranquilidade interior que ninguém poderá abalar, então saberemos que essa é a resposta da nossa verdadeira essência, do nosso Self, da nossa Alma. Se, pelo contrário, permanecermos com dúvida e inquietação no coração, o mesmo é dizer, no nosso Ser, então será preferível, perguntar onde e o que é que pode mudar para equilibrar a sua energia.

Só depois de termos atingido este nível de comunicação com a nossa Luz Interna, poderemos partir para o próximo passo que nos levará a deixar de alimentar o nosso egoísmo.

Assim, o próximo nível é colocar o foco nos outros. Os outros seres, sejam eles humanos, animais, vegetais, minerais ou elementais.

Sinta o que precisa ser feito a nível individual e a nível coletivo, para ajudar o planeta e a humanidade e depois aja em conformidade, pleno dessa paz que só se atinge nos níveis mais elevados do nosso Reino Interno.

 

A energia do 6 vai obrigar-nos a olhar noutra direção, com mais clareza, mais maturidade, mais energia, mais atitude e mais firmeza.

Sentiremos necessidade de fortalecer mais os nossos laços com os outros, de forma cooperante e não competitiva. Finalmente haverá plena consciência de que não estamos sós. Vivemos para cumprir uma meta ou missão particular a nível individual, mas ela só será plena e completa se percebermos que dependemos uns dos outros para a levar a cabo. Nesse sentido, a missão torna-se coletiva.

Podemos comparar a missão coletiva ao mais belo e maravilhoso Arco-Íris. Um Arco-Íris é sempre um Arco-Íris, porém, ele só se torna completo quando aos nossos olhos são visíveis as suas 7 cores. Cada cor é única, possui uma beleza única, uma luminosidade única. O vermelho nunca se confundirá com o verde, nem o amarelo com o azul, porque cada vibração é única, irrepetível.

Assim, também, cada um de nós, os animais, as plantas, os anjos, os arcanjos, as fadas… possui uma cor, uma característica única, um padrão vibracional único, com o qual cumpre a sua missão a nível individual. Todos juntos contribuímos para completar a missão coletiva revelando assim o mais belo e esplendoroso Arco-Íris.

 

 

Palavras-chave do 6: solidariedade, maturidade, sensibilidade, consciência.

 

 

 

Em 2013 a nossa atenção recai no primeiro e no último trimestre do ano. As energias dos 3 primeiros meses estão repetidas nos últimos 3 meses de 2013. Assim, Janeiro e Outubro são regidos pela vibração 7. Fevereiro e Novembro pela vibração 8 e Março e Dezembro pela vibração 9.

 

O padrão repete-se mostrando claramente onde está o foco do ano em termos daquilo que deveremos estar cientes. Trata-se de um movimento subtil que promove a concretização de ideias no plano físico ou material (energia 8), fruto das sucessivas tomadas de consciência cada vez mais profundas (energia 7) que nos conduzirá a um novo estado de Ser e de Sentir (energia 9).

 

O mês em destaque é Maio de 2013 cuja regência 11 nos levará a ir além dos limites que nos impomos, uma vez que sob esta energia é possível derrubar as barreiras de uma lógica há muito estagnada. No seu lugar surgirá espaço para uma visão fundamentada numa compreensão que ultrapassa a nossa imaginação…

 

A seguir apresenta-se a tabela dos meses em 2013 com a correspondente vibração numerológica e respetiva análise numerológica:

 

2013Energia do Mês
Janeiro7
Fevereiro8
Março9
Abril1
Maio11
Junho3
Julho4
Agosto5
Setembro6
Outubro7
Novembro8
Dezembro9

 

 

 

Análise Numerológica 2012 - Ano 5

Eva Veigas, 01.01.12

 

“Paredes de pedra não fazem uma prisão nem barras de ferro, uma gaiola; (…)”

Richard Lovelace, To Althea: from prison

 

5 – O Regente de 2012

 

2012 é regido pela frequência do 5 que se move sem atrito na energia do século XXI (frequência 3) cujo elemento Fogo é comum a ambos os números.

No entanto, desde o ano 2000 e até ao ano 2099, a energia 20 ou 2 (20=2+0=2), terá uma influência determinante na nossa vida, do mesmo modo que a energia 19 ou 1 (19=1+9=10 e 10=1+0=1), teve no século passado.

Desta forma, a frequência 2, que pertence ao Elemento Água, ficará em contacto directo com o Elemento Fogo (energia do século e energia do ano 2012). Ora estes dois Elementos que à partida são incompatíveis necessitam de um outro Elemento para poderem trabalhar juntos – o Elemento Ar que encontraremos nos anos pessoais 1, 7 e 9.

Esta frequência é associada a uma nova ordem, isto é, sob a energia do 5 temos finalmente, a coragem de enfrentar os fantasmas que nos amedrontam. Somos capazes de derrubar as barreiras que nos aprisionam. Adquirimos a força necessária para nos expormos sem medo de assumir quem somos. O Elemento que faltava e do qual necessitávamos para nos impulsionar em direcção à nossa liberdade está presente na frequência 5 – o Fogo.

O Fogo, ou para simplificar, a nossa energia anímica equilibrada (com os restantes elementos: Água, Ar e Terra), é essencial para manifestarmos a tão desejada mudança que queremos ver nas nossas vidas.

Paremos de querer mudar os outros! Esta é uma ilusão cristalizada em muitos de nós, há demasiado tempo. É chegada a hora de estilhaçar essas crenças que não nos permitem sair do lugar onde nos encontrarmos.

O regente do ano – vibração 5 – pede acção. A inércia é totalmente inaceitável e poderá sair muito cara a quem optar por ficar imóvel perante tudo o que requeira acção.

É um tempo de regeneração, é o momento de deitar fora o velho para dar lugar ao novo. Temos que ser nós a dar essa permissão ao nosso Ser em permanente evolução. Sem a nossa bênção, nada poderá ser transformado. Estamos sós perante essa decisão. Não podemos imputar essa responsabilidade a nada nem a ninguém. Insistir em arranjar justificações para o que não fazemos, sabendo que é o momento de agir só provoca desequilíbrio nos vários planos da nossa existência (físico, mental, emocional, espiritual).

É tempo de transformar, de reequilibrar, de encontrar um novo uso para as coisas, uma nova direcção para a nossa vida, etc. Esta nova atitude requer uma imensa coragem para enfrentar todos os desafios que se erguerão perante nós, como montanhas intransponíveis. É necessário reforçar a nossa Fé em nós mesmos, rever em que nível se encontra a nossa auto estima e a nossa auto confiança. Também se aconselha a verificar em que estado se encontra a nossa determinação e persistência.

Esta energia vai “obrigar-nos” a remexer no nosso lixo mental, emocional, físico, etc. Não é um período fácil. É difícil lidar com os apegos. Estamos tão habituados… Custa deixar ir… aquela pessoa, aquele lugar, aquela casa, aquela recordação, aquele objecto, aquele pensamento. Porém, é tempo de Purificação e Cura. É o momento oportuno para equilibrar os opostos, unir as polaridades e seguir pelo caminho do meio.

O ano vai trazer muita agitação, muitas convulsões internas e por consequência muitas convulsões externas.

A dada altura poderemos sentir-nos perdidos, confusos, sós, à deriva, sem saber que rumo tomar. Não devemos deixar-nos enredar pelas teias colocadas no caminho. Quando esse momento chegar, cerque-se de serenidade e busque o seu centro. Sem estarmos centrados, e sob a vibração do 5 sentir-nos-emos esgotados e apetecer-nos-á desistir. Compreenda que tudo faz parte de um longo processo de aprendizagem e que este aparente caos dará lugar a uma nova ordem, ainda que possa não a ver imediatamente manifestada.

A vibração 5 é muito forte dado todo o Fogo que é activado em nós e à nossa volta.

As pessoas regidas pelo elemento Fogo deverão tomar cuidados redobrados, procurando o equilíbrio com os restantes elementos (Água, Ar e Terra). Nomeadamente, as pessoas que possuam no seu mapa numerológico, números regidos pelo elemento Fogo, nos aspectos ou posições mais importantes do mapa ou que por outro lado, possuam esses mesmo números em abundância (ex. 3,5,9,33 e 44).

Uma boa forma de reencontrar o equilíbrio dada a forte agitação sentida em 2012, será aproveitar qualquer momento, que nos ofereça a possibilidade de experimentar um sentimento de ligação à terra.

Esta necessidade de ligação à Mãe Terra é fundamental sempre que a agitação, a confusão, o nervosismo ou a inquietação se apoderarem de nós. Também é oportuno sentir esta ligação sempre que a dispersão nos impeça de manter o foco.

Outra chave para o equilíbrio é o Silêncio. O Silêncio, ainda é para muitos, causa de medo. Ficar em silêncio muito tempo a olhar para dentro não é uma tarefa fácil para o ser humano. Se soubéssemos como a nossa poderosa energia se esvai, sempre que falamos sem parar, mudando de assunto frequentemente num curto espaço de tempo, divagando, respirando pouco e mal entre cada afirmação, já para não falar do tempo que se dedica a criticar e a julgar os outros…

Há muitas formas de entrar em contacto directo com o nosso Eu Interno. Meditando, caminhando, contemplando, confortando os outros, fazendo alguém feliz…

Depois de um momento de silêncio sente-se um alívio profundo e uma força renovada toma conta de nós, dando-nos o alento necessário para continuar a jornada com os pés bem assentes na terra.

A vibração 5 dota-nos de uma versatilidade imparável que somada à nossa sabedoria interna nos coloca na rampa de lançamento para a tão desejada liberdade. Mas a liberdade é difícil de entender porque teimamos em querer compreendê-la do ponto de vista cognitivo. A liberdade não é fazer o que nos apetece, quando nos apetece. Encontrar a nossa liberdade interior implica disciplina e concentração na nossa vida diária. Quantos de nós estão dispostos a fazê-lo?

A liberdade é uma escolha. A escolha consciente que nos permite alcançar uma nova ordem.

 

De acordo com o que foi dito, passemos a analisar os anos pessoais em 2012.

Calcula-se o Número do Ano Pessoal adicionando o dia e o mês do nascimento ao ano de calendário. Seguidamente, reduz-se o resultado a um número entre 1 e 9.

A energia do ano pessoal deve ser descodificada, tendo em conta outras energias importantes num mapa numerológico, nomeadamente o Número de Vida, o Ciclo que se está a vivenciar, o Número de Poder, só para citar alguns exemplos.

 

Palavras-chave: Liberdade; Mudança; Versatilidade; Coragem; Agitação; Confusão; Inquietação; Nervosismo.

Análise Numerológica 2011 - Ano 4

Eva Veigas, 01.01.11

A vibração numerológica do ano 2011 é 4. Significa que a essência do ano é o Rigor, a Ordem, a Estrutura, a Organização.

O 4 pertence ao Elemento Terra, trata-se portanto de um número material. Quando pensamos em matéria, pensamos no corpo físico, nos bens materiais, no dinheiro, no trabalho … É um ano de “fazer”, de colocar em prática, o que se aprendeu. Porém este ano não é tão prático como à primeira vista possa parecer. Também nos irá trazer desafios do ponto de vista emocional, como veremos mais à frente. É um ano forte, que nos irá marcar a todos com a sua energia.

O ano de 2010 foi um ano 3, e portanto, de alguma forma ele apresentou-nos desafios, nomeadamente ao nível da criatividade, da alegria, da prosperidade, da expansão em todos ou em vários níveis da nossa vida.

Fizemos outras escolhas e a poderosa energia do 3 trouxe-nos para outros patamares. “Obrigou-nos” a ir mais longe, a saltar barreiras, a vencer dificuldades e portanto, é natural, que à medida que 2010 se aproxima do fim, a nossa vida nos pareça um pouco caótica ou confusa, se não toda, pelo menos alguns dos seus aspectos. Por isso, 2011 é o ano ideal para organizar e colocar em ordem essas áreas da nossa vida.

Por outro lado o ano de 2012, terá uma energia 5. Será um ano de agitação e mudança profundas em todos os níveis do nosso Ser, e nem sequer estou a referir-me às tão faladas e discutidas previsões para 2012. Refiro-me apenas às ferramentas, capacidades e habilidades de que dispomos para trabalhar ao nível da evolução do Ser. Podemos e devemos usar os egos, a estrutura humana, na sua totalidade e complexidade para o crescimento do Ser.

Assim, o ano 2011 (ano 4) é uma espécie de fiel da balança, que permite um tempo e um espaço para equilibrar a organização do caos deixado pelo ano 2010 (ano 3), onde quer que ele se encontre na nossa vida e a preparação para aceitar e dar as boas-vindas às mudanças, às alterações, aos altos e baixos, que eventualmente ocorrerão na nossa vida em 2012 (ano 5).

Esta energia do 4 é essencial para restabelecer, com rigor, e na prática, a ordem no nosso Ser.

Quando preparamos uma festa, temos que saber organizá-la! O espaço onde se vai realizar, a data, os convidados, os convites, o serviço de catering, etc. Sabemos exactamente onde colocar a nossa atenção, o nosso foco e não podemos dispersar-nos um só instante. Vemos e revemos todos os pormenores para que a festa seja um sucesso. Aqueles de entre nós mais avisados, sabem que os imprevistos acontecem e por isso prepararam-se para quaisquer eventualidades (e mesmo assim sucedem, por vezes, situações que ultrapassam a nossa imaginação)! Ao mesmo tempo, um estado de aceitação interna, para o que vier, permite uma maior tranquilidade interior e uma maior capacidade de resposta perante uma dificuldade.

Assim é como devemos encarar o ano 2011: como se fôssemos preparar um grande evento em 2012. Quanto mais organização e rigor imprimirmos à nossa vida, menos sobressaltos teremos em 2012, e mesmo assim devemos permanecer com espírito de grande abertura para a possibilidade de uma grande mudança.

Tal é a importância de um ano 4 na nossa vida: preparar o terreno para o ano 5 (2012) que se segue e simultaneamente (porque uma situação depende da outra) arrumar e organizar tudo o que estiver pendente do ano 3 (2010).

A propósito disto quero referir ainda dois aspectos, que me parecem importantes. O primeiro, para dizer que a ideia de rigor e ordem por vezes é bastante assustadora, pois, remete-nos para uma certa rigidez, um certo peso. Na realidade, podemos perfeitamente usar e abusar destes conceitos de forma leve. Não há nada, que nos impeça de ser felizes e organizados!

O segundo aspecto, para dizer que utilizar as energias na direcção oposta, traz, naturalmente, o resultado oposto! É óbvio, mas é sempre bom lembrar.

Na prática, este ano 4 pede-nos para colocar o nosso foco em aspectos como:

- Corpo físico: saúde, alimentação, forma física, bem-estar interior e imagem exterior;

- Família: manter a família unida, fazer a família participar em tudo, atribuindo tarefas específicas para cada um, de acordo com a idade e com a personalidade e organizar momentos de encontro harmoniosos;

- Casa: organização, manutenção, limpeza, arrumação, criação de espaços práticos à nossa medida e sobretudo onde nos sintamos bem;

- Trabalho: reveja a sua situação: está feliz ou infeliz? Porquê? Se não pode mudar de emprego, o que é que pode alterar no actual e como? Faça uma lista das suas tarefas, organize-se! Se for preciso, peça ajuda aos colegas, aos chefes. Fique atento ao que se passa ao seu redor, previna-se. Não espere que o problema venha ter consigo, adiante-se aos imprevistos, encontre soluções criativas, pense como um líder e aja com determinação, assuma os seus êxitos, mas assuma também os seus erros, não empurre a culpa para os outros.

Devo acrescentar que o ano 2011 tem mais uma particularidade à qual não se pode ficar indiferente, que é o facto de terminar em 11. Na realidade, as datas que iremos escrever, serão quase sempre, terminadas ou começadas (depende da forma como escrevemos a data) em 11.

Ex: 1 de Janeiro de 2011 será 1/1/11 ou 11/1/1. E assim sucessivamente, portanto o 11 estará na ordem do dia, por assim dizer.

Numerologicamente, o 11 está associado entre muito outros aspectos aos relacionamentos (como me relaciono comigo mesmo e como me relaciono com os outros), à intuição e à capacidade ou habilidade de ver mais longe.

Assim, estas energias marcarão a diferença de um “simples” ano 4, pois o 11 é um número mestre e portanto a exigência desta vibração é maior, relativamente à vibração do 2.

 

Para além disto, se dividirmos 2011, obteremos 20/11, o que nos remete automaticamente para a vibração 2. Isto é, 20 = 2 + 0 = 2 e 11 = 1 + 1 = 2.

O 2, por sua vez, remete-nos para o aspecto emocional da existência, já que o 2 pertence ao Elemento Água. Assim, este ano também nos pede para olharmos para o aspecto emocional em nós, tantas vezes incompreendido e mal integrado, sendo por isso, o causador de inúmeros obstáculos nas nossas vidas.

Assim, podemos afirmar que temos um ano para integrar dois aspectos o material com o emocional. Tarefa nada fácil!

O 2 pede-nos para detectar o nosso juiz interno, aquele que continuamente nos julga, nos critica, nos faz sentir inadequados, com um sentimento de não pertença, e pouco ou nada merecedores daquilo que temos e daquilo que somos. O mesmo juiz que também está sempre presente quando analisamos os outros de forma displicente, negativa, julgando e criticando tudo em nosso redor. Aquele juiz que ilusoriamente nos faz sentir acima do outro (seja o outro quem for). Esta energia assaz destrutiva, quer para nós, quer para os outros, pode e dever ser trabalhada individualmente de forma sistemática e rigorosa, o que na prática, trará consequências benéficas para o bem do Todo.

O 2 também nos pede mais harmonia e equilíbrio. Para isso, necessitamos em primeiro lugar, de querer trazer esse equilíbrio e essa harmonia para a nossa vida. Usar a vontade é fundamental. E em segundo lugar, precisamos de toda a coragem que pudermos reunir para alcançar este objectivo.

Em jeito de conclusão, podemos afirmar que o ano 2011 é um ano trabalhoso, um pouco austero, talvez, mas necessário para preparar com antecedência o ano 5 em 2012 que por inerência da sua energia, é particularmente rico em transformação, em mudança, em novidade, e que rompe muitas vezes (para não dizer sempre) com a ordem estabelecida, isto é, com aquilo a que nos acomodámos há demasiado tempo!

 

É com base nesta análise que iremos abordar de seguida a energia dos anos pessoais para 2011.

 

O Número do Ano Pessoal constitui uma das principais vibrações com as quais nos iremos deparar ao longo da nossa vida. O cálculo do Número do Ano Pessoal faz-se adicionando o dia e o mês do nascimento ao ano presente, neste caso concreto, 2011. Reduzindo-se este número, obteremos como resultado um número entre 1 e 9.

Cada ano é assim individualizado sendo importante compreender a energia predominante do nosso ano pessoal que nos acompanhará durante esse período para nos ajudar ou orientar na escolha do melhor caminho. Acrescente-se que a energia do ano pessoal tem início no mês de aniversário.

Entretanto, cabe aqui lembrar, que é necessário ter em mente que esta energia ou vibração predominante não significa predestinação. A descodificação do Número do Ano Pessoal só envolve as tendências que vivenciarmos, dando-nos uma indicação provável, de como reagiremos, perante as mesmas. De posse destas informações, com a devida antecedência, poderemos decidir de forma mais cuidadosa e precisa, evitando erros desnecessários.

Outra questão importante a ter em conta nesta análise, é verificar em que Ciclo e em que Pináculo se encontra o Ano Pessoal, pois tanto o Ciclo como o Pináculo possuem eles próprios vibrações predominantes, que podem ser mais ou menos dissonantes com a vibração do Ano Pessoal.

Finalmente, devo referir que os Anos Pessoais mais favoráveis são aqueles cuja vibração é igual ou permite uma boa conjugação das diferentes vibrações com o Número de Vida, o Número de Expressão, o Número de Alma, o Número de Imagem e a vibração do Dia de Nascimento.

 

Para se alinhar com as vibrações predominantes de cada número do ano pessoal, use as cores a ele associadas, criativamente.

As cores podem ser usadas na meditação com velas, ou uma simples folha de papel, nas cores indicadas.

Pode usá-las na decoração de uma ou mais divisões da sua casa, na do seu espaço de trabalho ou no de lazer.

Também podem ser incorporadas no seu vestuário e/ou respectivos acessórios.

Finalmente, solte a sua imaginação e use as cores predominantes do seu ano pessoal como quiser.

 

Também pode usar as características positivas do número como mantra, repetindo para si próprio, escrevendo ou verbalizando em voz alta, a palavra ou as palavras cujas características deseja expressar na sua vida.

 

Consideremos agora os 4 Elementos ou Estações: Terra (Outono), Água (Inverno), Ar (Primavera) e Fogo (Verão).

Cada um deles exerce um papel importantíssimo para a sucessão dos ciclos da vida.

Esses mesmos 4 elementos formam o pilar no qual se sustenta a vida natural, podemos afirmar que para ser uma pessoa "completa", é necessário integrar esses 4 aspectos da personalidade.

 

 

Elemento Terra - A Terra representa a solidez, as bases onde assentamos. Representa o aspecto material da nossa existência.

A relação com o nosso corpo físico. A relação com a materialidade e com o materialismo. A relação com o dinheiro. A relação com os bens materiais. Na Numerologia este Elemento rege as vibrações 4 e 8.

 

Elemento Água – A Água representa a parte líquida quer do planeta quer do nosso corpo. Está naturalmente relacionada com o aspecto emocional da existência. A relação com a vida. A relação com os sentimentos. O grau de sensibilidade de cada um. As relações com os outros. Na Numerologia este Elemento rege as vibrações 2 e 6.

 

 

Elemento Ar – O Ar representa a parte gasosa do planeta e menos visível. Está relacionado com o plano mental da existência. A relação com a mente e com a psique. A capacidade de pensar, de reflectir. A introspecção. As ideias. Na Numerologia este Elemento rege as vibrações 1, 7 e 9.

 

Elemento Fogo - O Fogo representa todas as fontes de calor, principalmente o calor do Sol. Está relacionado com o aspecto espiritual da existência. A relação com a espiritualidade. A alma. Aquilo que nos anima. Os ideais. Na Numerologia este Elemento rege as vibrações 3, 5 e 9.

 

 

Obs. Pode ler acerca das cores, das características e dos elementos associados aos números dos anos pessoais, no final de cada um dos respectivos artigos que se seguem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Análise Numerológica 2010 - Ano 3

Eva Veigas, 01.01.10

 

2009 (2 + 0 + 0 + 9 = 11) pediu-nos coragem, firmeza e fé total em nós próprios a fim de ultrapassarmos todos os obstáculos que a poderosa força do 11 produz. Agora, munidos das nossas pequenas ou grandes conquistas no campo pessoal, familiar, emocional, profissional etc. (que com certeza não foram fáceis de alcançar dado que o 11 proporciona ideais muito elevados), podemos seguir em frente com total abertura, prontos para abraçar a transformadora energia do 3 em 2010 (2 + 0 + 1 + 0 = 3).
 
Se efectivamente conseguiu pelo menos a maior parte dos objectivos a que se propôs durante o ano 2009 está no bom caminho para que o ano 2010 seja um verdadeiro sucesso em todos os aspectos.
A vibração do 3 estará presente durante 365 dias em tudo o que nos rodeia traduzindo-se em relacionamentos alegres, boa disposição, vontade de viver, beleza, energia, saúde.
 
Palavras como Criatividade, Prosperidade, Abundância, ou Inspiração, são a tónica para 2010, já que a energia do 3 aumentará em cada um de nós as nossas capacidades nestes campos. Atenção a todos aqueles que se encontrarem em momentos de depressão, solidão ou desesperança, pois a energia do 3 também acentuará todas as negatividades transformando tudo em tristeza profunda. Portanto, para todos quantos se encontrem num período menos bom das suas vidas aconselho a que saiam dele o mais rápido possível e com alto astral. Terão que ser capazes de procurar a alegria dentro de si próprios e parar de a procurar nos outros ou em coisas externas que como sabemos são apenas passageiras. Depois de encontrarem a alegria mantenham-na e saibam que essa é a parte mais difícil…mas possível.
 
Assim, em 2010, estarão favorecidos aqueles que forem capazes de fluir com a vida, os que perante toda e qualquer adversidade permaneçam serenos, calmos e confiantes, os que sejam capazes de retirar sempre o lado positivo duma qualquer situação por mais trágica que possa parecer e os que com a sua alegria de viver contagiem outros a experimentar essa mesma alegria. Vamos precisar dessas pessoas!
 
Em termos profissionais estão favorecidas todas as actividades relacionadas com expressão, comunicação e comércio. A vibração 3 permite desenvolver, melhorar ou aumentar as capacidades dos artistas (desde o artesanato à escultura, passando pela pintura, música, teatro, cinema, etc.), jornalistas e todos os que estão de alguma forma ligados ao mundo da comunicação, escritores, argumentistas, etc. dado que a criatividade e a inspiração irão estar ao rubro. Encontram-se ainda favorecidas as profissões ligadas ao comércio em geral. Para aqueles que trabalham directamente com o público podem contar com um aumento da clientela, dado que a energia do 3 proporciona um alargamento em termos de relações profissionais e pessoais, como veremos já de seguida.
 
No campo pessoal e sentimental as possibilidades são ilimitadas. Este ano trará novas relações, novos conhecimentos, permitindo assim, alargar a sua rede de amizades. Para quem está só este é um ano propício para encontrar um companheiro/a. Para aqueles que já têm uma relação e se porventura houve alguma destabilização, confronto ou mesmo ruptura, as notícias são optimistas, pois o 3 remete para o equilíbrio. Portanto, tem um ano inteirinho para retomar a sua relação, usando o diálogo e aquela tolerância e compreensão que supostamente deve ter trazido consigo do ano 2009. É evidente que cada caso é um caso e portanto poderá e haverá com certeza excepções a estas possibilidades. Cabe a cada um de nós aproveitar este final de ano para fazer um balanço de 2009 que se aproxima rapidamente do seu termo e decidir o que quer manter, o que quer mudar e o que quer largar em 2010.
 
Finalmente, lembrar que apesar desta energia estar disponível em 2010, há que ter em consideração o ano pessoal de cada um e que essa energia pessoal juntamente com a energia do ano universal, poderá levá-lo numa ou noutra direcção. Para além disso, devo também recordar que estas possibilidades são generalistas e que só uma consulta de numerologia permite fazer uma leitura minuciosa, correcta e adequada a cada caso.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Análise Numerológica 2009 - Ano 11

Eva Veigas, 01.01.09

 

2009 Encontra-se sob a influência do número 11 1, em termos numerológicos e sob a influência da carta do Tarot 2 – a Justiça.

 

As palavras-chave para este ano são: Inspiração, Tolerância, Coragem, Persistência e Altruísmo

 

Não são apenas palavras bonitas ou conceitos fantásticos. Estas palavras-chave podem e devem ser traduzidas em atitudes diárias e constantes por cada um de nós. Só assim poderemos transformar o mundo, o nosso mundo, num lugar melhor.

É verdade que nem todos temos inspiração. A inspiração não é algo que aconteça simplesmente porque queremos. Porém, de vez em quando, todos nós temos momentos de verdadeira inspiração. Além disso todos temos sonhos. Alguns parecem bastante impraticáveis…não é? Então saiba que este ano em particular favorece todos aqueles que acreditam nos seus sonhos, mesmo aqueles aparentemente impossíveis.

Favorece também todos os visionários, todos os que possuem ideais elevados, ideias inspiradas e inspiradoras, bem como os que possuem elevados níveis de altruísmo.

Beneficia ainda todos os que iniciaram a sua busca interior e que persistem nela e para a qual, é evidentemente, necessária, grande coragem e persistência.

 

2009 está sob a influência da Justiça (lâmina XI do Tarot de Rider Waite).

A dualidade estará muito presente neste ano 11. Torna-se assim, necessário considerar todo e qualquer aspecto de uma determinada questão. Para isso deveremos usar a nossa capacidade de julgar, utilizando o bom-senso, o rigor e a capacidade de ser imparcial. Teremos que perceber que aquilo que muitas vezes pensamos ser mau, no que à dualidade diz respeito, é na verdade um meio de perceber os opostos. De facto, o Sol não se opõe à Lua ou vice-versa. O que acontece é que o dia dá lugar à noite e a noite dá lugar ao dia. Então não existe propriamente uma oposição mas sim uma complementaridade. Teremos que fazer um esforço para compreender esta questão, pois como sabemos, na maior parte das vezes, estas dualidades geram confronto e mal-estar. A impaciência e a necessidade de dominar o outro serão um mau investimento para um ano que pede maior tolerância, maior compreensão e consequentemente maior harmonia entre os seres humanos.

Será pois, necessário, possuir uma grande dose de auto confiança e de auto estima para lidar com as lições de coragem e firmeza que este ano 2009 nos propõe.

 

 

1 Em numerologia o 11 é considerado um número mestre. Designa-se por número mestre por ser dobrado, isto é, a energia do 1 aparece repetida.

 

2 Tarot de Rider Waite – A Justiça é a carta 11.

 

 

Desejos de um Excelente 2009!