Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Data em análise - 15/10/2021

Eva Veigas, 15.10.21

15_10_21.jpg

 

15/10/2021

 

A vida exige que façamos escolhas a cada momento. Umas mais simples e fáceis de decidir; outras de uma complexidade tal, que nos exigem um dispêndio brutal de energia: exigem um cuidado especial, pois requerem mais tempo e atenção, fazendo-nos reflectir intensamente. Nesse movimento tão interno, passamos pelas mais variadas sensações. Vamos da indecisão à decisão, voltamos para um patamar de hesitação, onde, novamente, colocamos tudo em causa, incluindo nós mesmos (e quem não o faz, terá consequências menos agradáveis, pois exclui-se da situação, como se não estivesse em si mesmo, a causa e a solução do desafio gerado) para novamente começar a ver com clareza e logo em seguida, regressar à dúvida e à incerteza, e assim sucessivamente, até tomarmos a tal decisão definitiva.

Ora, este processo que pode durar horas ou semanas, também pode durar meses a fio ou anos, ou mesmos arrastar-se de uma vida para outra. Sim, há decisões e escolhas pendentes de vidas anteriores e é de certa forma fácil de descobrir quais são quando olhamos para a nossa vida actual.

Hoje é um dia adequado para se reflectir acerca daquilo que se tem vindo a escolher de forma consciente, atentando nos frutos dessas mesmas escolhas. Se elas têm estado a servir o nosso propósito maior, então, deveremos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para perseverar nesse caminho. Porém, se pelo contrário, as nossas escolhas foram feitas com base nas decisões e indicações de terceiros, pode ser que não estejamos a viver a nossa verdadeira vida, mas apenas um eco dela. A nossa vida é muitas vezes apenas uma amostra daquilo que sonhámos para nós, e como estamos tão dentro dos nossos próprios casulos é-nos muito difícil compreender e aceitar que assim é.

É por isso que com o tempo, nos deveremos tornar maleáveis, flexíveis, vulneráveis, para que nos possamos dar a conhecer a nós mesmos e aos outros. Sendo que, o papel dos “outros” é tão somente reflectir, como numa superfície espelhada, aquilo que em nós não vibra ainda na condição desejada. E, a partir dessa constatação, tudo deveremos fazer para criá-la, e bem assim, passar a viver a partir de um novo nível de consciência. É também por essa razão que não adianta zangarmo-nos com as outras pessoas, porque se não for a pessoa “a”, há-de ser a pessoa “b” a reflectir a nossa dor, a nossa impaciência, o nosso orgulho, a nossa vaidade, etc.

Então, manter a nossa integridade, também implica parar de nos sentirmos permanentemente atacados e estar sempre à defensiva; implica parar com esse desejo de vingança e perpetuar a velha máxima que diz que “cá se fazem cá se pagam”.

O importante é manter a serenidade e a constância internas. Claro que isso requer uma certa habilidade e muita prática diária. Felizmente temos à disposição, durante 24h, muitas pessoas e situações para nos podermos exercitar à vontade, entrando para isso em modo de observação interna.

Observando internamente toda e qualquer reação a todo e qualquer movimento que venha do exterior, poderemos retirar muitas informações que nos levam a compreender o que estamos a sentir ou a sentir o que estamos a compreender.

Este é um processo muito criativo que mostra a real sinergia entre os nossos vários corpos ou campos, como por exemplo a forma como a mente e as emoções interagem e se entreajudam, quando as nossas partes mais egocêntricas e ego centradas não se intrometem no processo. Quando apenas nos permitimos observar e assistir a tudo, tal como um espectador que assiste a um qualquer espetáculo na bancada. Ele vê, observa, escuta, constata, gosta ou não, sente mil e uma emoções, tem mil e um pensamentos, mas não pode interferir no rumo dos acontecimentos.

Ou seja, nós teremos que aprender a observar, sem nos deixarmos dominar nem pela mente entorpecida, nem pelo turbilhão de emoções e pensamentos, nem pelo ego e pelas suas vaidades, nem por nada que possa impedir que o processo interno e a respectiva transformação interior do ser, ocorram.

Importa ainda esclarecer, que há certos desafios e certas fluências todos os dias e a todas as horas, e os de hoje centram-se, por um lado, num certo nervosismo interior, num perfeccionismo exagerado e numa falta de força e afirmação interiores, que podem resultar num dia pesado ou complicado, para alguns de nós; e por outro lado, do lado das fluências, surge energia suficiente para ir para um lugar tranquilo (pelo menos internamente; se for possível estar algum tempo na natureza, tanto melhor) onde poderemos buscar alguma tranquilidade e sentir tudo com mais profundidade, onde poderemos captar a quintessência do dia; teremos também, ainda a nosso favor, frequências  harmónicas (polos que se atraem, ou seja, há espaço, hoje, para a resolução de alguns opostos/conflitos - o que obviamente resulta em bem-estar e pacificação internas - os quais, logicamente, terão a sua contraparte externa ao nível do nosso comportamento na sociedade, na família, entre amigos, etc.). Finalmente, teremos ainda espaço para a beleza (e este conceito é amplo e vasto, tendo aplicação em várias áreas como é sabido).

Assim, este é um dia que tanto pode ser esgotante como regenerador, tudo dependerá da forma como o pudermos e soubermos vivenciar. Porém, uma coisa é certa, ele será, sem sombra de dúvida, muitíssimo transformador, habilitando alguns de nós a um novo patamar de consciência.

 

 

2 comentários

Comentar post