Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eva Veigas

Numerologia, Tarot e Terapias de Desenvolvimento Pessoal e Espiritual

Eva Veigas

Numerologia, Tarot e Terapias de Desenvolvimento Pessoal e Espiritual

Ano Pessoal 7 em 2019

12.12.18, Eva Veigas

2019_7.jpg

Imagem: Ella Jardim

2019

 

Ano Pessoal 7

 

Tu não estás separado dos outros, encerrado numa solidão mortal, com angústias e doenças que só a ti pertencem. Volta-te para os outros, aprende a olhar de outro modo o mundo que te rodeia. Experimenta pensamentos harmoniosos por todas as formas de vida se desejares recuperar a alegria, pois és o irmão e a irmã de todas as criaturas.

 

Sabedoria Ameríndia

 

 

Este Ano Pessoal* 7 pode ser resultado da redução dos Números 16 ou 25, conforme os casos.

 

O Número 7 representa simbolicamente a Senhora do Ar, a Deusa dos Ventos e das Tempestades - que espalha e distribui as sementes lançadas por Héstia, o Fogo Central -, relaciona-se com a esfera da mente, da psique, das ideias, das ideologias, das filosofias, do conhecimento, do desenvolvimento e do aprofundamento da sabedoria interior.

 

Este ano pessoal é marcado por uma espécie de estímulo interno que nos convida a viajar através das camadas mais profundas do nosso mundo interior, explorando demorada, mas intensivamente, camada após camada, para atingir o núcleo ou a essência do nosso ser. Uma necessidade de aprofundar partes de nós mesmos até agora inacessíveis. Partes da nossa vida, dos nossos relacionamentos (família, amizade, parceiro(a), etc.), das nossas carreiras, profissões ou actividades laborais, dos nossos hobbies, etc. Uma vontade de descobrir e arredar os véus da ignorância que nos separam muito, quer de nós mesmos, quer dos outros.

 

No entanto, isto não significa que ganhemos uma imediata consciência deste contacto com essas nossas dimensões internas, já que estas dinâmicas levam o seu tempo a ser coligidas e integradas pela nossa mente, emoções, actos e experiências. Também não significa que consigamos atingir o núcleo da profundidade do nosso ser, e muito menos é desejável que isto se torne obsessivo ou compulsivo. Não é uma meta, é uma viagem para desfrutar, para nos descobrirmos. É algo que acaba por ser bastante natural, desde que não nos apeguemos ao resultado “final”.

 

Por vezes é preciso cumprir um ciclo inteiro e só no seguinte ano pessoal 7, se começa a ter um vislumbre mais real, por assim dizer, da caminhada que estamos a percorrer. Desse modo, os seguintes anos pessoais 7 irão devolver-nos mais e mais consciência de cada passo que vamos dando no caminho.

 

Tudo isto exige uma boa dose de silêncio e de algum isolamento, para permitir momentos de reflexão e meditação profundas. Em períodos como este, é fundamental estar a sós connosco durante algumas horas ao longo do dia, ou, pelo menos, caso isso não seja de todo possível, alguns minutos.

 

Em termos práticos, o ano 7 é indicador de um cenário óptimo para estudar, ler, escrever, investigar, fazer experimentos, ampliar conhecimentos ou especializar-se nalgum assunto ou matéria.

 

Isto irá exigir, evidentemente, muito foco e uma especial atenção a cada momento. É também um convite a sermos ou tornarmo-nos mais aplicados, disciplinados e rigorosos relativamente às nossas escolhas, de forma a sermos bem-sucedidos nesta demanda. O ideal é não perdermos de vista o aspecto prático do quotidiano, executando pequenas tarefas todos os dias, mas sempre sem perder de vista o objectivo principal.

 

É preciso, no entanto, cuidar dos excessos desta frequência, pois um dos grandes obstáculos presentes ao longo do ano relaciona-se com uma necessidade exagerada de se proteger dos outros, levando-nos a construir muros demasiado altos e demasiado espessos em nosso redor, o que impede, obviamente a aproximação e a inclusão dos outros na nossa vida.

 

O desafio que se apresenta este ano reside essencialmente na teimosia e na resistência, não só em nos abrirmos ao novo, mas também na capacidade de criarmos uma condição que nos permita ir esvaziando a mente de tudo o que achamos que já “sabemos”, abrindo espaço a que novas ideias e experiências possam chegar até nós.

 

Implica também uma enorme dificuldade em manter o foco em tudo o que é prioritário, em estabelecer limites, em saber dizer não, em ir criando regras mais ajustadas a nós, à medida que o processo de decantação e purificação da nossa alma vai progredindo, arrastando consigo as convicções, as crenças limitadoras, os bloqueios, e demais devaneios da nossa personalidade.

 

É preciso aprender ainda a combater a inércia, a preguiça e o comodismo, pois estes elementos estarão presentes ao longo de todo o ano e uma vez que ganhem espaço, tratarão de espalhar as suas raízes, contaminando o nosso fértil terreno, atirando-nos para o tédio, o aborrecimento, a indiferença…

 

Está ao nosso alcance, no entanto, um conjunto de factores que contêm uma fórmula específica e que de certa forma asseguram o sucesso dos nossos empreendimentos ao longo deste ano. Ela deve ser activada e praticada por cada um de nós, nos momentos que entendermos dela precisar.

 

Essa fórmula contém criatividade, alegria, bom humor, simplicidade, ambição saudável, silêncio, arte de pensar, meditação, serenidade, habilidade para articular várias áreas do conhecimento, capacidade de recomeçar do zero, cooperação, boa organização pessoal, disciplina, seriedade, objectivos claros, ousar sonhar e manter o contacto com a terra, com a realidade, para que o sonho não se torne demasiado irreal, idealista ou utópico e dessa forma não venha nunca a ser realizado ou materializado.

 

 

Eva Veigas

Numeróloga Transpessoal

 

Para saber mais acerca da Regência do seu Ano Pessoal agende a sua consulta  através dos contactos disponibilizados no Blog.