Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Numerologia Arcana

by Eva Wolf Heart

Ano Pessoal 9 em 2017

Eva Veigas, 17.03.17

Ano Pessoal 9 em 2017

 

O Ano Pessoal 9 é o último ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 9 significa que 2009 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará neste ano 2017.

 

Um ano pessoal 9 representa uma imensa oportunidade para reavaliar o que temos estado a trazer para a nossa vida, para onde nos estamos a dirigir e que meios estamos a usar para avançar na nossa senda pessoal, sabendo que a nossa vida está permanentemente interligada com as vidas de outras pessoas.

 

A nossa insatisfação pessoal, a incapacidade de lidar com muitos dos problemas que estão presentes na nossa vida, as nossas inseguranças, os nossos níveis de frustração e zanga, costumam fazer-se notar com particular intensidade, quando nos encontramos sob o foco de um ano pessoal 9.

 

Parece que tudo regressa a nós, como se todos os fantasmas do passado voltassem para nos assombrar. Porém, por muito doloroso, desconfortável ou penoso que possa ser este momento, estes aspectos constituem, na verdade, uma grande oportunidade de serem curados, sanados, resolvidos, arrumados e colocados nos sítios certos ou adequados.

 

A possibilidade que se nos apresenta é a de ver com os nossos próprios olhos, a verdade nua e crua acerca de nós mesmos, de como nos comportamos diante dos diferentes desafios que a vida nos vai colocando. É a resposta que lhes damos que vai desenhando o nosso padrão comportamental e só observando e analisando o padrão poderemos agir a fim de transformar a génese, a causa da dor, que nos acompanha desde sempre.

 

Um ano 9 serve para retirar da nossa frente muitos véus que nos separavam da realidade da nossa própria vida e nos colocam agora numa perspectiva mais isenta e plena, a partir da qual podemos decidir deixar para trás velhos dogmas, velhas certezas, velhas histórias acerca dos outros e de nós mesmos.

 

Um ano 9 coloca-nos em posição de investigar e de buscar a nossa própria verdade, sem receio de a encarar, de modo a poder fechar este ciclo e entrar no seguinte com nova energia, dando novo impulso à nossa vida. Pode ser um novo foco de interesse, um novo amor, uma nova paixão, um novo desafio, uma nova carreira, etc.

 

Um exercício que pode ajudar-nos a rematar as pontas soltas e a reposicionarmo-nos no aqui e agora, é olhar para trás e constatar que género de desafio estávamos a viver há 9 anos, neste caso concreto, o que estava a suceder na nossa vida em 2009? E como estávamos a agir. Estávamos paralisados? Angustiados? A lutar? A resistir? Obcecados? Zangados? Aterrorizados? Em pânico? A buscar solução? Relaxados? Confiantes? Entregues ao processo?

 

E agora? O que aconteceu? Como se resolveu essa situação? Teve um desfecho? Ainda está aí para ser resolvido? Não temos capacidade de solucionar a situação? Fingimos que não está lá e viramos a cara para o outro lado? Não mudámos de perspectiva? Nove anos volvidos e encontramo-nos no mesmo exacto lugar relativamente a esse contexto? Deixamos que se resolva por si mesmo? Mas quando? Estará na hora de experimentar novas possibilidades? Arriscamos?

 

Feito o balanço do ciclo anterior é tempo de nos prepararmos para o novo, para o desconhecido, rumo a mais uma aventura de 9 anos.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017, cuja soma dá 18 ou 29, serão reduzidos a 9, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 9.

 

Vibração 18 – Se o ano 9 for redução de 18 importa acrescentar para além do que já foi dito anteriormente, que este é um ano promissor e profundamente concretizador em que pode (e deve) ir colocando os seus planos e sonhos em andamento, sem ter que esperar pelo novo ciclo.

 

Um 18 é um convite a solidificar projectos, ideias, investimentos, a imprimir-lhes movimento. É tempo de agir e de ousar crescer. A sensação interior pode ser a de não estar preparado, a de que ainda lhe falta qualquer coisa, mas isso é apenas o seu perfeccionismo a impedi-lo(a) de avançar.

 

Se sente que há algo que não está como quer, avance devagar, com o que tem e depois lime as arestas das partes que necessitam de ser aperfeiçoadas. Caso contrário, o seu sonho será constantemente adiado por falta de firmeza e confiança internas.

 

Confie em si. Saiba que isto é apenas um teste (mais um) às suas inseguranças. Um ano pessoal 18:9 é um ano pródigo em acontecimentos e eventos que podem alterar a sua vida para sempre.

 

Porém, se não lançar a semente à terra, nunca poderá experimentar o gosto do fruto ou maravilhar-se com o aroma das flores.

 

 

Vibração 27 – Se o ano for redução de 27 é tempo de estudar, de aprofundar, de amadurecer quaisquer ideias, sonhos ou projectos que tenha. Tudo deve ser feito com a máxima concentração, dedicando tempo e amor às suas criações.

 

Prepare tudo com tempo, pois 2018 será o ano de abertura de novo ciclo para si, e aí sim, poderá lançar-se nas suas novas conquistas, sabendo que tudo foi feito com zelo e cuidado.

 

Não se disperse, pois a tarefa que tem em mãos pode parecer-lhe demasiado grande, utópica, impossível de ser realizada. Porém, não desespere!

 

Se a tarefa é muito grande divida-a em tarefas mais pequenas, se puder delegue e partilhe algumas partes com outras pessoas. Se trabalha sozinho faça todos os dias um pouco e no final verá a sua grande tarefa concluída e pronta a ser executada.

 

Acima de tudo não desanime. Prepare-se para enfrentar um ano repleto de grandes desafios que podem envolver saídas do país ou mudanças geográficas, que tanto podem ser momentâneas como definitivas.

 

Use e abuse da sua criatividade, inteligência e imaginação fértil pois isso irá ajudá-lo a cumprir a sua missão ao longo deste ano, conquanto mantenha uma mente aberta e receptiva ao novo e às possíveis mudanças repentinas de direção. A sua capacidade de adaptação às situações e aos desafios que surjam serão efectivamente testadas.

 

Finque-se na sua força espiritual. Entre na espiral evolutiva e não olhe para trás.

 

 

Eva Veigas

Ano Pessoal 8 em 2017

Eva Veigas, 16.03.17

nebula.jpg

 

Ano Pessoal 8 em 2017

 

O Ano Pessoal 8 é o oitavo ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 8 significa que 2010 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2018.

 

Um ano pessoal 8 é indicador de que o ciclo novenal está a dirigir-se para o seu final. É pois tempo de colheita, de concretização, de realização, de ganho ou de perda, de acordo com aquilo que tem vindo a escolher para a sua vida.

 

A qualidade das suas atitudes, comportamentos e decisões ditarão o mote deste ano 8, em tudo poderoso e amplificador.

 

O 8 aumenta e expande todo o tipo de experiências que irá viver ao longo do ano. Existe uma tendência para o exagero, para dar demasiada importância a certos factos, certos eventos, certas pessoas e certas situações. Tenha cuidado para não deixar empolar demasiado a energia ou virá a sofrer com isso mais cedo ou mais tarde.

 

Um ano pessoal 8 convida-nos a colocar em prática os nossos sonhos e desejos mais profundos, sobretudo aqueles que temos andado a adiar e procrastinar devido a todo o tipo de medos, constrangimentos, indecisões e impedimentos de vária ordem.

 

É chegado o momento de tornar visível a nossa obra, não importa o que é, ou o que pensam os outros. O que importa, é o quão significativo e importante é para nós ver o nosso trabalho realizado, materializado, tornado visível e palpável.

 

É um ano pragmático, para executar, para fazer e não para perder tempo com coisas mesquinhas, fúteis ou sem profundidade.

 

O que se faz, o que se decide e o que se concretiza em ano 8 dá frutos. Isso é garantido. Porém, a sua qualidade e quantidade é ditada por nós mesmos e está directamente ligada à nossa persistência, firmeza, determinação, empenho e vontade de fazer acontecer.

 

Simultaneamente é necessário fazer uma reavaliação da nossa vida, relativamente ao momento em que nos encontramos. É uma boa altura para nos reposicionarmos ante a vida e compreender que há tanto mistério para viver.

 

É um ano gerador de grande energia que é preciso saber gerir, caso contrário, ficaremos aquém das possibilidades que um 8 tem para nos oferecer.

 

É um ano de conquistas que implicam grande coragem, ação, força a todos os níveis, confiança, determinação, firmeza, atitude, pró-actividade e resiliência, pois o 8 é um agitador social, político, económico e cultural.

 

Temos que estar presentes na nossa própria vida para poder enfrentar os múltiplos desafios que um ano 8 propõe.

 

Teremos que estar preparados para assumir compromissos estáveis e duradouros, que exigirão muito de nós mesmos e das nossas capacidades. Portanto, antes de assumir o que quer que seja, certifique-se que cumpre todos os requisitos, leia nas entrelinhas e já agora, se for um contrato, seja de que natureza for, leia as letras pequeninas.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017, cuja soma dá 17 ou 26, serão reduzidos a 8, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 8.

 

Vibração 17 - Trata-se de um ano pessoal muitíssimo desafiante e tremendamente paradoxal. O 8 é um Número da Terra, que representa a materialidade, o palpável, o sólido, porém quando é redução de 17, a proposta é de atravessar o véu da densidade (e por densidade refiro-me aos aspectos materiais da nossa existência e de tudo o que nos rodeia e não a algo negativo ou mau), em direção ao subtil, ao imaterial, ao impalpável.

 

A sua missão será a de devolver vida às partes moribundas, enfraquecidas, esquecidas e ignoradas do seu Ser.

 

Toda a matéria estagnada produz densidade. Uma ideia a que não se dá vida, que não se materializa, que não encontra um meio de se expressar, estagna. Uma mente que não está activa, que não procura enriquecer-se com o novo, embrutece. Uma pessoa que não caminha, não corre, não dança, não salta, não pula, não se mexe, paralisa, entorpece.

 

Olhe para todos os aspectos do seu ser, incluindo o corpo físico e observe o que está estagnado. Que parte, ou partes, de si não têm vitalidade ou apresentam sinais de querer respirar de novo?

 

Pegue nessas partes e inspire-lhes alegria, movimento. Dê vida à sua vida!

 

A natureza do 17 realiza-se através do progresso, do impulso para a activação das energias inertes e estagnadas, que se encontram apenas à espera de serem resgatadas.

 

 

Vibração 26 – Um ano 8 redução de 26, deve ser encarado com a máxima seriedade e reverência, pois é necessária grande maturidade emocional para lidar com os desafios próprios desta vibração numerológica.

 

Trata-se acima de tudo de um número fortemente influente para dar um salto na sua evolução espiritual no caso de ser essa a sua vontade.

 

Independentemente de tudo o que possa estar a acontecer na sua vida, procure ganhar uma visão global dos acontecimentos, pratique a tolerância e adopte uma postura simples e descomplicada. Ser simples não é ser simplório, simplista ou ingénuo, é apenas ser eficaz e frontal.

 

É ter a capacidade de simplificar, descomplicando os problemas e de tornar mais transparente qualquer situação.

 

Use de diplomacia para resolver todo e qualquer conflito que possa surgir ao longo deste ano.

 

Assuma as suas responsabilidades, sem receio. Saiba apenas que é capaz de trazer resolução e solução para qualquer situação na sua vida ou na dos outros, caso lhe peçam ajuda.

 

Seja generoso e compassivo e abra mão de todo e qualquer tipo de cobrança afectiva.

 

 

Eva Veigas

Ano Pessoal 7 em 2017

Eva Veigas, 16.03.17

59715207_178755469808621_7068788374122790912_n_178

 

Ano Pessoal 7 em 2017

 

O Ano Pessoal 7 é o sétimo ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 7 significa que 2011 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2019.

 

Um ano 7 convida-nos a experimentar entrar em contacto com as nossas partes intocadas, com áreas de vida nunca antes experimentadas; convida-nos a ganhar consciência das áreas sombrias que existem dentro de nós, mas que por medo, vergonha, orgulho, impaciência, evitamento não queremos conhecer.

 

O 7 é um mergulho nas águas do nosso inconsciente mais profundo e isso na prática vai requerer momentos de intenso silêncio. Só nesse silêncio, sem o ruído mental, nos podemos encontrar e reconhecer, só aí nos podemos amar em toda a plenitude, pois aí aprenderemos a aceitar “a bela e o monstro“ que habitam o nosso ser.

 

Claro que há nossa volta surgirão rumores de que algo não está bem connosco, os outros poderão não nos aceitar, não nos reconhecer, não compreender o motivo dos nossos silêncios; poderão repudiar-nos, marginalizar-nos, mas se formos fiéis ao nosso caminho, não nos deixaremos manipular.

 

Todavia, necessitaremos de uma forte e saudável estrutura psíquica para podermos lidar com toda a sorte de desafios provocados pela influência de um ano 7 na nossa vida.

 

Um dos mais difíceis desafios é não confundir solidão com isolamento. Precisaremos de estar sós muitas vezes ao longo do ano, porém, não poderemos cair na tentação de nos isolarmos e evadirmos do mundo, pois nós fazemos e somos parte do mundo.

 

O nosso contributo para a vida, para os outros, para a família, para a comunidade, para a sociedade, é precioso, e não deveremos ignorar esse facto. Aprenderemos, com o tempo e com a experiência a não subvalorizar esse facto, nem a supervalorizá-lo.

 

Este é um ano de amadurecimento em termos psíquicos e mentais e de ganhar uma nova compreensão acerca do papel que desempenhamos na nossa própria vida.

 

Compreender que somos os Senhores do nosso destino, somos nós que decidimos qual a direção a seguir, que caminho é necessário percorrer e que experiência é preciso viver, seguros e conscientes da responsabilidade que detemos nas nossas mãos.

 

Sabemos que o conhecimento, a responsabilidade e a liberdade andam de mãos dadas e que são interdependentes. Portanto, este é um ano para assumir a responsabilidade sobre o conhecimento adquirido e integrado, por forma a usufruirmos da liberdade tão duramente conquistada, em cada passo do caminho.

 

Somos o amo e o aio, somos o cavalo e o cavaleiro, somos o que dita a lei e o que a faz cumprir. No fundo, teremos que aprender a obedecer a nós mesmos, a ser fiéis ao que sabemos ser real e importante, a distinguir entre o sábio e o sabichão que habita em nós e fazer prevalecer a Suprema Vontade Divina que actua através deste corpo.

 

Este é um ano de suma importância, pois o Ser passará por uma iniciação, que em última análise, pode ser traduzida como uma oportunidade para avançar por sua própria determinação e não ser mais um joguete nas mãos do destino. A partir de agora sabe que os seus actos gerarão consequências e não mais quererá justificar-se em processos de autovitimização.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017, cuja soma dá 16 ou 25, serão reduzidos a 7, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 7.

 

Vibração 16 - Trata-se de um ano pessoal em que será posto à prova no que se refere às suas convenções, aos seus padrões endurecidos, às suas verdades inabaláveis, às suas estruturas demasiado rígidas.

 

Um ano 16:7 fará desmoronar toda e qualquer opinião mal fundamentada. Tudo o que não seja fruto das suas próprias vivências e experiências ruirá. Todo o conhecimento desagregado, mal integrado ou pobre fá-lo-á tombar ante si mesmo.

 

Nem todos os argumentos do mundo o poderão voltar a erguer dos escombros. Terá que ganhar consciência de que é a sua própria teimosia que o destrói, e que a sua incapacidade em se flexibilizar e em aprender através da experiência lhe devolvem dor e sensação de solidão e infelicidade.

 

Abdique dessa postura e suavize a sua vida. Há sempre tanto para aprender, para levar em consideração. Há sempre mais uma perspectiva, mais um caminho, mais uma solução, mais uma possibilidade no seu horizonte. É só esticar a mão e agarrar.

 

Este ano é o impulsionador da destruição de todas as amarras que o têm vindo a aprisionar, pode ser um emprego, um relacionamento, uma crença de qualquer índole.

 

O Fogo (elemento) será o veículo que dissolverá essas amarras, as cordas, as peias, que o impedem de caminhar livre e em paz consigo mesmo. No final do processo pode sentir alívio e alegria ou pode sentir-se esmagado e torturado pela experiência.

 

Em qualquer dos casos, mesmo que não o reconheça imediatamente, será sempre uma bênção.

 

Vibração 25 – É possível que sinta uma forte instabilidade na sua vida, de um modo geral, ou em alguma área específica, e caso isso suceda é hora de reflectir nas causas dessas mesma instabilidade.

 

Talvez esteja na hora de assumir e de traçar o seu próprio caminho o que evidentemente exigirá, da sua parte, empenho, esforço, bastante energia, determinação e inspiração, e talvez isso o amedronte ou imobilize o seu Fogo interno.

 

Nesse caso é de suma importância encontrar ou promover um espaço que dê à sua criatividade a hipótese de se expressar.

 

Um ano 25:7 pede que coloque o seu conhecimento e a sua sabedoria ao serviço dos outros, trazendo clareza, discernimento e luz sobre o tema em que se tornou especialista. Ensine e partilhe o que sabe com as outras pessoas, sem receio de ser copiado ou imitado, pois em consciência, cada um sabe de que fonte bebeu.

 

Assuma o comando da sua vida e siga em frente, em humildade e reverência. Seja um exemplo para os que o rodeiam e alegre-se por ser um mensageiro que sabe como honrar o seu próprio caminho e as suas próprias escolhas.

 

Eva Veigas

Ano Pessoal 6 em 2017

Eva Veigas, 21.02.17

ano pessoal 6.jpg

 

Ano Pessoal 6 em 2017

 

O Ano Pessoal 6 é o sexto ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 6 significa que 2012 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2020.

 

Um ano 6 convida-nos a amadurecer aqueles aspectos e aprendizagens que ao longo dos cinco anos anteriores, ou de outros ciclos anteriores, nos foram devolvendo uma nova compreensão de nós mesmos e por conseguinte da forma como a nossa vida se tem vindo a desenvolver e a progredir em determinada direção.

 

Este ano serve para validar essa mesma compreensão dentro de nós, ganhando mais consciência da responsabilidade que nos vai chegando, na mesma proporção do conhecimento e da sabedoria que vamos adquirindo.

 

Um ano para consolidar experiências e vivências, sobretudo no que diz respeito à vida familiar e do lar, e do papel que desempenhamos na sociedade, na comunidade e no mundo.

 

O 6 é o Número da Beleza, de uma certa delicadeza, de movimentos sóbrios e requintados, que nos capacita e qualifica para resolver conflitos e problemas a nível das dinâmicas familiares e/ou de grupos de trabalho ou outros.

 

Há um saber fazer, inerente a esta energia, dado que existe um cuidado e uma sensibilidade próprios desta dimensão amorosa trazida pelo 6, que leva em consideração o bem de todos os envolvidos em qualquer situação, seja ela mais ou menos difícil ou desafiante.

 

O 6 envolve pessoas e portanto um ano pessoal sob esta vibração convida-nos a estar ao serviço ao longo do ano. É possível que em termos familiares sejamos mais solicitados do que nunca, ou que o grupo que lideramos ou do qual fazemos parte, se torne mais desafiante do que o habitual e, por isso, devemos estar preparados para agir de acordo com a nossa sensibilidade e capacidade de resolver conflitos, gerando espirais de energia em que todos ganhem, ou pelo menos que sejamos capazes de beneficiar um pouco todas as partes envolvidas.

 

O 6 é um fantástico negociante, conquanto se deixe guiar pelo seu coração amoroso, e desde que não se permita ser manipulado ou tente manipular os outros para benefício próprio.

 

Um ano 6 pode ser desconcertante para todas as pessoas que vibram profundamente no ciúme, na possessividade, no controlo sobre os outros e sobre a sua própria vida, e em querer estar permanentemente no centro das atenções.

 

Todos os que pretendem ou querem à força obrigar os outros a serem, pensarem ou agirem de acordo com as suas verdades retorcidas, serão certamente esmagados, pela energia desta poderosa vibração que apela a uma maior compreensão do conceito de liberdade.

 

Amar é cuidar e nutrir, diz o 6, quer se trate do cuidado pessoal quer se trate de cuidar dos outros. Amar não é amarrar, manipular ou chantagear ou outros. O 6 distorcido, acha sempre que sabe o que é melhor para os outros, que tem sempre a solução e a cura para todos os males, que pode sempre salvar os outros de si próprios, quando na verdade esse é o trabalho que tem de fazer consigo mesmo.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017, cuja soma dá 15 ou 24, serão reduzidos a 6, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 6.

 

Vibração 15 - Trata-se de um ano pessoal com certas especificidades, cuja especialidade permite trabalhar o desapego. Aprende-se, querendo, a largar o controlo sobre o resultado das ações que se tomam, relativamente a situações, pessoas, problemas, desafios, etc.

 

É num ano 6:15 ou 15:6, que se aprende a abrir mão do domínio e do poder sobre os outros e sobre si mesmo. A era da escravatura (no sentido em que somos escravos dos nossos vícios, sejam eles de que espécie for) pode acabar aqui, pois já não há necessidade de manter os mesmos velhos vícios e hábitos destrutivos, geradores de inquietações, discussões, problemas e demais sofrimentos.

 

É tempo de crescer e progredir, de dizer adeus ao passado, de forma definitiva e indolor.

 

Um ano com uma vibração desta natureza, implica resgatar o verdadeiro prazer, o prazer de viver a vida a cada momento, o prazer de respirar e estar vivo, o prazer de nos encantarmos e deslumbrarmos com a Natureza, o prazer de ser responsável pelas nossas próprias criações, o prazer de sermos nós mesmos ante quaisquer circunstâncias, o prazer de amar só por amar, o prazer de querer trazer mais amor do céu à terra.

 

 

Vibração 24 – Sair dos padrões habituais e generalizados, pensar fora da caixa e agir de acordo com as nossas determinações internas, ditadas pela nossa alma, é o maior desafio de um ano 24:6.

 

Por esta altura, já teremos chegado ao momento de definir e interpretar essas mesmas determinações. Caso ainda estejamos embriagados, confusos e perdidos dentro da nossa personalidade, este pode ser um bom ano para nos dedicarmos a criar a condição de nos reencontrarmos connosco, pois é um ano de cuidar, de colocar atenção em todos os aspectos que precisam de cura, de sanação, que precisam de ser nutridos com, e em amor por nós.

 

É um ano de construção e materialização de aspectos relacionados com a vida afetiva e familiar. Os sentimentos podem ser filtrados de modo a atingirem um elevado nível de pureza e verdade. Este é o momento de dar oportunidade a si mesmo, onde outrora não houve condição para construir aquilo a que chamamos de lar (e cada um terá a sua própria conceção de lar, e a ela deverá ser fiel) materializando e dando vida ao seu projecto família, o que quer que isso signifique para si.

 

Lar pode significar seguir um caminho diferente, ousado e original, pavimentado pelos socalcos de uma montanha e ornamentado por um céu cheio de estrelas.

 

Lar é onde estamos inteiros, presentes e ancorados a cada momento.

 

Eva Veigas

Ano Pessoal 5 em 2017

Eva Veigas, 13.02.17

ano pessoal 5.jpg

 

 

O Ano Pessoal 5 é o quinto ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 5 significa que 2013 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2021.

 

Um ano 5 representa um momento de grande intensidade na nossa vida. O ano 5 é o ano que fica exactamente a meio do ciclo novenal. Quatro anos passaram e depois de um ano 5, mais quatro anos passarão.

 

Este ano deve servir para, numa primeira análise, avaliar da qualidade desses primeiros quatro anos, tentando sentir a direção ou rumo que estamos a levar, de acordo com as nossas escolhas em cada momento.

 

Se os quatro anos anteriores nos devolverem sustentabilidade e direção na vida, só precisamos de continuar firmes e fiéis a nós mesmos. Caso contrário, é tempo de reavaliar a nossa estratégia e mudar de direção, pois ainda iremos muito a tempo de mudar o que precisa ser mudado.

 

É portanto um ano para nos unirmos a este belo e maravilhoso jogo de forças cósmicas, que tanto pode ser destrutivo, assimétrico e dissonante, como construtivo, harmonioso e melodioso.

 

Um 5 traz consigo ventos de mudança e despertamento interno. Ou se está preparado para fluir com a mudança ou se resiste a ela. Ou se desperta do sono, da indiferença, da anestesia e da dormência, em resultado de não querer crescer e tomar a responsabilidade pela própria vida ou se permanece nesta espécie de limbo, onde a indefinição e a inconstância serão as únicas, embora fracas, certezas que teremos para nos agarrar.

 

Um ano 5 convida-nos a estar presentes, atentos, inteiros e em modo de observação total, pois as mudanças por ele geradas são sempre repentinas, chegando sem avisar, tal como as grandes tempestades.

 

Para muitos, estes momentos constituem grande ameaça, provocando instabilidade e medo, mas a função do 5 é precisamente a de nos retirar da zona de conforto, de nos quebrar os hábitos, as rotinas, as estruturas e os conceitos pré-definidos (e por consequência, extraordinariamente rígidos) de modo a podermos aprender o novo, em território totalmente desconhecido, o que pode parecer assustador para uns, e desafiador para outros.

 

O 5 convida-nos a usar as nossas capacidades, qualidades, dons e talentos inatos até à exaustão, procurando trazer-nos para outro nível de consciência, mais puro, mais qualificado, mais intenso e mais incisivo.

 

Trabalhar no novo paradigma exige versatilidade e uma mente aberta, abstendo-nos de emitir juízos de valor, propondo-nos experimentar um novo e imenso campo de possibilidades, onde tudo o que nos parece irreal e longínquo, seja afinal tangível e esteja mais próximo de nós, do que supomos.

 

O 5 transporta a energia do novo paradigma, os novos códigos para a Humanidade, que por desconhecimento e ignorância, é tantas vezes mal-interpretada e mal compreendida e portanto, mal utilizada.

 

O 5 é a explosão de Fogo necessária para queimar e purificar as emoções estagnadas, as limitações da mente, os medos paralisantes, os demónios e os dragões internos a cuja força nos submetemos, por ignorância e falta de coerência e de verdadeiro conhecimento do funcionamento do universo.

 

Não temos domínio sobre coisa alguma, não sabemos nada acerca do nosso Planeta, quanto mais do nosso sistema Solar. Não sabemos nada de nós, quanto mais dos outros.

 

Temos a veleidade de nos acharmos senhores do universo quando os deuses gargalham de nós.

 

O 5 indica-nos um caminho de mestria, ao alcance de todos, mas que nem todos se atreverão a trilhar pois não é um caminho fácil. Não seremos famosos, nem admirados ou aplaudidos de pé, nem necessitaremos de reconhecimento externo, nem de luzes nem de holofotes.

 

Não seremos o Número 1, não seremos a pessoa influente, não estaremos dispostos a vender a alma ao diabo, abdicaremos da fama, da superficialidade do mundo, o nosso caminho será feito em terreno pedregoso e difícil e nós exultaremos nele.

 

A única coisa que quereremos é seguir em frente, servir em amor e compaixão ao próximo. Porém, não se deixem enganar, assumindo que este caminho torna os que nele caminham tolos ou imprudentes, bem pelo contrário, estes caminheiros observam, mas não se detêm ante a mediocridade do mundo. Eles seguem em frente com o coração muitas vezes despedaçado por testemunharem a crueldade que os seres humanos são capazes de infligir uns aos outros, mas sempre com a esperança de um mundo novo, a iluminar-lhes o rosto.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017 cuja soma dá 14 ou 23 serão reduzidos a 5, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 5.

 

Vibração 14 - Trata-se de um ano pessoal para trazer suavidade e moderação à nossa vida. Todos os excessos cometidos terão um preço demasiado alto a pagar. Por isso é tempo de atenuar as diferenças, por vezes tão drásticas, entre os nossos comportamentos e atitudes, que desequilibram a nossa balança interna.

 

É tempo de cuidar da nossa vida e de colocar o foco em nós, de modo a reencontrar o equilíbrio nas áreas que temos deixado ao abandono, descuidando aspectos básicos, mas que pela nossa vaidade e arrogância, julgamos ter sob controlo.

 

Enchemo-nos de falsas certezas e passamos a vida a presumir e a pressupor, habituámo-nos a colocar tudo e todos dentro do mesmo saco e já não sabemos usar o nosso discernimento. Não possuímos clareza suficiente, muito menos amor-próprio, para poder decidir e agir segundo princípios elevados, justos, dignos de um ser verdadeiramente humano e ainda assim, exigimos dos outros comportamentos dignos, nobres, altruístas, respeitosos e honrados.

 

Pedimos e exigimos dos outros aquilo que não damos nem fazemos a nós nem aos outros. Por isso este ano é para trabalhar essa estrutura interna, é para mergulhar nas profundezas da personalidade e resgatar padrões de sabedoria e conhecimento verdadeiro, experimentado, vivido.

 

Vibração 23 – É um ano para colocar o conhecimento ao serviço de Deus/Deusa, com criatividade, alegria e entrega plena.

 

É tempo de expressar e partilhar aquilo que se aprendeu e deixar de prender a energia em si mesmo. É tempo de fluir, de irradiar, de trocar experiências, de passar a palavra adiante, de espalhar sementes, de instruir outros, de ensinar, de mostrar como se faz.

 

Não há que ter medo de deixar ir o nosso próprio conhecimento, pois ele será renovado e reinventado, assim que tocar outro coração.

 

E se esse conhecimento for maltratado, desfigurado, distorcido, alterado, na sua raiz?

 

Nada a temer! A Verdade é só Uma e sempre há-de prevalecer. Assim é desde o Princípio dos Tempos e assim se há-de manter. Pois a Verdade só se revela no coração dos puros.

 

“Pois a quem tem, mais se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que quase não tem, até o que tem lhe será tirado.” Jesus.

 

Portanto, deixar ir o nosso legado, aquilo que nos custou tanto a obter pode ser duro e difícil, pode parecer-nos injusto, mas é a forma que a natureza escolheu para passar o conhecimento e o entendimento das coisas adiante.

 

Cabe a cada um, em verdadeira consciência, respeitar e fazer respeitar os Códigos Antigos herdados pelos nossos ancestrais.

 

Eva Veigas

 

Ano Pessoal 4 em 2017

Eva Veigas, 12.02.17

ano pessoal 4.jpg

  

O Ano Pessoal 4 é o quarto ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 4 significa que 2014 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2022.

 

Um ano 4 representa uma oportunidade de crescimento que depende da criação de condições para restaurar, reconfigurar, reorganizar, reestruturar, reordenar todo e qualquer aspeto ou esfera da nossa vida, que se encontre desalinhado, fraco, caótico, desarrumado, sem rumo e sem alicerces ou bases sólidas que nos permitam viver no fluxo energético criativo.

 

Por outras palavras, todas as situações que, nos bloqueiam, limitam e impedem, por via da nossa necessidade absoluta de querer controlar todas as experiências, vivências, situações e pessoas que estão na nossa vida agora.

 

Este é o ano de varrer a casa. O 4 percorre cada uma das áreas de vida que clamam por atenção. É preciso parar para sentir e avaliar os danos, e organizar a melhor e mais adequada estratégia para dar início à reparação e reconstrução daquilo que em nós está “doente” e já não nos devolve crescimento e aprendizagem.

 

O 4 é a poda dos ramos secos, onde a vida estagnou… Podar permite dar oportunidade à árvore, uma nova oportunidade de crescer e de esse estender para outras paragens, experimentando o novo, em 5, que neste caso será, no ano pessoal seguinte.

 

Para que essa nova possibilidade aconteça, é preciso dar tempo e espaço para que o 4 aconteça em nós.

 

A pressa, a ansiedade, a impaciência, o querer fazer tudo de uma vez, queimando etapas, querendo ultrapassar desafios em modo de competitividade, são os verdadeiros inimigos de um ano 4, que pede maturidade e sapiência para saber esperar.

 

Um jardineiro experiente sabe exactamente onde podar, que ramos cortar, que troncos, folhas e flores estão prontos para se desprender, sem ferir a árvore e sem se ferir a si mesmo, pois é paciente, ponderado, sensato, ama o que faz e acima de tudo ama-se e ama a Árvore. Respeita-a, sente-a, sabe que é um ser vivo, que pulsa e gera vida em si.

 

Assim também nós deveremos fazer na nossa vida, o que faz o jardineiro. Devemos aprender com ele, observá-lo e acima de tudo não ter pressa de fazer.

 

Saber fazer é uma aprendizagem, um dom ou um talento que se adquire, que mais tarde ou mais cedo, nos será muito útil.

 

Um ano 4 é um ano para limar arestas e onde simultaneamente devemos criar espaço e condição para nos irmos recriando, reinventando, reorganizando, regenerando.

 

Na verdade, trata-se de um ano de construção ou reconstrução interna, em termos de bases para a vida.

 

É tempo de rever, reajustar ou redefinir os valores pelos quais nos guiamos na vida.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017 cuja soma dá 13 ou 22 serão reduzidos a 4, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 4.

 

Vibração 13 - Trata-se de um ano pessoal onde algum tipo de metamorfose vai ter lugar. Pode ser o início, o meio ou fim de algo, que está em vias de transformação.

 

Geralmente é algo invisível, algo que se sente dentro, mas que não se sabe explicar. É preciso ganhar distância deste acontecimento e muitas vezes só nos ciclos seguintes (9, 18, 36 anos depois, ou mais) é que se ganha a verdadeira consciência do que ali foi transformado ou metamorfoseado.

 

Algo está pronto para morrer dentro de nós e dependendo do grau de sensibilidade de cada um, pode-se sentir essa morte, como algo quase tangível. Um dos exemplos mais fortes que se podem experimentar sob a influência de 13:4 é o Síndrome do Ataque de Pânico que gera um inexplicável, absurdo e repentino medo da morte; há uma sensação quase palpável da morte de algo.

 

Na verdade, tudo foi preparado com bastante antecedência. Ao longo da nossa vida, vamo-nos preparando para deixar morrer aspectos, crenças, tradições, superstições, pensamentos, recordações, objetos pessoais, ideias, gostos, amores, etc.

 

Porém, quando chega o momento de deixar ir, surge o verdadeiro teste, e, encontramo-nos frente a frente com a nossa real dificuldade de nos desapegarmos daquilo que já não nos devolve aprendizagem de género algum.

 

Agarrados ao que é (ou ao que foi) “nosso”, movemo-nos para um campo perigoso e lamacento que nos paralisa, imobiliza e nos condena a sobreviver num cenário triste e pesado, onde as nossas emoções congelaram e onde a nossa mente brilhante estagnou e não produz nem gera criação.

 

O nosso coração afastou-se da razão e, pior, afastou-se de Deus/Pai/Mãe, remeteu-se ao silêncio, mas não ao verdadeiro silêncio.

 

O verdadeiro silêncio é leve, agradável, profundo como o mar, mas solto como o vento, perfumado com o orvalho das manhãs e límpido como um belo dia de Sol.

 

O silêncio de que falo é cruel, frio, distante, não comunica, não cria, apenas usa a mente como um veículo distorcido onde se limita a repetir a dor daquilo que acha que lhe fizeram sentir. Um silêncio que pune e que acredita em castigo e recompensa.

 

Um ano 13 pode ser muitíssimo transformador se soubermos elevar-nos até às camadas mais altas do nosso Eu Superior!

 

Vibração 22 – É um ano onde a estrutura interna do ser pode aprender a tornar-se maleável, dócil, adaptável, ajustável, flexível como uma árvore frondosa, cujos maravilhosos ramos dançam ao sabor do vento, sem se partirem ou rasgarem.

 

É uma construção sólida (terra (4), concreto, palpável) porém flexível (contém água (2) dentro, na quantidade e qualidade certa) o que lhe confere uma condição única para poder crescer de forma saudável, progredir, evoluir e expandir-se, mantendo o foco, criando e autossustentado as suas próprias raízes.

 

Sob esta vibração, os seres podem direcionar a sua vida para grandes empreendimentos, para criar superestruturas em praticamente todo o tipo de áreas, desde que tenham feito bem o seu trabalho de casa e desde que o seu objectivo e intenção estejam alinhados com e para o seu Bem Maior e, para o Bem do Todo.

 

O seu grau de sensibilidade e sensatez levá-lo-á a dar os passos necessários, com a cadência e o ritmo próprios de quem ganhou consciência suficiente para se colocar ao Serviço da Humanidade (da família, da comunidade, de uma causa, etc.).

 

Não adianta querer servir a Humanidade, se não se cuida de quem (ou do que) precisa verdadeiramente, neste momento, da nossa atenção, do nosso amor, das nossas capacidades, do nosso saber fazer.

 

Este é um ano de recomeços e pode muito bem ser um ano incrível e de suma importância para dar um rumo completamente novo à sua vida.

 

 

Eva Veigas

 

Ano Pessoal 3 em 2017

Eva Veigas, 29.01.17

ano pessoal 3.jpg

 

 

O Ano Pessoal 3 é o terceiro ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 3 significa que 2015 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2023.

 

Um ano 3 representa, geralmente, um período de crescimento, de expansão ou de evolução, dado que este Número é produto da soma do 1 com o 2. No fundo, o 3 representa o fruto, o Filho da Sagrada União dos Princípios Masculino e Feminino. E, tal como é expectável, o filho deve conter as características de ambos os Princípios, pelo que num ano 3 não deve faltar nem impulso para agir de acordo com a vontade do Pai (1) nem a serenidade para contemplar, de acordo com as características da Mãe (2), os desafios próprios do crescimento, que não deve ser desenfreado, nem refreado, deve antes obedecer aos ritmos próprios daquilo que cada um vem cumprir no seu programa.

 

Assim, o 3 como Ano Pessoal leva tudo isto em consideração ao que se acrescenta a vontade algo imberbe e pueril do Filho, que não tem ainda as suas capacidades completamente estruturadas e organizadas, mas que detém a força de mil dragões.

 

Ora é esta energia imatura, sem orientação interna, com o foco colocado fora, que irá crescer e desenvolver-se em diferentes sentidos e direcções, se o indivíduo que a experimenta e vivencia não tiver construído uma estratégia adequada, para lidar com estas forças desconhecidas, regidas por um dos Elementos mais difíceis de compreender, conhecer e manipular – o Fogo.

 

As intenções, não estando claramente definidas, poderão tornar as suas acções inconsequentes por falta de maturação, respondendo impulsiva e descoordenadamente à vida.

 

Este é um ano que pode transformar a sua vida num caos, se não tiver o seu foco interno bem orientado, pois a dispersão por múltiplos interesses, trará desordem e confusão. De forma que é importante experimentar coisas diferentes, descontrair, brincar, sair das rotinas, mas manter sempre os pés na terra, e, é precisamente aqui que reside o maior desafio de um ano pessoal 3.

 

As inseguranças, a teimosia e a obstinação, a fraca capacidade de antever e assumir as consequências de decisões pouco aferidas e mal alicerçadas, tomadas ao longo deste ano, serão a sua grande aprendizagem.

 

É claro que tudo isto faz parte das lições contidas no crescimento de qualquer ser humano, independentemente da sua idade, condição, estatuto, etc. É verdade que não há forma de aprender sem ser experimentando, só que o ser humano está, ou foi, formatado para acreditar que não pode falhar, portanto quando se experimenta pela primeira vez numa qualquer situação, exige dele mesmo uma perfeição que é impossível e que também não é desejável.

 

É urgente desformatar as mentes demasiado resistentes e inflexíveis, para que essa crença tão arreigada, motivo de tanta dor e sofrimento, possa ser desfragmentada.

 

Está na hora de recordar que experimentar implica (como em toda a experimentação), não obter o resultado desejável logo à primeira tentativa. Pode até suceder, mas costumamos brincar com essa situação dizendo que é “sorte de principiante”, pois logo na tentativa seguinte se irá perceber que o resultado já não é o mesmo. E então surge a frustração, a tristeza, que lhe devolve como num espelho, toda a sua incapacidade e limitação.

 

Tudo isto o poderá levar a um caminho de desistência ou de autodestruição do seu projecto de vida, a não ser que entenda a necessidade de treinar e de praticar, repetindo a mesma acção até que se torne “mestres”, perito ou especialista em determinada matéria ou função.

 

A proposta de um ano 3 é a de trazer mais leveza à sua vida, mas sem lhe tirar a responsabilidade. Um 3 prepara-o para mais uma etapa do seu crescimento e expande-lhe os horizontes, mas convida-o a olhar através dos olhos da sua criança interior. Pede-lhe que retire peso do seu dia-a-dia e que viva apenas cada momento como se o estivesse a experimentar pela primeira vez, tal como fazia em criança, lembra-se?

 

A criança deslumbra-se com toda e qualquer descoberta, comove-se quando observa a natureza… A criança é espontânea e diz o que sente, não o que pensa!

 

É esse o convite que este ano pessoal lhe faz, que não largue o contacto com esse ser maravilhoso, espontâneo, leve e alegre que respira e vibra dentro de si. E se acaso perdeu o contacto com ela, este ano é indicado para fazer essa religação, esse resgate da sua pequena, mas forte e corajosa criança.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017 cuja soma dá 12, 21 ou 30 serão reduzidos a 3, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 3.

 

Vibração 12 - Trata-se de um ano pessoal destinado a trabalhar as crenças demasiado arreigadas, as formatações mentais, as ideias pré concebidas, os preconceitos, as verdades cegas. É tempo de deixar de ser tão duro e crítico em relação aos outros e a si mesmo. É tempo de se redescobrir e de trabalhar no sentido de tocar a sua própria essência, a sua pureza. Trata-se de um convite para regressar à inocência e criar novos modelos na sua estrutura emocional e mental (sobretudo mental), mais compatíveis com os códigos de conduta desta Era que agora desabrocha. Este ano é um convite à abertura daquela parte da consciência que envolve deixar ir todo e qualquer tipo de amarra assente em padrões de comportamento automático e que se encontram obsoletos, o que literalmente desqualifica e adensa a sua energia, não lhe deixando espaço para crescer e evoluir.

 

Vibração 21 – É um ano especial, onde o sucesso e o êxito esperam por si. Pode aventurar-se por novas paragens, pois novos e maravilhosos desafios aguardam pela sua decisão de seguir em frente, sem receio de falhar. A vida pode torna-se numa aventura sem fim, plena de descobertas, cheia de tesouros para usufruir. Tudo depende de como encara os seus desafios pessoais. São anos votados ao sucesso em qualquer área em que aposte verdadeiramente. Se se entregar inteiramente a um projecto, dedicando-se a ele sem se dispersar pela miríade de assuntos e de possibilidades que lhe acenam constantemente, pode ter a certeza que será capaz de transcender os fortes obstáculos da vibração 3.

 

Vibração 30 – O Número 30, reforça todas as qualidades de 3, que colocam em evidência as suas capacidades de comunicação e expressão, que podem ser manifestadas em diferentes níveis, de acordo com a sua personalidade, condição e vontade. É um ano que pede alegria, força de vontade, entusiasmo, e uma necessidade de desenvolver aspectos positivos e criativos da sua condição pessoal e espiritual.

Há todo o interesse em ir mantendo acesa a chama da verdadeira Paixão pela Vida em detrimento de paixonetas fúteis e fugazes que servem apenas para matar, temporariamente, a fome do ego inferior.

 

 

Ano Pessoal 2 em 2017

Eva Veigas, 28.01.17

ano pessoal 2.jpg

 

 

O Ano Pessoal 2 é o segundo ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 2 significa que 2016 foi o ano em que teve início o seu ciclo de 9 anos, que obviamente para si terminará em 2024.

 

Um ano 2 representa a necessidade de criar uma postura receptiva ante a complexa estrutura que é a vida, a qual se vai desfiando ao longo de 2017. Representa ainda a possibilidade de criar condições harmoniosas para a resolução de conflitos, tanto internos como externos.

 

É um ano particularmente desafiante, dado que o ano universal (2017) é 1, o que cria um perfeito paradoxo, pois por um lado existe um estímulo permanente e desafiante que o faz querer responder aos impulsos naturais de 1, e, simultaneamente necessita de permanecer sereno, calmo e paciente antes de agir ou de tomar qualquer decisão.

 

A imagem do 2 é a de uma balança que ora pende para um lado ora para outro e o seu desafio consiste em permanecer pacificamente centrado no fiel da balança, de modo a conseguir ultrapassar desavenças, conflitos, compensar desequilíbrios, buscando resolver tudo isso da forma mais harmoniosa possível, retirando pesos desnecessários provenientes dessas contendas.

 

O 2 é uma vibração que promove a pacificação interna, mas desengane-se quem pensa que esta é uma frequência débil, fraca ou negativa.

Trata-se de um Número que rege a própria Polaridade.

 

A firmeza interna é compensada pela suavidade externa. Isto é Amor, é amar em plenitude, é entregar-se ao outro, à vida, ao propósito que sempre se cumpre, independentemente do ego insatisfeito de cada um.

 

A solução dos conflitos reside em grande parte na fusão do 1 que se soma a si mesmo, resultando em 2. É por isso que num Ano Pessoal com esta vibração é difícil encontrar a sua individualidade, pois há uma tendência para a diluição do ego.

 

Porém, para aqueles que buscam a afirmar-se através do ego inferior este é um ano penoso, que os empurra em diferentes direções, o que os pode levar a perder o contacto com a realidade, retirando-lhes o foco do essencial.

É claro que o intuito desta lição karmica é o de aprenderem a escolher com base nas mais altas frequências da alma, que geralmente constituem o código de conduta assaz elevado dos seres mais altruístas e nobres de coração.

 

Por outro lado este é um ano que convida a parcerias, casamentos, contratos, alianças e uniões de toda a espécie. Assim, é importante manter-se atento ao painel de luzinhas que se acendem, por via das emoções que tendem a disparar diante da expectativa causada por tanta diversidade de possibilidades.

 

O nível emocional é sempre o que está mais evidenciado num ano pessoal 2, pois as Águas de 2 são as Águas Primordiais, que deram origem à complexidade dos planos emocionais de todos os seres e das suas múltiplas inter-relações.

 

Uma emocionalidade reprimida, que não é cuidada, onde o indivíduo não encontra forma de a expressar, vai com toda a certeza rebentar, de forma violenta, tanto para o próprio como para os que o rodeiam, dado que a vibração 2 transita pelo ano universal 1. A intensidade e o fluxo para onde a energia 1 se dirige é tão forte que assim que encontra Águas estagnadas, tem tendência a romper com essa estrutura emocional montada sobre tão fracos pilares e, tal como uma barragem demasiado cheia, as emoções irromperão abruptamente inundando tudo o que estiver à sua volta.

 

Uma emocionalidade exacerbada será motivo de desgaste e de cansaço, pois a zanga e o descontrolo serão recorrentes, dado que o regente 1 do ano universal promove uma incessante busca por uma nova direção, o que no caso de um ego insatisfeito e carente que passa a vida a reclamar, produzirá um efeito negativo em que o sistema nervoso será o principal contemplado.

 

Portanto este é um ano interessante para trabalhar a causa das suas emoções tóxicas e pesadas e aproveitar este convite amoroso do 2 para entrar em processo de auto transformação ganhando consciência dessa necessidade.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017 cuja soma dá 29 ou 20 serão reduzidos a 11 e finalmente a 2, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 2.

 

Vibração 29:11:2 - Trata-se de um ano pessoal destinado a sentir a vida, com tudo o que ela contem e com o que lhe devolve a cada momento, através da Câmara Sagrada do seu Coração. Use a sua sensibilidade para dar um rumo radicalmente diferente à sua vida. Saia da vitimização constante e supere-se. Transcenda as suas dores parando de alimentar as suas emoções excessivamente tóxicas. Trate de curar a visão distorcida que criou a partir da sua própria realidade. Dê espaço e oportunidade aos outros, para que eles lhe possam transmitir também a sua própria versão dos acontecimentos. Ouça-se também a si e faça-se ouvir, não por meio da sua chantagem emocional ou da imposição das suas vontades, mas pela verdade contida nos seus actos.

Analise calmamente os dois lados, pois num ano pessoal com estas características poderá querer aprender acerca do seu potencial para arbitrar conflitos.

Aprenda a não ceder aos caprichos do seu ego inferior e abençoe o mundo com as suas ideias futuristas, não receando experimentar fazer diferente.

Use a sua visão interior com sabedoria e tente ser imparcial a cada momento.

Lembre-se: não exija de mais de si mesmo nem se leve tão a sério. É só uma aprendizagem, mais uma, que exige treino e prática constante.

 

Vibração 20:2 – É um ano pessoal essencial para experimentar ver os outros com outros olhos. Comece por se colocar no lugar do outro em toda e qualquer circunstância e poderá começar a ter vislumbres ou mesmo uma total compreensão dos motivos e das circunstâncias que levam as pessoas a viver determinados padrões.

Não se trata de lhes justificar os actos, mas antes de alargar a sua capacidade de aceitação, compreensão, generosidade, afecto, empatia, e bondade em relação aos outros.

Não gosta de ser compreendido, amado e respeitado, mesmo quando comete um acto que prejudica os outros? Não costuma pensar para si próprio, nesses momentos, ou mesmo verbalizar: “Mas foi sem intenção...”?

Pois os outros pensam exactamente da mesma maneira, ainda que isso lhe custe a acreditar.

Aprenda a aceitar os outros e a aceitar as diferenças geradas pelas múltiplas personalidades, culturas, funções, missões, etc. de cada ser que está encarnado na Terra.

 

Pacifique-se internamente e usufrua deste ano pessoal 2 na sua expressão mais elevada que é a da harmonia, da igualdade e da receptividade.

 

Somos todos diferentes e todos iguais!

 

 

Ano Pessoal 1 em 2017

Eva Veigas, 27.01.17

ano pessoal 11.jpg

 

 

Um ano pessoal 1 determina o início de um novo ciclo. É tempo de plantio. A escolha das sementes deve ser cuidadosamente preparada, assim como a terra em que essas mesmas sementes serão espalhadas.

 

O 1 refere-se ao princípio masculino, à acção que resulta da Vontade da Criação que se manifesta através da vontade do indivíduo, numa combinação apropriada onde cada peça deste complexo ser humano toma a sua posição, definindo uma direção firme e uma intenção clara.

 

É de suma importância assumir a intenção com que se inicia este novo ciclo novenal, considerando determinado aspecto da Numerologia que divide a vida dos homens em ciclos de 9 anos.

 

Assim entre 2017 e 2025 terá um ciclo inteiro para aprender, resgatar, cumprir, purificar, evoluir, progredir ou, por outro lado, caso seja essa a sua escolha, acomodar-se, cristalizar ou paralisar de medo, impedindo que a sua própria história se cumpra.

 

O 1 é um convite a agir a partir da vontade, mas é também uma proposta a experimentar adentrar um portal desconhecido, novo, sem qualquer garantia de sucesso, sem qualquer certeza de que tudo irá correr sem transtornos ou estorvos.

 

A única hipótese que terá é a de se aventurar no novo, colocando os dois pés do outro lado da porta e seguir em frente sem olhar para trás.

 

As despedidas deveriam ter sido feitas no ano 2016, que foi o ano que reuniu condições para largar o velho, o obsoleto. Tudo o que já não pode usar (pois já foi experimentado, vivido em primeira mão, devolvendo e concluindo determinadas aprendizagens que agora o empurram para cima e para a frente numa perspectiva de evolução e progressão) deve agora ser largado (se ainda não foi), de modo a permitir continuar o seu caminho, no sentido de resgatar mais partes de si que ainda se encontram abandonadas e esquecidas.

 

No entanto, aquelas partes de si que já resgatou, curou, sanou e harmonizou, e que entretanto foi integrando nos últimos anos, e que lhe devolveram crescimento, conhecimento e experiencia colocaram-no perante novas escolhas que implicam cada vez maiores responsabilidades.

 

É sobre essas escolhas que deve recair a sua atenção e a sua intenção, pois um ano pessoal 1 é sempre o mais importante de todo o ciclo, na medida em que ele define (ou redefine) a direção da sua vida e essa decisão influenciará todo este ciclo até ao seu final.

 

Pode ser um ano que exija mudanças radicais nas diferentes áreas da vida, mas acima de tudo é um ano que implica mudança de estratégia a vários níveis.

 

A ousadia, a coragem, a firmeza, a persistência e a determinação pessoal irão definir a forma como essa mudança se concretizará, a que ritmos e com que rapidez.

 

Pode ser útil recordar que estando a viver sob um ano pessoal 1 em 2017, está a viver esta energia dobrada, dado que 2017 é também ele, um ano 1.

 

Pode ser um ano demasiado exigente, pelo que se aconselha a acalmar os impulsos fogosos e próprios desta energia, desacelerando sempre que possível. É importante parar para sentir e analisar cada situação, cada desafio, cada dificuldade ou mesmo cada proposta que apareça mesmo que lhe pareça boa, interessante ou excitante, pois há uma tendência fortíssima para se envolver demasiado, para se entusiasmar excessivamente, e portanto, tomar decisões precipitadas será, sem dúvida, o prato do dia.

 

Claro que se tiver a capacidade de estar em presença constante, consciente do que cada momento lhe traz e lhe vai revelando, este será certamente um ano muito produtivo e bastante compensador a médio ou longo prazo.

 

Independentemente daquilo que venha a viver ao longo deste ano pessoal, lembre-se que o mais importante é ir renovando as suas intenções. Ter a capacidade de ir actualizando ou alterando a sua lista de objectivos pessoais, profissionais ou mesmo das suas aspirações espirituais não é motivo de frustração ou zanga, mas antes de empoderamento e de responsabilização pelas suas escolhas, a não ser que as suas intenções não passem disso mesmo e não se disponha a agir de acordo com o seu chamamento interno.

 

Há que lembrar que os seus principais desafios estão mais activos em determinados anos pessoais, portanto é bom conhecer a natureza desses desafios, a fim de trabalhar a favor das suas próprias energias em vez de lutar contra elas.

 

Relativamente aos Anos Pessoais em 2017 cuja soma dá 19 ou 28 serão reduzidos a 10 e finalmente a 1, por isso há que levar em consideração todas as vibrações numerológicas e não apenas o 1.

 

Vibração 19 - Trata-se de um ano pessoal destinado a dar início (1) aos seus sonhos (9) ou projectos, mesmo aqueles que parecem ser demasiado utópicos ou de grande envergadura. Pode ver-se forçado a dividir um projecto grande em tarefas mais pequenas a fim de o tornar exequível. É um ano de grandes impulsos e pode ser mais difícil transformar as ideias em realidade, manifestando-as no plano da materialidade. Nem tudo será como gostaria e quereria, mas acima de tudo acredite em si e nas suas capacidades e não desista dos seus intentos. Quem é persistente e não baixa os braços acaba por ver os seus sonhos realizados mais cedo ou mais tarde.

Tenha em consideração todas as ideias que lhe surjam, mesmo aquelas que parecem ser pouco viáveis, pois elas chegam até si imbuídas de fortes energias de resolução. Além disso, geralmente um ano 19, gera ideias-semente pelo que poderá guardá-las até ter possibilidade de as usar.

Também poderá ver resolvidas muitas situações para as quais buscava solução ou resposta há muito tempo.

 

Vibração 28 – Trata-se de um ano pessoal muitíssimo virado para a realização e concretização de projectos cuja planificação já está suficientemente amadurecida (8) e onde o plano das emoções (2) sustenta ou impulsiona o que tem de ser feito.

Inovação é a palavra-chave e pode contar com colaboração e ajuda vinda de fora, sobretudo a nível profissional.

É um ano que promove contratos, alianças e harmonização de conflitos. O progresso é bastante rápido mas convém manter os pés bem assentes na terra.

 

Vibração 10 – É a vibração comum a estes dois anos pessoais e representa uma verdadeira mudança, um jogo de forças que não se pode parar ou controlar e que indica que a sua vida tanto pode evoluir, avançar crescer ou progredir como pode involuir, retroceder, parar ou bloquear. Porém, uma coisa é certa, movimento e acção não lhe faltará durante este ano repleto de novidades.

 

 

Análise Numerológica 2017 - Ano 1

Eva Veigas, 27.12.16

2017_2.jpg

1 – O Regente Universal de 2017

 

O ano universal exprime, genericamente, a influência que cada ano exerce sobre a humanidade em geral.

 

Os primeiros dois dígitos (20) representam a essência do século, que neste caso é representado pelo Número 2 (redução de 20).

 

Os últimos dois dígitos (17) individualizam o ano dentro do século. 1+7 = 8.

 

Se somarmos ao Número 8, a essência do século, o Número 2, obteremos 10, cuja redução é 1. Portanto ao falarmos sobre 2017 teremos que levar em consideração estes dois regentes numerológicos, que são os Números 1 e 10.

 

Um ano de vibração 1 é sempre o ano que marca a abertura ou o início de um ciclo novenal. O final deste ciclo ocorrerá assim, no ano 2025, cujo regente universal, será, evidentemente, o Número 9.

 

Este é um ano de suma importância, dado que representa o início de algo completamente novo, e como estamos a falar ao nível coletivo, será algo transversal a todos nós.

 

Em termos individuais, estaremos sob a influência dos trânsitos numerológicos que implicam, entre outros Números: o Número da Vibração Universal do Ano, o Número do nosso Ano Pessoal e o Número do nosso Ciclo de Aniversário.

 

Evidentemente, cada um de nós terá diferentes desafios, mais ou menos intensos, de acordo com os seus trânsitos numerológicos específicos, mas todos responderemos ao chamado, mais ou menos subtil deste poderoso Número 1, que rege os novos começos, os novos inícios, mas também os recomeços e a possibilidade de começar do zero.

 

Porém, para que essa possibilidade se manifeste é necessário que cada um use (ou aprenda a usar) as seguintes qualidades/capacidades: força, coragem, empenho, ousadia, determinação, firmeza, impulso para agir, vontade de evoluir, progredir e acima de tudo não ter medo de errar, nem de enfrentar o desconhecido.

 

Para enquadrar um pouco o ano no século, há que falar das várias vibrações numerológicas que se conjugam entre si.

 

Assim, falemos primeiro da essência do século, que como já referi anteriormente é, 2.

 

O 2 transporta-nos para a eterna renovação das águas e para a necessidade de as renovar, caso elas estejam estagnadas. Este processo, como bem sabemos está associado a todo e qualquer processo emocional, mais ou menos complexo, mas nunca dissociado de outros processos que com ele se conjugam, como o psicológico, o físico ou qualquer outro.

 

A essência deste século pede que nos libertemos de todo o tipo de julgamento que ainda transportamos a nível celular, que nos libertemos de todas as memórias que nos remetam para um sentido de injustiça no mundo e, claro, nas nossas próprias vidas.

A solução para resgatar e sanar esta questão reside na aceitação, que é também uma palavra-chave do Número 2, mas que só se pode manifestar, quando ela encontra um canal (pessoas aptas, capazes de enfrentar o desafio, que ressoam com a nova energia) que esteja aferido ou que ressoe com essa capacidade.

 

Aceitar que a vida não é injusta, é dos desafios mais difíceis, se não mesmo o mais difícil para o ser humano.

 

É neste cenário que teremos que enquadrar o Número 8 (1+7=8) que nos fala da importância de começar a trazer à prática, ou a manifestar na matéria, comportamentos que denotem a erradicação dos juízos de valor, do preconceito (pré-conceito) dos complexos de superioridade/inferioridade, etc.

Temos um século (um pouco menos, neste momento), temos 83 anos para trabalhar esta questão na nova energia trazida pelas recentes mudanças vibracionais, sentidas na grelha de luz da Terra.

 

Que cada um ganhe mais e mais consciência, a fim de poder agir de acordo com as mais elevadas frequências do seu Eu Superior, em vez de se manter nas frequências mais baixas e por conseguinte mais densas que geram, limitações de todo o tipo.

 

Depois desta breve introdução, falemos então do Número Regente Universal de 2017, que é 1.

 

Este é, como já se disse, o ano que abre um novo ciclo e por isso 2017 é um ano com um potencial ilimitado no que toca a iniciar todo o tipo de criações, ideias, planos, renovações, projectos novos, etc. que sejam essencialmente originais.

 

Isto é válido em qualquer área de vida. Pode ser que inicie um novo relacionamento, que a família cresça com o nascimento de um bebé, ou que um novo elemento se venha juntar à família. Pode ser que comece um novo negócio, carreira ou profissão.

Pode ser que se dedique a uma nova área de estudos. Pode ser que lhe apeteça começar a praticar desporto ou que opte por uma nova modalidade, se já o faz, etc.

 

Enfim, há que estar preparado, pois o novo pode surgir a qualquer momento ao longo do ano, e uma ou mais áreas da sua vida podem ser afectadas.

 

Acima de tudo há que alinhar com energias superiores (de frequência mais elevada, mais qualificada, mais afinada), pois o ano será certamente desafiante, já que qualquer tipo de iniciativa ou mudança no ar pode gerar medo de avançar.

 

Se isso suceder é o momento de ir averiguar a causa do medo. Depois de a identificar é tempo de limpar, transformar e purificar os obstáculos ou bloqueios que o impediam de avançar e seguidamente retomar a intenção daquilo a que se está a propor. A intenção deve ser firme e forte. Se não for persistente, determinado e assertivo, e se se deixar vencer pelas suas fraquezas o ano levará a melhor, esmagando o seu entusiasmo, varrendo as suas ideias para longe, espalhando a sua energia, deixando-o esgotado, exausto, sem rumo.

 

Isto porque o ponto fraco de 2017 é governado pelo Número 11, que é um Número-Mestre, bastante complexo e portanto irá pô-lo à prova ao longo do ano, no sentido de ir averiguando e confirmando se as suas intenções permanecem claras, se vão sendo reforçadas, ou se simplesmente você se irá deixar vencer pelas suas crenças e limitações autoimpostas.

 

O relacionamento com os outros é outro ponto sensível, portanto este é um ano em que facilmente se perde a cabeça, a paciência, e a estabilidade.

 

Lembre-se do que já conquistou, do tempo e do esforço que tem feito para se elevar acima das discórdias e das diferenças e mantenha-se firme e fiel a si mesmo. Não vá atrás da energia da competitividade, da ambição desmedida, da desonestidade, da incapacidade de olhar os desafios de frente, etc. Faça o que tem de ser feito, diga o que tem de ser dito, devolva, mas em amor e não em agressividade ou aspereza.

 

Por este motivo este pode ser um ano em que as guerras individuais e entre nações podem aumentar de intensidade, mas mais uma vez a responsabilidade dessa escolha recai sobre cada um de nós: desde a vibração que emitimos àquela que estamos dispostos a receber.

 

Escolha unir a sua energia vibrante e criativa ao lado positivo ou ponto forte deste ano que é 31. Segure bem no arco e aponte a flecha para o objectivo pretendido. Estique bem e quando soltar, saiba que não há como errar o alvo, desde que permaneça flexível, ajustando-se às mudanças com que a vida continuamente lhe acena.

 Resultado de imagem para robin hood 2010

 

Seja criativo na busca das soluções para os “piores” desafios que eventualmente lhe surjam ao longo de 2017.

 

Lembre-se que nada é para sempre, pois existe uma Lei que não pode ser esquecida ou ignorada, e que muito nos pode ajudar a viver uma vida mais inteira e total: a Lei da Impermanência!

 

Olhe à sua volta e verifique por si mesmo! Ela está sempre aqui… pois tudo muda constantemente.

Não acredita?

É simples…limite-se a observar a Natureza, aposto que vai ter muitas surpresas.

 

É importante recordar a importância da essência do ano dentro do século que como já disse é 8 (redução de 17), pois este é um ano altamente concretizador para aqueles que se alinharem com as frequências exortadas por este Número.

 

O 8 é sinónimo de persistência, de força (física, psíquica, etc.) de realização de algo concreto, de manifestação na matéria, isto é, de transportar a semente (1) que deu origem à ideia (7) tornando-a visível na matéria (8). Isto é o que designamos por processo criativo.

 

Devemos, por outro lado, ter em conta que este é um ano profundamente estruturado ou estruturante. Estruturado para quem já possui a estrutura, o edifício interno bem alicerçado e portanto já possui uma base sólida e firme a partir da qual pode gerir a sua vida no sentido e na direção que quiser; e estruturante para aqueles que por um motivo ou outro não se prepararam para este momento, e, portanto, terão trabalho a dobrar ao longo do ano, pois ainda terão que ir ganhar estrutura e solidez na área (ou áreas), onde esse esqueleto ainda não ganhou consistência. No fundo é trabalhar muito o elemento Terra para depois poder concretizar as ideias e os planos que traçou.

 

Concluindo, este é um ano que poderá abrir muitas portas, descobrir novos caminhos que o ajudarão a descobrir-se mais e melhor e que o catapultará para novas e desconhecidas experiências.

 

Vá de coração aberto e de alma leve.

 

 

2017_2.jpg

Características e simbologia do Número 1

 

Palavras-chave:

 

Acção

Afirmação

Ambição

Audácia

Começos

Dinamismo

Força

Independência

Individualismo

Iniciativas

Inteligência

Liderança

Movimento

Originalidade

Ousadia

Perspicácia

Pioneirismo

Potencial

Versatilidade

Vontade

 

 

Símbolo: O ponto dentro do círculo

 

Elementos: Ar e Fogo

 

Planeta: Úrano

 

Letras: A, J, S

 

Cor / Frequência: Cor de Magma / Todos os tons de Vermelho

 

Plantas Medicinais: Alecrim, Alfazema, Canela

 

Incensos: Âmbar, Benjoim, Café

 

Arcanjos: Ariel, Sandalphon, Gabriel

 

Pedras / Cristais: Azurita, Malaquite, Turmalina negra,

 

  

Em Profunda Comunhão Com a Vida

Eva Veigas