Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

𝑬𝒗𝒂 𝑽𝒆𝒊𝒈𝒂𝒔

𝑨𝒓𝒒𝒖𝒆𝒐𝒍𝒐𝒈𝒊𝒂 𝒅𝒂 𝑨𝒍𝒎𝒂 - 𝑵𝒖𝒎𝒆𝒓𝒐𝒍𝒐𝒈𝒊𝒂 𝑨𝒓𝒄𝒂𝒏𝒂 - 𝑻𝒂𝒓𝒐𝒕 & 𝑶𝒓á𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔 - 𝑿𝒂𝒎𝒂𝒏𝒊𝒔𝒎𝒐

𝑬𝒗𝒂 𝑽𝒆𝒊𝒈𝒂𝒔

𝑨𝒓𝒒𝒖𝒆𝒐𝒍𝒐𝒈𝒊𝒂 𝒅𝒂 𝑨𝒍𝒎𝒂 - 𝑵𝒖𝒎𝒆𝒓𝒐𝒍𝒐𝒈𝒊𝒂 𝑨𝒓𝒄𝒂𝒏𝒂 - 𝑻𝒂𝒓𝒐𝒕 & 𝑶𝒓á𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔 - 𝑿𝒂𝒎𝒂𝒏𝒊𝒔𝒎𝒐

Qua | 22.05.19

Semana Numerológica: 22/05/19 a 31/05/19

Eva Veigas

Quote 2.png

 

 

22/05/2019 a 143105/2019 - A última semana numerológica de Maio é regida pelos Números 22:4 e tem como co-regente o Número 3.

 

Depois de uma semana regida pelo poderoso Número 1, o Número de todos os inícios que nos devolve a ideia de que tudo tem uma origem, um principio, uma causa, um impulso, segue-se um período difícil e tenso pois os Números que regem esta última semana de Maio, encontram-se em oposição não só por se encontrarem demasiado próximos, mas, e acima de tudo por defenderem princípios aparentemente contraditórios.

 

O Número 4, resultante da redução de 22, está relacionado com o raciocínio lógico, com as dinâmicas do hemisfério esquerdo e com as estruturas que albergam essas dinâmicas. É um Número governado pelo Elemento Terra que se empenha em cuidar de tudo o que diz respeito aos aspectos materiais da vida, às formas, ao tacto, e assim por diante.

 

O Número 3 está relacionado com a criatividade, a imaginação e a arte, movendo-se pelas paixões e pela intuição; relaciona-se com o hemisfério direito do cérebro e com as estruturas que suportam estas dinâmicas. O Número 3 é governado pelas Salamandras, as entidades do Fogo que nos ajudam a transmutar crenças, preconceitos, ideias que tomámos como certas demasiado tempo, etc.

 

O 4 estabelece e impõe limites ao 3, que se debate com essa imposição. O 4 pretende estabilidade e o 3 quer partir na sua busca desenfreada para experimentar tudo o que lhe apetece.

 

O 4 cataloga, ordena, arquiva, arruma, executa. O 3 desarruma, dispersa-se, apaixona-se e perde o interesse pelo objecto da paixão, por vezes, quase em simultâneo. O 3 ri e chora ao mesmo tempo, enquanto o 4 tenta a todo o custo controlar as suas emoções.

 

Por estas e outras razões encontramo-nos diante de um período algo difícil de gerir e de digerir, pois somos colocados diante da necessidade de escolher a cada momento, o caminho que melhor se adequa às nossas necessidades. Umas vezes seguimos o coração, outras a razão, mas em qualquer dos casos, sentimos sempre que perdemos algo, fica sempre um vazio, uma estranha sensação de que poderíamos ter escolhido algo diferente. Mas como?

 

Entretanto devemos voltar a nossa atenção para a energia mais potente e importante desta semana que está na verdade bem visível através do Número dobrado 22.

 

Assim, o 22 é, de certa forma, um convite a começar de novo, a partir de uma nova base (uma base que já conquistámos, que já reconstruímos e que já preparámos para lançar novos empreendimentos).

 

Sempre que nos encontramos sob o seu olhar atento, o 22 lança-nos um desafio – o de nos superarmos e o de reconquistarmos o nosso lugar na roda ou no círculo mágico que é a Vida.

 

Em 22 recomeçamos uma caminhada, mais bem preparados, por assim dizer, do que antes, ou pelo menos assim deveria ser. A bagagem emocional deve ter sido filtrada e devemos iniciar este troço do nosso caminho um pouco mais leves, porém mais conscientes relativamente ao momento presente.

 

O que queremos construir? O que precisamos edificar? O que se torna cada vez mais importante materializar ou manifestar nas nossas vidas? Quais os princípios que não podemos prescindir? Qual o significado do momento em que levantamos o pé para dar início a esta nova etapa do percurso? O que está em causa? Permitimo-nos a liberdade de não saber nada e ainda assim dar o nosso salto de fé?

 

Peguemos novamente no conflito gerado pela oposição 3 – 4 e, sabendo de antemão o seu significado, procuremos encontrar o equilíbrio entre estes dois polos aparentemente opostos e busquemos harmonizá-los, compreendendo que ambos são necessários.

 

Em cada situação ou aspecto denso que encontremos pela frente, poderemos realizar uma leitura simples, que coloque as nossas necessidades reais num prato da balança, e os nossos desejos de ultrapassar certos limites, noutro.

 

Se fizermos este simples exercício passaremos a encontrar, por um lado, aspectos que se dissolvem por si próprios, pois o 3 precisa de regras e o 4 precisa de aprender a descontrair, e por outro, aspectos que precisam da nossa atenção, do nosso olhar mais atento, mais observador e menos julgador.

 

Nesse ponto é fácil entender que estamos em plena aprendizagem e nesse caso teremos que aceitar que o que escolhermos é apenas fruto do nosso grau de consciência e de conhecimento, relativamente a cada situação específica.

 

Porém, o 22 continua a exortar-nos a agir, já que independentemente do grau de conhecimento e de experiencia que tenhamos, este não é o momento de parar, mas sim o de tomar decisões e de tudo fazer para as pôr em prática.

 

 

Boa caminhada.

Eva Veigas

Qua | 22.05.19

Karma

Eva Veigas

Pedro Kummel.jpg

Imagem: Pedro Kummel

 

Karma

 

Karma (ou Carma) é uma palavra do sânscrito que significa Acção. Este termo religioso é usado nas doutrinas budista, hinduísta e jainista. A Teosofia, o espiritismo e o movimento New Age adoptaram este termo para traduzir as acções levadas a cabo pelo homem e as suas respectivas consequências.

A lei do Karma diz que, toda a acção tem uma causa e que cada acção provoca uma reacção à qual é impossível escapar.

Portanto a Lei do Karma é a Lei da Acção e da Reacção. É interessante fazer aqui referência à analogia entre a Lei do Karma e uma das Leis da Física, que diz que “ Para toda a acção existe uma reacção de força equivalente em sentido contrário (…)”. Encontramos esta lei no 3º ponto do Sistema de princípios de Sir Isaac Newton (1642-1727).

Podemos concluir, que toda e qualquer acção levada a cabo pelo Homem, terá sempre como consequência uma reacção de igual intensidade.

Neste caso, para toda a acção efectuada pelo Homem ele pode esperar uma reacção. Se praticou o mal então receberá de volta um mal em intensidade equivalente ao mal causado. Se praticou o bem então receberá de volta um bem em intensidade equivalente ao bem causado.

Dependendo da doutrina e dos dogmas da religião discutida, este termo pode parecer diferente, porém a sua essência foca sempre as acções e as suas consequências.

No budismo, Kamma ou Karma é a palavra para "acto" ou "acção", e nesse sentido usa-se a palavra em textos mais antigos para ilustrar a importância de desenvolver atitudes e intenções correctas. Considera-se que por gerar karma os seres encontram-se presos ao samsara, e portanto a última meta da prática budista é extinguir o karma.

Sob esta perspectiva, deixa de haver injustiça, culpa e castigo, já que tudo o que acontece de mal ou de bem na nossa vida não é mais do que a lei do equilíbrio energético em acção.

É com base nesta premissa que surge o Tarot Karmico, como um aliado na edificação no nosso ser, o qual após ganhar consciência e distanciamento emocional relativamente às suas práticas, pode, a partir desse momento, escolher em total consciência uma conduta mais adequada ao ao seu novo nível de desapertamento interno.

 

Eva Veigas

 

Ter | 21.05.19

A Conduta do Guerreiro

Eva Veigas

93991567008fb7a8954a4400c97d9e8f.jpg

Artist: Caroline Manière

 

Um verdadeiro guerreiro sabe que no seu coração moram a sombra e a luz e que nenhuma delas é mais importante do que a outra.
Um verdadeiro guerreiro sabe que a vida não se resume a preto e branco, e que embora esses dois sejam um, existe uma infinidade de tons e cores que não devem ser ignoradas.
Um verdadeiro guerreiro escuta a voz da razão e do coração, mas no final segue as palavras murmuradas pelo seu Espírito.
Um verdadeiro guerreiro é um adulto com uma imensa capacidade de brincar. É livre e solto, mas firme e persistente.
Um verdadeiro guerreiro sabe quando lutar e quando baixar as armas!
Um verdadeiro guerreiro obedece e respeita os ciclos da Vida e da Natureza.
Um verdadeiro guerreiro, nem sempre sabe que o é, mas sabem-no os outros...

by Eva Veigas
Todos os direitos reservados


Ter | 21.05.19

O Tao

Eva Veigas

A imagem pode conter: céu e noite

Imagem: Graham Holtshausen

 

O Tao é um vazio insondável em movimento incessante que nunca se esgota. O Tao que pode expressar-se não é o Tao eterno. O tao que pode ser nomeado não é o verdadeiro Tao. Sem nome é o Princípio do Universo. Sem nome é a origem do céu e da terra. Com nome é a mãe de todas as coisas. Os dois Taos são o mesmo, diferenciando-se só no nome. A vida é emanação do Tao. O Tao na sua origem é Vazio. Uma confusão inacessível ao pensamento humano. No Vazio está a origem de todas as coisas: a Suprema Verdade.

Tao Te King 

Qui | 16.05.19

16/05/2019 = 24:6 Confiança e Aceitação

Eva Veigas

Zack Silver.jpg

Imagem: Zack Silver

 

Dia 16 - A confiança em nós mesmos é o ingrediente principal para aprender a confiar nos outros. Toda a insegurança nos torna desconfiados, ansiosos, à defesa. Por vezes, até, mais agressivos. Mas na verdade, quase sempre nos torna submissos às vontades e desejos dos outros. 

 

Por essa razão necessitamos de trabalhar mais a confiança em nós mesmos, tratando de ultrapassar cada insegurança, cada medo, cada desconfiança. Para ultrapassar cada uma destas questões, precisamos de as conhecer, de as tocar, de modo a entrar em contacto com o seu conteúdo. 

 

Afinal que insegurança é esta? Como se traduz na prática isto que sinto? Ou o porque é que desenvolvo determinado padrão de resposta se até sei o que seria mais adequado para dar resposta ou resolver a questão?

 

Se sabemos interiormente qual o caminho a percorrer, porque é que no momento de agir nos transformamos nos autómatos de sempre e reagimos em modo "resposta automática"? 

 

Precisamos entrar dentro dos mundos densos para lhes conhecer os cantos mais obscuros e amedrontadores, precisamos dobrar as esquinas desses lugares sabendo que a todo o momento um qualquer monstro ou criatura fantasmagórica nos pode saltar ao caminho. Só dessa maneira, enfrentado o medo, é que poderemos encarar e conhecer o que se esconde por trás dessas figuras horrendas.

 

É desse modo que acederemos à beleza que se esconde por trás de cada situação, de cada relação, de cada acontecimento presente nas nossas vidas.

 

 

16/05/2019 = 24:6

 

A aceitação das coisas tal como elas se nos apresentam não é um caminho fácil de percorrer para a maioria de nós, porém, nessa aceitação, somada à autoconfiança, reside um dos grandes segredos para se viver uma vida mais íntegra, mais plena e mais total. A adrenalina presente a cada momento faz-nos sentir vivos e mais perto da nossa divindade, pois as situações ou experiências sucedem-se e aguardam que as encaminhemos, uma a uma, numa dada direcção.

 

A Presença Eterna torna-se "viva" e agita-nos a cada instante dotando-nos de uma visão mais clara e mais objectiva, porém nem sempre lógica.

 

Essa visão aponta-nos sempre um caminho onde a Beleza se faz presente a cada instante e, nessa medida, o próprio caminho nos remete incondicionalmente para a aceitação do que está diante de nós e para a confiança em nós mesmos.

 

Pode parecer um pouco confuso ou mesmo paradoxal, mas esta verdade só a sabe aquele que já a experimentou.

 

Boa jornada

Eva Veigas

Sex | 10.05.19

10/05/2019 = 18:9 - Retorno e Recomeço

Eva Veigas

Vlad.jpg

Imagem: Vlad Bagacian

 

Dia 10 - Não há mal que sempre dure nem bem que nunca se acabe. O 10 representa um movimento contínuo, nada está parado.

 

O 10 é o retorno à unidade. Porém quando este 1 (1+0=1) regressa ao Uno já não é o mesmo que começou a jornada. Este 1 franqueou várias portas, acedeu a múltiplos conhecimentos, através das diferentes experiências com as quais contactou.

 

Já não é o mesmo, porque não pode ser o mesmo. Modificou-se, transformou-se através da sua conduta que pode ter sido exemplar ou não.

 

Quando regressa, regressa ao ponto de partida, mas esta partida não será nunca igual à anterior, pois desta vez ele está mais preparado, mais confiante, mais empoderado e portanto a nova jornada será certamente mais ambiciosa. Ele não cometerá os mesmos erros, caso tenha aprendido com eles e através deles. 

 

Regressar ao Un(0) dá-lhe tempo para reavaliar a sua condição, para decidir o que quer manter e o que quer deixar para trás, dá-lhe distanciamento para reflectir acerca das suas escolhas e das suas mais importantes necessidades.

 

Mas este não é o momento de descansar e ficar muito tempo nesse lugar a retemperar forças. É um tempo de levar na bagagem o essencial (aquele que é invisível aos olhos) e partir.

 

Que paragens o aguardarão? Quem será ele quando regressar outra vez? Na verdade, quem é ele agora? Agora?

 

Talvez não saiba bem, mas a próxima viagem poderá trazer mais respostas a essa questão ou levá-lo a questionar-se ainda mais.

 

10/05/2019 = 18:9

 

Ele parte em busca de sabedoria e de integridade, encostado ao seu cajado, tendo como única companhia a sua luz interior. Nada o poderá demover a não ser que se deixe abater pela solidão, pelo cansaço ou pelo egoísmo.

 

Mas se o que o move, for maior do que ele próprio, então a sua jornada será consagrada a algo grandioso, algo que nem ele conhece na totalidade, pois a sua mente não pode entender esta linguagem. Apenas o seu coração, limpo de dor e toxicidade, limpo de veneno e amargura, conhece esta linguagem. Na sua jornada ele estará muito tempo só, porém será sempre junto dos seus companheiros (irmãs e irmãos de jornada) que ele encontrará o afecto, o apoio e a cura de que necessita para enfrentar os tropeços do caminho.

 

Um abraço intergaláctico

Eth'Nah Caminhante das Estrelas

Qui | 09.05.19

09/05/2019:26:8 Realizar através da Sabedoria

Eva Veigas

Nynne.jpg

Imagem: Nynne Schrøder

 

 

Dia 9 - A consciência ou iluminação obtida pelo progresso através do conhecimento é um processo lento, por essa razão este Número é muitas considerado "lento", é como se a energia se arrastasse. Por vezes, aqueles que vivem sob a regência do 9, consideram que para chegar a certos objectivos nas suas vidas demoram mais tempo do que os outros. Pode ser apenas a sua percepção, ou talvez o efeito do complexo processo que é a aprendizagem do 9.


Através das suas frequências, leia-se: experiências e vivências qualificadas por 9, aprende-se a amadurecer e a recolher apenas aquilo que tem uma qualidade inestimável para a alma. Tudo o resto é efémero, passageiro, inútil e o 9 trata de se "desfazer", de transformar esses resíduos em algo benéfico para si, para os outros ou para o Todo.

 

09/05/2019 = 26:8 


Este 8 é uma síntese de todas as frequências presentes nesta data. É um 8 com uma natureza interna fogosa e uma expressão externa aquosa. Fogo por dentro, Água por fora, são os elementos que constituem este 8, cujo elemento natural é a Terra. 


Hoje podemos construir e concretizar a partir da fusão destes princípios: o Fogo que nos impulsionará a crescer e a querer conhecer mais, explorar mais, fazer mais e, se possível, melhor do que ontem; a Água que nos orientará pelo caminho da humildade, aprendendo a contornar todo o tipo de obstáculos ou então a atravessá-los, mesmo que para isso demoremos uma eternidade.


Afinal o que é uma eternidade para o Eterno? Só mesmo o ser humano se queixa de não ter tempo suficiente!

 

Que as energias nos cheguem como um presente que devemos desembrulhar cuidadosamente, de modo a preservar todo o seu conteúdo, pois será com ele que realizaremos a obra de hoje.

 

Boa caminhada

Eva Veigas

 

Qua | 08.05.19

Semana Numerológica: 08/05/19 a 14/05/19

Eva Veigas

08_05_19_14_05_19.jpg

Imagem: Ganapathy Kumar

 

 

08/05/2019 a 14/05/2019 - A segunda semana numerológica de Maio é regida pelos Números 29:11:2 e tem como co-regente o Número 7.

 

É portanto um período de grandes possibilidades e ganhos para o aumento da autoconsciência.

 

Estamos ainda sob o efeito da última Lua Escura e a caminho da Fase Crescente que terá lugar no próximo dia 12 de Maio. Temos caminhado cada vez mais na direcção de nós mesmos, ganhando mais e mais consciência do significado da Vida em geral e da nossa em particular, o que não significa que esteja a ser fácil, ou que as respostas ao nosso questionamento interno nos cheguem num ápice, transformando as nossas vidas num mar de rosas, até porque não há rosas sem espinhos.

 

Esta descida às camadas mais profundas do nosso ser, ainda mal começou. Desengane-se quem pensa o contrário e afirma que já fez tudo, sabe tudo e já viu de tudo, porque essa ilusão também há-de cair e mais rápido do que se possa pensar.

 

O Número 11, que governa este curto período de Maio, e que este ano surge apenas três vezes (a primeira vez foi no período compreendido entre 15 e 21 de Janeiro e a última será entre 15 e 21 de Outubro), revela-nos um momento de grande intensidade e velocidade. Tudo acontecerá de modo tão rápido que pouco tempo nos sobrará para integrar todas as experiências que vivenciaremos, e a menos que estejamos de tal modo ancorados no nosso centro, dificilmente seremos capazes de manter o foco e a estabilidade necessárias para viver tempos com estas características e sob estas regências tão fortes e intensas. O tema do 11 é poderoso, inquantificável e ultrapassa todas as barreiras e limites impostos ou autoimpostos.

 

Quando falamos em 11, falamos não só em poder pessoal, mas, e acima de tudo na responsabilidade que advém dessa liberdade de escolher ser o que desejamos. Este é o grande desafio do 11: escolher ser livre e assumir as consequências dessa escolha! É por essa razão que a maior parte das pessoas continua “presa” a algo ou a alguém. Elas querem ser livres, sim, mas recusam a parte da responsabilidade que lhes cabe e por essa mesma razão continuam a imputar culpa ou responsabilidade em tudo o que é exterior a si mesmas.

 

Ainda não se recordaram que são elas que constroem o seu próprio mundo através das ondas que emanam dos seus pensamentos e da vibração que acolhem nos seus corações. Ainda não aprenderam a largar a dor e a deixar ir o passado, ainda lhes pesa a alma, ainda se deixam envolver pelos desgostos, pelas decepções e pelas traições, ainda sentem pena de si mesmas e ainda não conseguiram compreender que o paradoxo da vida não é para resolver mas sim para viver.

 

Ainda não se recordaram que os opostos se complementam, porque os Portões da Fonte Eterna da Sabedoria e da Inteligência se encontram lacrados, até que os seus pensamentos cessem e até que cesse todo o ruído interno, todo o julgamento e toda a desilusão, e que tudo isso dê lugar a um estado de gratidão e aceitação profundas de si mesmos, dos outros e da vida tal como ela se apresenta.

 

Ainda não conseguiram perdoar-se por não se recordarem do elo amoroso que os une ao coração de Deus Pai/Mãe e enquanto não aceitarem essa centelha divina, essa partícula do Fogo Alquímico, mais pequena do que um átomo que a todos anima, nada poderá ser transformado – pois nada acontece de fora para dentro! Toda a transformação tem início dentro de cada um de nós, portanto, de nada vale ficar à espera que o outro faça, que o outro peça perdão, que o outro dê o primeiro passo, e assim por diante, pois tudo começa e acaba em nós!

 

Neste período o ideal é que cada um possa encontrar o seu próprio equilíbrio interno. Todos os aspectos estão em cima da mesa, desde o físico ao mental, passando pelo psíquico e pelo espiritual, pois estas vibrações de 11 atravessam todas as dimensões. E… lembrem-se, existem dimensões dentro de dimensões, num movimento infinito e em muitas direções.

 

Existem mundos dentro de mundos, como já me foi mostrado, em muitas ocasiões: meditações, trabalhos com xamanismo, sonhos… a mim, e a muitos de vós – tenho a certeza – e a muitos outros antes de nós, pois nada é novo – a nós, os que caminhamos agora sobre a Terra, cabe-nos a missão de redescobrir estas verdades essenciais e de as manter vivas para as gerações futuras, só isso.

 

O 11, a par com o 7, proporcionará uma caminhada a pique em direcção a outras tantas camadas profundas da mente. É preciso bastante atenção, para mantermos os pés bem assentes na terra, ou correremos o risco de nos afundarmos no meio de tanta informação que se esconde nas profundezas do nosso inconsciente, e que agora começa, aos poucos, a emergir. É que não é de todo o que se pretende, nem é saudável. Por isso deveremos enraizar e ancorar, todos os dias, para que se crie um vínculo energético que permita que a energia se mantenha no nosso centro e que o nosso coração esteja focado no Amor Divino em nós e no Bem Maior – aquele Bem que serve à maior parte e nos retira do nosso mundinho pequeno, egoísta e calculista.

 

Esta é ainda uma semana muito importante para cuidarmos da nossa saúde e da daqueles que dependem de nós. Muita cautela e atenção com todo o tipo de excessos para não sobrecarregarmos o corpo físico e a mente. Mens sana in corpore sano! Podia ser o nosso mantra para esta semana, a qual desejo seja carregada de bênçãos e pacificação interna.

 

Boa caminhada.

Eva Veigas

Qui | 02.05.19

Semana Numerológica: 01/05/19 a 07/05/19

Eva Veigas

photo-1476293602671-beea27e1e702.jpg

 

 

01/05/2019 a 07/05/2019 - A primeira semana numerológica de Maio é governada pelos Números 17:8 e tal como o mês remete-nos para a mesma temática, as mesmas dinâmicas e os mesmos desafios, com a diferença que tudo isto se encontra muito mais concentrado e prensado em apenas 7 dias. Para melhor compreensão pode ler o texto sobre Maio em 
https://evaeleven.blogs.sapo.pt/maio-2019-regente-numerologico-178-380298


Na verdade, a primeira semana de cada mês, como já referi em muitos outros artigos, é muito importante, pois ela concentra em si mesma o essencial do que ocorre a cada 30 dias (aprox.).


É por esta razão que devemos prestar particular atenção a estes períodos, pois estaremos mais ou menos activos, mais ou menos meditativos, mais ou menos alerta, conforme as qualidades associadas ao (s) Número (s) que governa (m) cada mês.


Este período em particular é muito activo, caracterizando-se por uma forte necessidade de nos movimentarmos numa dada direcção, de tomarmos decisões firmes, sobretudo quando os assuntos exijam um alto nível de responsabilidade, e, existe ainda uma tendência muito vincada para negociar a todos os níveis: tanto pode ser uma simples negociação em casa, num nível familiar e afectivo, como pode enquadrar-se nos quadros económicos e financeiros das grandes empresas ou instituições.


Acima de tudo é preciso prestar atenção ao que está em causa, aos prós e aos contras do assunto que temos pela frente e evitar todo o tipo de precipitação, pois isso poderá sair caro aos mais incautos.


Porém, este período é cogovernado pelo Número 3, que em conjunção com o Número 8 activa de forma subtil, quase imperceptível outros processos internos e que só poderão ser detectatdos por aqueles que possuem grande consciência do seu interior e estão em permanente contacto com as dimensões mais profundas do seu ser. 


Este 3 é muito particular e traz consigo desde as camadas mais profundas, questões relacionadas com a nossa débil estrutura emocional, traz-nos sonhos que estão por realizar, medos que estão por encarar e pensamentos e anseios que receamos albergar, por termos medo de ser olhados de lado ou de não ser aceites pelos outros.


Mas queiramos ou não, tudo isso irá aflorar à superfície do nosso ser, como partículas que aos poucos se vão libertando do fundo de um lago.


E perante esse novo cenário seremos de novo colocados à prova. Seremos nós capazes de lidar com tantos conteúdos que se encontravam fechados e selados há tanto tempo?
Tantas questões serão levantadas nos próximos dias. Teremos nós a coragem e a força necessárias para iniciar nova missão e estaremos nós aptos a escutar o nosso interior, sem o interrompermos?


Lembro que se aproxima rapidamente o dia 5 de Maio, o qual trará consigo uma energia que considero muito especial, a da Lua Escura (Lua Nova) que nos permite um recolhimento particular, por forma a nos aproximarmos mais da nossa essência, pois é atravessando as sombras que chegamos à Camara Secreta que guarda a Luz no nosso interior.

 


Boa semana e boa caminhada.
Eva Veigas

Qui | 02.05.19

Maio 2019 - Regente Numerológico 17:8

Eva Veigas

A imagem pode conter: nuvem, céu, relva, flor, planta, ar livre e natureza

 

Maio 2019

Regente Numerológico 17:8

Maio é governado pelo Número 8, um Número maravilhoso associado a aspectos como a materialidade, o pragmatismo, a realização e a construção de algo visível, palpável, podendo ser interpretado neste momento em concreto, como manifestação do divino que saindo da esfera do abstracto se vai cristalizando no campo da materialidade. 

Este movimento é impulsionado por um salto de fé, aquela fé e convicção que nos guia e orienta a partir de dentro e que pouco ou nada tem que ver com aspectos religiosos ou prodigiosos. 

A fé inabalável, mas não cega, que nos remete para uma dimensão interna que dificilmente conseguiremos explicar, mas que sabemos nos conduzirá a um contínuo renascer, fruto de uma disposição interna para aprender com tudo e com todos. 

Humildade é algo que precisaremos de desenvolver e muito se quisermos aproveitar este momento para regenerar os diferentes campos em que nos movimentamos na vida, desde um nível celular.

O 8 é o símbolo da lemniscata (ou do infinito), de pé, o que por si só já faz prever o tipo de energias que se encontram mesmo à nossa frente.

O infinito e os seus contínuos desdobramentos quânticos mostram-nos as infinitas possibilidades, oportunidades, soluções, ideias, etc. que poderemos experimentar caso nos proponhamos a tal.

O Número da materialidade, e por conseguinte associado ao elemento Terra, fala-nos de variadíssimos aspectos importantes que nos ajudarão a manter centrados e focados. A ligação com este elemento é profunda e inerente à nossa própria condição humana, dado que o nosso corpo físico tem uma correspondência directa com ele, pois é formado de matéria. 

É através deste veículo físico, material, que realizamos as nossas obras, as nossas tarefas, dando corpo e concretizando as nossas ideias ou projectos.

Na verdade, este pode ser um mês, ou um momento bastante produtivo, no sentido em que as frequências do 8 nos convidam a manifestar fora de nós o que temos vindo a desenvolver dentro, sobretudo desde Agosto 2018. 

Essas ideias, projectos ou criações, atingiram o ponto de maturação no passado mês de Abril e portanto estão agora prontas para serem revestidas pela camada visível da matéria.

Mas ideias e projectos colocadas na camada externa ou física sem a faísca do Fogo que nos nutre o espírito, seriam como balões largados ao vento, que depressa perderiam todo o seu conteúdo, restando apenas um velho invólucro sem qualquer utilidade. É por isto que ao 8 se junta a força contida em 17, que é a frequência que o alimenta e nutre, permitindo que o que quer que se faça perdure no tempo e na memória colectiva ou individual, consoante os casos.

O 1 impulsiona-nos sempre para a frente, numa dada direção, e neste caso é ele que vivifica o 7, dando à nossa fé, uma direcção, um sentido, uma razão válida e valiosa, para dar início à concretização da nossa obra (o que quer que isso signifique para cada um de nós).

A fé sem direcção transforma-se em abismo e torna a nossa vida árida e confusa.

Toco neste ponto e considero-o um dos mais importantes ao longo de todo este mês, porque o 7 é simultaneamente o Número que governa o ponto fraco de Maio (o ponto onde a energia se encontra mais baixa e portanto trata-se de um imenso desafio para o qual nos devemos preparar, aprendendo tudo o que pudermos acerca desta temática, por forma a podermos atravessá-lo sem nos perdermos no caminho).

As frequências associadas a este 7 e que lhe subjazem são 97 e 16, as quais reduzidas teosoficamente resultam, como é evidente, no Número 7.

As lições ou aprendizagens que diariamente nos surgirão prendem-se com os seguintes temas: Cooperação, Altruísmo, Benevolência, Compaixão, Bondade, Generosidade, Aceitação, Amor-Próprio, Fé, Intolerância, Preconceito, Radicalismo, Arrogância, Egoísmo, Ciúme, Apego, Integridade, Respeito, Honra e Paz.

A cada momento seremos confrontados com experiências marcadamente vincadas por algum deste aspectos e teremos de permanecer vigilantes para que o nosso centro se mantenha no lugar sem termos de estar permanentemente a regressar a ele.

O ponto forte de Maio é governado pelo Número 5, o qual deverá agitar bastante o nosso Fogo Interno, levando-nos a honrar cada passo no caminho - o nosso e o dos outros. 
É o momento de honrar e abraçar, aceitar e celebrar o espírito ou parte divina que habita em nós. Chega de renegar ou ignorar esta Presença Amorosa, esta Voz que nos chama desde dentro e nos impele a sair do velho formato, onde, devemos admitir, já não cabemos e com o qual já não nos identificamos. É tempo de despir estes velhos e sujos andrajos e de nos vestirmos principescamente, pois o momento de reconhecermos o divino em nós está aqui (e há já bastante tempo, diga-se!).

O 5 é sempre um convite à mudança, à libertação de velhos padrões e hábitos, de sistemas obsoletos e de pensamentos ultrapassados. O 5 pede que nos actualizemos a cada momento, a cada respiração, atrevo-me a afirmar! Não é um exercício fácil, mas devemos morrer para o passado a cada segundo, pois um momento passado não mais voltará a existir.

Continuamos a perder tempo e a viver demasiado nesse passado que nada nos oferece de novo – apenas nos faz reviver sofrimentos e dores de todas as formas possíveis, até disfarçados de memórias agradáveis.

O 5 vai exigir transformação e isso dá trabalho, muito trabalho mesmo, vai exigir estudo, pesquisa e tempo para nos conhecermos nas nossas diferentes vivências e experiências, pedindo-nos que nos analisemos ante todo o género de desafios – é que somos todos fantásticos quando a vida nos “corre bem”, mas basta uma pequena contrariedade e logo os nossos comportamentos reactivos e automáticos regressam a nós, para que possamos ver o quanto ainda somos infantis ou desajeitados na nossa forma de encarar os mais diversos problemas. E é mesmo só para isso e não para nos mostrar que somos maus, imbecis ou incapazes de aprender. Não é para nos punirmos, é para aprendermos. Não é para competirmos é para nos aperfeiçoarmos.

E por falar em aperfeiçoar, falaremos agora da essência deste mês primaveril, governada pelo Número 6, o qual nos religa aos Portais da Beleza, do Amor e da Arte.

Um mês para aprendermos a refinar essa mesma Beleza dentro do nosso ser, talvez através de alguma forma de arte, desde a arte de embelezar a nossa casa, o nosso cantinho especial, o nosso corpo, o nosso prato de vegetais até à habilidade de criar uma verdadeira obra-prima.

Como podem constatar este será um mês muito enriquecedor para todos os que queiram aproveitar esta oportunidade, este presente da nossa existência, que apesar de efémera neste plano, é sem dúvida eterna para o plano espiritual.

Um Feliz Maio para todos nós.
Eva Veigas