Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eva Veigas

Eva Veigas

Seg | 21.09.15

Mensagem das Fadas

Eva Veigas

Be Yourself.jpg

 

Confia acima de tudo nas tuas próprias ideias, nos teus feelings e intuições. Age de acordo com o que sentes e não com aquilo que os outros exigem de ti. Usa as tuas capacidades e acredita que és capaz de desenvolver o teu próprio potencial, de forma não só criativa mas também divertida. Sai do torpor em que te encontres e sê tu mesmo em qualquer circunstância, mesmo que te sintas pressionado de todos os lados. Encontra o teu centro e depois abre um caminho dentro de ti. Segue esse caminho. Um passo atrás do outro. Confia!

Sex | 18.09.15

Mensagem das Fadas - 18/09/2015

Eva Veigas

 

Good bye to the old.jpg

Imagem: Magical Messages from the Fairies Oracle Cards - Doreen Virtue

 

Hoje encerra-se mais um ciclo na tua vida. É tempo de abraçar o novo ciclo que começa, tendo em consideração tudo o que aprendeste com as experiencias do passado. Os conhecimentos e experiências vividos, depois de integrados transformam-se em sabedoria. Usa-a!

Qui | 10.09.15

Palavras de Gratidão

Eva Veigas

relax.jpg

 

Eu abençôo e bendigo todo o meu Ser.
Eu abençôo e bendigo toda a Vida que existe em mim.
Eu abençôo e bendigo todos os meus irmãos humanos e não humanos.
Eu abençôo e bendigo toda a Existência.

Eu agradeço pelas minhas experiências.

Eu agradeço pela minha Vida.

Eu agradeço pelas aprendizagens que os meus semelhantes me proporcionam.

Eu agradeço. Eu agradeço. Eu agradeço.

Qui | 10.09.15

Uma Carta para Ti

Eva Veigas

Querida Amiga,

 

 

6.JPG

Passei por aqui para te agradecer. Não fiques surpreendida estou-te agradecida sim, por todas as experiências que temos passado juntas. Algumas dessas experiências, como sabes, deixaram-me imensamente feliz e alegre, a rejubilar. Outras deixaram marcas profundas que me atravessaram o coração como uma espada. Fiquei desapontada muitas vezes, mas tenho esta característica própria, daqueles que não se deixam derrubar, por mais coisas que lhes aconteçam. E foste tu minha amiga de longa data que me ensinaste a levantar depois das quedas, sempre com um sorriso no rosto (cá entre nós, eu sei que nunca vou perder este sorriso, nem que tenha 100 anos).

Foste tu que com a tua eterna paciência me mostraste como ultrapassar tantos desafios, todos tão intrincados... mas tu sabes que eu gosto destes desafios, de coisas complexas, não é? Quanto mais complexo mais desafiante, mais me atrevo a seguir em frente. Tu consegues arranjar os jogos mais incríveis e criativos para me pôr à prova. Sabes? Isto visto de fora tem a sua graça... é meio irónico até.

Mas eu descobri o caminho para me encontrar  e foi tudo graças a ti, minha querida.

Foi quando percebi que não era suposto ganhar-te, não era suposto ser maior do que tu... foi quando percebi que a única coisa que tinha que fazer era render-me e deixar fluir que encontrei o caminho de volta a mim. Sabes o que fiz? Mantive-me atenta aos sinais que constantemente me enviavas. Sim, descobri padrões, onde aparentemente não havia nada que me permitisse identificar um padrão, mas eu descobri.

Se tu soubesses as coisas maravilhosas e magníficas que eu descobri...

Uma delas (não deve ser a mais importante nem nada) é que o Poder do Amor é uma energia tão poderosa que uma vez colocada em movimento, cura tudo e todos à sua passagem. É mágico!

Eu nasci sabendo dessa magia, mas vê-la acontecer... Oh! Isso é algo completamente diferente!

É por isso que hoje te vim agradecer, como faço tantas vezes em silêncio, mas hoje apeteceu-me partilhar com o mundo.

O que achas querida Vida? Será que o mundo vai gostar de saber que todos temos uma Amiga como tu?

 

Ter | 08.09.15

De 15 a 21 de Setembro - Regente 15:6

Eva Veigas

semana 7 set 2015.jpg

Semanas Numerológicas - Setembro 2015

 

De 15 a 21 de Setembro - Regente 15:6

 

Este é um tempo de criar raízes onde antes o terreno era pouco fértil. À medida que nos vamos desapegando do passado, do que vivemos, de quem fomos um dia, do que fizemos, do que não fizemos e não dissemos, etc. vamos criando espaço para que um novo terreno surja por baixo dos nossos pés.

O chão em que caminhamos é sagrado, e este é o tempo de o honrar, tornando-o sagrado. O chão não é para pisar, calcar ou ignorar. É terreno sagrado, que se tornará fértil se cuidarmos dele. Caminhar sobre a nossa terra é diferente de pisá-la. Caminhar com consciência devolve-nos lucidez, gratidão e um profundo sentimento de pertença com tudo e com todos.

Não significa tornarmo-nos lamechas e querer agradar a todos. Não! Isso é o que nos ensinaram a fazer (ou pelo menos a alguns de nós). Trata-se de reconhecer o milagre da vida em tudo o que existe, em tudo o que é, e ajudar outros nesse mesmo processo de reconhecimento.

Não é uma tarefa fácil mas pode tornar a nossa vida muito agradável e mais bonita, pois esta vibração 6 vai ajudar-nos a querer levar beleza onde ela não existe, seja num espaço físico, seja na forma como nos expressamos, como amamos, como nos alimentamos, como interagimos com os outros e assim por diante.

A beleza está dentro de nós e em todos os lugares, são apenas os nossos filtros e os nossos vidros embaciados que muitas vezes não nos deixam perceber a beleza de cada momento, dado que empolgamos demasiado determinadas situações ou acontecimentos.

Quando aprendermos a não dar tanta importância ao supérfluo, veremos com certeza a beleza transparecer em cada olhar, em cada sorriso, em cada árvore, em cada animal, em cada pedra do caminho.

Mas para que tudo isto se manifeste é preciso ter um campo amoroso bem desenvolvido, uma certa compaixão e um certo nível de tolerância em relação aos outros. É preciso querer bem ao próximo. É preciso saber dar espaço e tempo às pessoas que nos rodeiam para que elas possam mostrar o melhor de si mesmas. Mas também é preciso ser honesto ao ponto de perceber quando é que o outro está a refletir a nossa dor e a mostrar-nos através dos seus comportamentos, palavras ou atos onde está a nossa velha ferida (aquela que teimamos em esconder).

Depois é preciso querermos curar essa ferida. Saber reconhecê-la e identifica-la é condição sine qua non para que este processo se inicie de forma a não nos deixarmos cair outra vez no processo vítima/carrasco (pois já sabemos que onde existe uma vítima há um carrasco e vice-versa).

Esta semana é assim uma excelente alavanca para identificar velhas feridas e rebentar com esses bolsões energéticos que são como pústulas no corpo físico. Assim que rebentam começam a cicatrizar.

Quando nos permitimos libertar as velhas dores, estamos a dizer que estamos a dar permissão a nós mesmos para viver de uma forma mais prazerosa, mais alegre, mais feliz, onde tudo o que fazemos (mesmos aquelas atividades que gostamos menos) nos devolverá um sorriso, pois sabemos que finalmente nos encontramos ao Serviço de um Bem Maior, conscientes do nosso pequeno mas empenhado e amoroso contributo em tornar a nossa vida e a dos outros em algo melhor e mais bem vibrado.

Quanto mais elevados forem os nossos pensamentos, quanto mais nobres e altruístas forem os princípios pelos quais nos regemos mais amor teremos para nos nutrirmos e consequentemente mais nutriremos os outros, dando-lhes a devida atenção, o carinho, (tantas vezes essencial para aliviar o sofrimento dos outros), a palavra ou o gesto solidário que outras tantas vezes tira a fome a alguém mais necessitado.

 

Ter | 08.09.15

De 8 a 14 de Setembro - Regente 16:7

Eva Veigas

b20.jpg

 Semanas Numerológicas - Setembro 2015

 

De 8 a 14 de Setembro - Regente 16:7

 

Esta semana será importante no sentido em que nos permitirá tomar contacto com partes de nós que têm estado adormecidas, chegando agora o tempo de as acordar para a nova consciência que temos estado a experimentar.

É possível que sejam momentos algo dolorosos para muitos de nós, pois não é fácil encarar e aceitar a nossa própria inconsciência ou dormência. Portanto o trabalho a ser feito é obviamente o de em primeiro lugar aceitar esta condição em que nos encontramos e não criar mais revolta ou impaciência em redor desta situação.

Só aceitando o que estamos a viver é que poderemos experimentar verdadeiros avanços em termos transformação interna.

Novas revelações surgirão, quase sempre a nível interno, porém dado que esta semana se insere num mês regido por 8, essas revelações poderão surgir também a partir do exterior: fontes de informação, como livros, cursos, notícias ou ainda a possibilidade de recebermos conhecimentos através de pessoas que mal conhecemos, mas com quem sentimos de imediato uma ligação profunda.

Não se trata de uma semana inerte, parada ou até mesmo muito introspetiva. Trata-se antes de sermos guiados para os locais onde deveremos estar, notaremos sincronicidade incríveis e teremos a certeza de que estamos no sítio “certo” com as pessoas “certas” para nós.

Sabemos que algo terá que ser feito, cumprido ou iniciado e nem precisamos mais de obter a aprovação de terceiros como antes. Simplesmente nos permitimos obedecer à voz interna que sempre nos guia com a sua Luz maravilhosa e permanente.

Este também é um momento importante para deixarmos cair (ou mesmo destruir com um esforço da nossa vontade) as barreiras que construímos ao nosso redor ao longo de muito tempo e que nos impediam de nos relacionarmos de forma saudável inteira com as outras pessoas (sobretudo as pessoas mais próximas de nós: família, amigos, colegas de trabalho).

Já não existe mais a necessidade de nos escudarmos atrás dos nossos medos. O medo de mostrar o que realmente somos é que nos torna vulneráveis e não o contrário.

Este cenário montado pelo 7 (redução de 16) é que nos pode levar a experimentar-nos em campos de vulnerabilidade verdadeiramente interessantes, onde podemos ser nós próprios, sem receio de cair no ridículo, sem medo do julgamento dos outros, enfrentando a vida com a consciência de quem sabe que no fundo, tudo o que importa é SER. Tudo o que importa é permanecer na experiência e não fugir dela.

Este é assim um tempo, curto é evidente, que nos irá devolver o espaço necessário à compreensão e integração destas vivências que certamente nos recompensará com verdadeira clareza e destreza mental.

Ter | 08.09.15

De 1 a 7 e de 22 a 30 Setembro - Regente 17:8

Eva Veigas

semana 6 set 2015.jpg

 

 

Semanas Numerológicas – Setembro 2015

  

De 1 a 7 e de 22 a 30 Setembro - Regente 17:8

 

Estes dois períodos de Setembro são igualmente regidos pelo Número 17:8. Foi a este propósito que na análise numerológica deste mês, me referi ao regresso das triangulações do 8.

Assim, temos dois períodos influenciados pelo 8, dentro do mês que é regido pelo 8, que por seu turno se encontra inserido dentro de um ano regido também pelo poderoso 8.

Sempre que estes três 8 entram em ação, gera-se um movimento perfeito para nos dar a possibilidade de dar forma (tornando-a visível) à substância de que são feitos os sonhos.

É preciso saber aproveitar estes vórtices que só ocorrerão novamente daqui por muitos anos. E é claro, é preciso levar em consideração que os momentos não se repetem – não há um único segundo igual ao outro, portanto, mesmo a repetirmos este padrão, nós já não seremos os mesmos, com toda a certeza.

A oportunidade está presente aqui e agora. Só precisamos de a agarrar.

Se queremos de facto manifestar e fazer acontecer, temos que partir para uma ação firme. É preciso querer entrar nesta energia de resolução, onde a verdadeira solução está dentro de nós. Temos que ser nós a querer dar o primeiro passo em direção à nossa vontade e desejo de ser feliz.

Temos que querer libertar-nos dos pesos que acumulámos ao longo de décadas. Temos que querer mesmo perdoar os outros, para seguir em frente com a nossa vida, temos que desejar com toda a força alcançar essa serenidade interior, temos que querer ser pacíficos, aplicando-nos a cada dia. Ser manso e humilde de coração não significa ser escarvo ou subserviente, significa que estamos aptos a crescer e que temos a consciência plena e clara que cada experiência de vida tem algo para nos ensinar, que cada pessoa nos deixa algo de si e com a sua visão do mundo podemos aprender, quanto mais não seja a dizer que não queremos ser como ela (é a chamada aprendizagem pela “negativa”). Ser humilde é aproveitar cada momento para crescer e celebrar a vida a cada segundo nesta existência terrena.

Se continuarmos à espera que sejam os outros a mudar estaremos apenas a limitar a nossa existência e a impedir o nosso próprio crescimento. Seremos nós, e sempre nós, os responsáveis pelas nossas decisões ou indecisões, pelas nossas escolhas e pelas nossas hesitações, pelos nossos sucessos e pelos nossos fracassos.

Se já sabemos tudo isso, por que esperamos?

Se já lemos mil livros de auto ajuda, se já nos inscrevemos em todo o tipo de cursos, workshops, palestras, etc. sobre a dita Nova Era e a nossa vida não muda é porque de facto continuamos à espera que a resolução para os nossos problemas chegue de fora e que algum Anjo nos apareça e nos salve ou que algum extraterrestre nos leve a passear na sua nave e nos mostre as maravilhas que existem por esses universos fora… É porque continuamos à espera de ser salvos pelos príncipes encantados nas suas alvas montadas. É porque continuamos a depositar esperança no regresso de Dom Sebastião. É porque continuamos a querer fugir das experiências que não gostamos e no nosso íntimo ansiamos por uma varinha de condão que as fizesse desaparecer por magia.

Basta!

É tempo de arregaçar as mangas e olhar para dentro de nós avaliando os nossos pensamentos, a nossa lógica (tantas vezes tão ilógica), os nossos comportamentos, atitudes, palavras, etc.

Sempre que ativarmos a nossa coragem (e acreditem que é necessária uma grande dose de coragem para enfrentar as nossas próprias sombras) estaremos a sintonizar-nos com a coragem manifestada e exortada pelo 8.

É tempo de reconhecer que a mudança começa dentro de nós, devagar, um passo a seguir ao outro, pequeno mas firme.

Então, por que esperas?

Qua | 02.09.15

Setembro - Regente 17:8

Eva Veigas

“O instante mágico pode estar escondido na altura em que enfiamos a chave na porta, pela manhã, no instante de silêncio logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais. Mas esse momento existe – um momento onde toda a força das estrelas passa por nós, e nos permite fazer milagres.”

 

Paulo Coelho in “Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei

 

 

 

17:8 – O Regente de Setembro 2015

 

Labirynt.jpg

 

 

Setembro está sob a influência do mesmo regente numerológico do ano 2015, que é 8.

Apesar disso existe uma diferença, dado que o regente 8 deste mês, resulta da redução de 17, ao contrário do regente do ano que é um 8 puro.

 

O Número 17 representa, entre outras características, a Fé: aquela firmeza interior que nos devolve não a capacidade de acreditar que somos guiados, mas antes a firme certeza de o sermos.

 

Essa estrela-guia interna que possui os mais diversos contornos e significados, variando de cultura para cultura e de religião para religião, é onde dormem os nossos sonhos e a nossa vontade de os transformar em realidade, materializando-os em pura manifestação física.

 

Eis o que este mês nos propõe: abrirmo-nos a esta fortíssima energia, sobretudo na primeira e na quarta semana numerológicas de Setembro (as semanas numerológicas não são coincidentes com as semanas de calendário).

 

Esta abertura implica, em última análise, um esforço da nossa parte, onde os nossos desejos profanos, os nossos caprichos e as nossas prioridades comezinhas, deverão dar lugar a uma ação movida pela Vontade Divina que reside em cada um de nós.

 

Sendo assim, este mês permite-nos planificar os nossos objetivos de acordo com a nossa vontade alinhada com o Propósito Superior e com a nossa Fé interior. É possível, sob esta vibração, criar estratégias que nos permitam de facto trazer à matéria os nossos sonhos (aqueles que antes pareciam impossíveis de concretizar) pois de repente criámos um acesso, uma estrada que nos conduz a partes de nós ainda por explorar. É nesses terrenos inexplorados que devemos começar a buscar soluções, pois aí residem os nossos tesouros internos.

Sempre estiveram lá. Porém, estando fora do nosso alcance, devido à nossa incapacidade de perceber sequer qual a via para os resgatar, acabámos por acreditar que jamais os poderíamos merecer.

 

Construímos a firme crença limitadora que esse caminho é só para uma mão cheia de pessoas especiais e portanto dedicámo-nos à nossa vida insossa, onde repetimos os mesmos atos todos os dias. Encontrámos, ou melhor, construímos um mecanismo automático, onde sabemos de antemão que uma determinada ação irá provocar a respetiva reação e contentes com isso, como se fosse suficiente (adormecidos que temos permanecido durante tanto tempo) continuámos a gerar mais e mais desta mesma substância com que nos alimentamos diariamente: a dor, a raiva, o desmerecimento, o medo, as limitações, o descontrole, a impaciência, etc.

 

Mas o ser humano sabe que há mais, muito mais, para além deste véu que cobre as suas consciências pequenas. No íntimo sabemos que há muito por descobrir, há muito por fazer, há muito para perdoar, há muito para construir. Nós somos os fazedores de mundos (só que nos esquecemos dessa condição divina de cocriadores com o Criador.

 

Quando nos afastamos d’Ele, sentimo-nos vazios, incoerentes, sós e vemos tudo através de um filtro espesso e negro. É nessa altura que muitos de nós escolhem caminhos que nos levam a percorrer verdadeiros labirintos mentais e emocionais que na verdade não nos levam a lado nenhum.

 

Parece que se fez muita coisa, que se trilhou um grande e longo caminho, mas na verdade, ainda não se saiu do mesmo sítio, isto é, as nossas consciências evoluíram pouco, pois o tipo de experiências foi sempre o mesmo.

 

São muitas experiências mas são repetidas e todas do mesmo nível de conhecimentos, sendo assim, não ocorreu o grande salto – o salto quântico que a consciência dá quando se ousa viver determinadas experiências que nos fazem ultrapassar as fronteiras do medo e das limitações.

 

É este o convite deste mês de Setembro: sair do labirinto emocional e mental, construindo o próprio caminho, embasado na união com o divino em nós. Não basta acreditar que essa partícula divina vive em nós, aninhada num lugar que corresponde mais ou menos ao nosso coração físico, é preciso saber nas nossas entranhas que assim é.

 

Só munidos dessa Força (8) que implica ter Coragem, Destreza, Persistência, e Determinação, é que seremos capazes de alinhar o nosso propósito com o Propósito Maior que ajudámos a desenhar.

 

Sim, é paradoxal esta questão. Nós desenhámos, sob a supervisão do Grande Construtor de Mundos, o Propósito Maior desta aventura. Alinhámos nesta construção com uma única condição: a de nos esquecermos do nosso envolvimento nessa construção, pois nós acreditámos que mesmo envoltos sob esse véu, em determinada altura nos lembraríamos de quem somos na realidade.

 

E assim é. Nós estamos a recordar-nos, aos poucos, e com essas recordações estamos a despertar e a fazer despertar novas realidades a cada momento. Há revelações internas em milhares de pessoas todos os dias.

 

Esse processo já foi desencadeado e está em movimento. Nada o pode fazer parar. É por esse motivo que de repente temos acesso aos nossos tesouros internos, que como veem, sempre estiveram lá, embora fora do nosso alcance, até que trabalhássemos o nosso merecimento; até que trabalhássemos e criássemos a condição de merecermos abrir os baús carregados de tesouros sem preço. São os tesouros do verdadeiro conhecimento.

 

Os baús contêm os planos de construção dos mundos; os códigos para transformar em nós o que for necessário para que a humanidade esteja preparada para alcançar o próximo estágio evolutivo ou próximo nível de consciência; a lista de aspetos divinos que devemos ter desenvolvido enquanto encarnados nestes corpos para podermos realizar o que viemos realizar, entre outras maravilhosas descobertas.

 

Cada um, no seu tempo e condição humana, será capaz de aceder ao seu próprio baú interno de tesouros, resgatando-os e integrando-os para sempre no seu coração amoroso.

 

Quando um determinado número de indivíduos atingir esse patamar, a humanidade dará um salto evolutivo incrível, deixando para trás, como num passe de mágica, muito sofrimento e horror.

 

Mas tudo isto está nas nossas mãos, depende da vontade individual e se cada um fizer a sua parte, então sim, veremos o coletivo avançar para um novo estádio de consciência da humanidade.

 

E tu? Sentes-te preparado para fazer a tua parte? Aceitas a tua responsabilidade nesta imensa e maravilhosa aventura, onde não há garantias de nada?

 

 

Tudo isto acontece num mês marcado por datas importantes como:

 

 

- O 14º aniversário do 11 de Setembro

 

- O eclipse parcial do Sol a 13 de Setembro

 

- A primeira visita do Papa Francisco aos Estados Unidos e o encontro com o Presidente Obama, previsto para dia 23 de Setembro

 

- O eclipse total da Lua a 28 de Setembro

 

 

Com tanta agitação, recordo que o 8 amplifica, aumenta e expande tudo o que se encontra sob a sua vibração e ainda mais com dois 8 a reger as nossas vidas em simultâneo.

 

Chamei a atenção para a 1ª e para a 4ª semana numerológicas deste mês, pois elas também serão regidas por esta potente vibração. O que isto quer dizer é que teremos mais duas triangulações do 8, tão próximas das últimas três que ocorreram no passado mês de Agosto, nomeadamente a 08/08/2015, 17/08/2015 e 26/08/2015.

 

Teremos que ser pois, firmes, fortes e persistentes nas nossas resoluções.

 

Desejo a todos um fantástico mês de Setembro.