Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Numerologia: A Assinatura da Alma

by Eva Veigas

Numerologia: A Assinatura da Alma

by Eva Veigas

Número 1 - Regente de 22 a 30 de Jun

25.06.14 | Eva Veigas

 

 

 

 

Esta regência tem como objetivo catapultar-nos para a ação. O que está em causa durante este período é a nossa vontade de expressar os nossos talentos bem como a nossa capacidade para tomar iniciativas que promovam e apoiem os sonhos que queremos manifestar na matéria, aplicando esses mesmos talentos (devemos recordar aqui que a tónica geral deste mês é 4 – o número da Terra, da materialidade, da fisicalidade, do palpável e do visível).

Não é de estranhar que esta vibração nos leve a questionar as escolhas ou opções de vida no momento presente reequacionando os modelos comportamentais que temos vindo a elaborar. Talvez até cheguemos à conclusão que este questionamento interno pede uma mente serena, silenciosa, pois não há outra forma de escutar a voz interior.

O que possibilita a expressão livre e espontânea é uma mente clara, limpa, serena, livre de pensamentos, condicionamentos, crenças, e valores que impedem e bloqueiam as ações que certamente nos levariam a percorrer novos caminhos e a experimentar, muito provavelmente, pela primeira vez sermos nós mesmos, desapegados dos condicionalismos internos e externos da mente sobrecarregada de velhas histórias.

Uma mente recetiva é uma mente que permite toda e qualquer possibilidade de manifestação na ação. É a partir deste estado mental que se torna possível chegar a uma nova compreensão interna, um novo patamar de conhecimento intuitivo, uma nova forma de ser e estar.

 

 

Eva Vilela Veigas

Especialista em Numerologia Transpessoal e Tarot da Transmutação

Cascais, 22/6/2014

Pensamento do dia

25.06.14 | Eva Veigas

 

 «Ama e faz o que quiseres. Se calares, calarás com amor; se gritares, gritarás com amor; se corrigires, corrigirás com amor; se perdoares, perdoarás com amor. Se tiveres o amor enraizado em ti, nenhuma coisa senão o amor serão os teus frutos.»

Santo Agostinho

 

Tarot da Transmutação

21.06.14 | Eva Veigas

A base do Tarot da Transmutação assenta nos princípios fundamentais do Tarot . Desde há muitos anos, o meu trabalho com o Tarot tem sido intenso, praticamente diário e com ele muito tenho aprendido, devido aos seus maravilhosos conhecimentos, mensagens e sinais ocultos no seu simbolismo arquetípico. Sou completamente rendida a esta sabedoria incrível que reside nos Arcanos do Tarot.
Ao longo dos anos fui trabalhando sempre no sentido de desmistificar os velhos preconceitos em relação ao Tarot. 
Aproveito este espaço para deixar claro a quem me procure pela primeira vez (pois quem já me conhece, sabe como utilizo Tarot) que eu não pratico Tarot Divinatório. Não sou uma adivinha e muito menos uso estas ferramentas divinas, que recebi dos meus ancestrais para fazer futurologia. Se anda à procura de respostas fáceis, se quer saber como vai conseguir acertar na lotaria, se quer saber se vai casar com a pessoa “A” ou “B”, etc. este não é o local onde encontrará essas respostas.

O Tarot da Transmutação é fruto da minha experiência com variados lances e métodos de abrir o Tarot, visando o crescimento e o desenvolvimento pessoal, sempre numa perspetiva transpessoal: identificação de padrões repetitivos, questões karmicas bem como orientações para largar os velhos padrões que inibem o acesso à nossa verdadeira essência - à nossa parte divina – que se realiza através da encarnação.

A proposta do Tarot da Transmutação convida-nos a ir além do ego, a ver para além das dificuldades do quotidiano, a ultrapassar os nossos próprios limites e barreiras autoimpostas. Enfim, é um convite a sair da nossa zona de conforto.

Numerologia Dia a Dia

18.06.14 | Eva Veigas

 

 

1+8+6+2+1+4 = 22

 

Vibração Universal do dia: 22

 

O momento é de pura transformação interna. É preciso querer mergulhar em nós, com muita coragem e Fé total, mas esse movimento tem que ser gentil, suave como uma pena a cair do céu... ela tem um movimento que ondula ao sabor da brisa e demora a cair na terra.

Sempre que fazemos movimentos bruscos, duros, entramos em fricção com o deus/deusa interna que repousa suavemente no nosso coração. Não devemos acordar a divindade de forma áspera. Esse acordar deve ser suave como a respiração de um bebé a dormir.

Sempre que há atrito entre o ego e a divindade interna surgem conflitos, tensões e zangas internas.

É por isso que devemos mergulhar suavemente, sem pressas, sem horários, sem objetivos, sem pressão interna e, muito menos externa.

Entrar em contacto com a divindade interna é um momento único, maravilhoso, grandioso, integrador. Há algo em nós que reconhece a grandiosidade desse momento, que sente essa experiência como uma intensidade tão profunda, que não é possível ser confundida com nenhuma experiência terrena.

A Luz em nós acende-se e com essa Luz como farol, permitimos-nos pela primeira vez (em muitas vidas, talvez) entrar em contacto com  a mais subtil partícula de Amor, que reside no âmago do nosso Ser.

A transformação começa com a vontade de mergulhar, continua durante o mergulho, atinge potenciais inimaginados durante o processo de desmantelamento de crenças, padrões e valores profundamente enraizados no ego, que não só não nos permitiam ver a realidade, como ainda a distorciam amplamente.

É necessária grande prudência, persistência, determinação, coragem e motivação, para que as nossas ações posteriores sejam guiadas por esta força maravilhosa, curadora e libertadora das máscaras do ego.

Transformemos-nos pois, de forma gentil, suave e humilde.

Acordemos a divindade com a mais harmoniosa sinfonia que pudermos compor.

 

Eva Veigas

 

Pág. 1/2