Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eva Veigas

17/04/2019 Harmonia de contrários

17.04.19 | Eva Veigas

Vincent van Zalinge.jpg

Vincent van Zalinge

 

Os conflitos e os confrontos surgem, um após outro, a fim de serem observados à luz de uma nova harmonia. É necessário organizar a mente e as emoções, evitando que um estado perturbado tome conta da situação.

 

Os desafios são complexos e existe uma predisposição para olhar para o lado, para fugir aos problemas, buscando todo o tipo de anestesias, desde as mais simples às mais complexas e perigosas.

 

Um estado de anestesia ou de alienação parece ser a solução para muitas pessoas que fingem estar tudo bem, quando na realidade não está.

 

A desorganização da mente, a confusão gerada por muitas emoções baseadas no medo e na desconfiança e uma certa incapacidade para regressar ao centro, sempre que necessário, de modo a podermos reposicionar-nos diante dos desafios, criam diversas desarmonias e distorções que nos devolvem um olhar enviesado acerca de nós mesmos, da vida e dos outros.



É muito importante trabalhar a nossa autoconfiança. Acreditar em nós e nas nossas capacidades é essencial nesta fase, porque é tempo de manifestar, criar, realizar, construir, etc.



Este é o momento de considerar e validar aquelas ideias ou projectos que entretanto colocámos de lado, com medo de não dar certo.


Somos capazes sim! É claro, que não basta acreditar, é preciso trabalhar num dado sentido para tornar qualquer ideia em algo concreto, no entanto a descrença no nosso potencial e nas nossas qualidades é um forte indicador de que algo em nós não está harmonizado nem sintonizado com a Fonte Universal, com a Presença do Eu Sou!

 

E se não está, é por aí que podemos começar, criando condições para que essa harmonia e esse centramento se façam presentes.

 

O poder da Manifestação está em nós, só temos de permitir que ele flua através do nosso Ser.

 

 

Eva Veigas