Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eva Veigas

Numerologia, Tarot, Xamanismo

Eva Veigas

Numerologia, Tarot, Xamanismo

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

♥♥♥

Bio

Consultas

Dias de Nascimento

Ano Universal

Anos Pessoais 2009

Anos Pessoais 2010

Anos Pessoais 2011

Anos Pessoais 2012

Anos Pessoais 2013

Meses Pessoais em 2011

Meses Pessoais em 2012

Meses em 2013

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
29
Mai16

Numerologia Junho 2016

Eva Veigas

june.jpg

Mês 6 em Ano 9 

 

Este mês vai espraiar-se tendo como pano de fundo o ano universal 9.Há vários aspectos a considerar todos eles importantes para a nossa análise numerológica do momento actual.

 

Em primeiro lugar é sempre importante ir relembrando que nos encontramos num ano que convida à resolução de muitos projectos e vivências adiadas.

 

Este ano devemos preparar-nos para limpar bem o terreno das ervas daninhas que consomem demasiada energia e não permitirão que a nova sementeira, que deverá começar a ser lançada à terra ao longo de 2017, progrida e dê bons frutos. 

 

É um ano de suma importância para todos nós, pois além de nos pedir que façamos as pazes connosco e com os outros, que limpemos e purifiquemos todas as emoções que pudermos identificar como densas, que perdoemos os outros, que actualizemos o nosso caminho da alma, ainda nos pede que façamos um bom balanço dos últimos acontecimentos e decidamos com base em tudo isso qual o próximo passo.

 

É que 2017 abrirá um novo ciclo de 9 anos e é por isso um ano extraordinariamente importante já que se trata de um marco que marca o início de novas oportunidades de crescimento, de nocas aprendizagens, de novas possibilidades. Não é portanto um ano para desprezar.

 

Assim como esta transição de 2016 para 2017 também não o é. O radical 16 deste ano, aponta para a destruição ou desmoronamento em massa de partes do ego inferior e posterior integração. Esta integração poderá não acontecer de imediato.

 

Há que estar preparado para que isso suceda de forma gradual ao longo do ano e adentre o novo ciclo que se aproxima. Relativamente ao mês de Junho ele traz consigo importantes propostas tanto para crescimento e libertação de crenças pesadas e emoções tóxicas como para evolução e transformação efectiva de padrões completamente desajustados do propósito de vida actual. 

 

Assim o Regente Universal deste mês é o Número 15 que chama a atenção para a importância de várias questões às quais deveremos dar atenção de acordo com a intensidade com que cada uma delas nos poderá tocar:

- A primeira questão refere-se ao prazer e divide-se em dois aspectos essenciais: o prazer, ou a falta dele, com que empreendemos as mais variadas tarefas, das mais simples às mais complexas e a tentativa de obter prazer na vida a todo o custo. 

 

Ora o facto de termos ou sentirmos prazer naquilo que fazemos, na verdade, é o impulso que falta a muitas pessoas para seguirem em frente na vida.A maioria das pessoas com que falo em ambiente de consulta ou não, queixa-se de que já nada, ou muito pouca coisa lhes dá prazer efectivo.

 

Talvez porque as pessoas tenham perdido a noção de prazer e a tenham confundido com pecado ou outro conceito qualquer menos qualificado. e facto muitas coisas agradáveis e boas na vida foram denegridas e desqualificadas para nos retirar o sabor e o sal da vida.

 

Portanto está na hora de resgatar devidamente esses aspectos que nos devolverão poder pessoal e naturalmente, alegria e boa disposição. A ausência de prazer na vida impede o ser humano de avançar, de se realizar e cumprir, pois ele sente-se esgotado, infeliz e culpado só de pensar em usufruir de 5 minutos a fazer aquilo de que realmente gosta.

 

Há que buscar esse equilíbrio dentro de nós e este é um mês ideal para iniciar (para uns) ou dar continuidade (para outros) a esse processo já que o Número 15, representa precisamente a busca dessa harmonia, mas de uma forma amadurecida, evoluída, a partir de um ponto de vista mais abrangente, dir-se-ia superior. 

 

Por outro lado e para aquelas pessoas que tentam obter prazer (excesso de prazer é abusar do poder pessoal e conduz os indivíduos à destruição interna, mais tarde ou mais cedo) a todo o custo colocando em risco o bem-estar do próximo ou contribuindo para o desequilíbrio do planeta, podem contar com um período que certamente lhes irá provocar fortes abanões internos ou externos para que possam, experimentar as consequências negativas dos seus actos mesquinhos e cruéis. 

 

A redução deste Número 15 leva-nos a falar do Número 6, um Número da Água, que obviamente exige de nós um crescimento real a nível emocional. O 6 questiona-nos, acerca da nossa infantilidade, da nossa incapacidade de lidar com o mundo real, das nossas incongruências e incoerências.

 

Encosta-nos à parede e faz-nos perguntas difíceis às quais tenderemos a fugir, com todas as nossas forças, e escondermo-nos nas nossas zonas de conforto, porque de lá poderemos responder com toda a nossa vaidade e superioridade a qualquer desafio.

 

Porém…este 15:6 associado a este ano 9 não nos deixará descansar e tudo fará para nos chamar à responsabilidade sobre o que andamos a fazer. É que a nossa alma quer crescer e evoluir e tenta por todos os meios fazer entender o ego humano que ele precisa de se render, de deixar ir a razão e a arrogância, assumindo o papel que lhe cabe que é o de estar ao serviço da alma.

 

Para isso ele deve render-se a fim de poder ser integrado permitindo assim ao ser tornar-se mais forte e mais inteiro. Estamos assim ao longo deste mês de Junho, aptos a iniciar a purificação de diversos estados de consciência, nomeadamente a confusão mental, a culpa, a arrogância, a teimosia, etc. Os aspectos numerológicos formados neste mês colocam em relevo a necessidade de resgatar a verdadeira alegria interior expressando-a de forma madura e evoluída.

 

A Alegria quando resgatada mostra caminhos onde todo o tipo de cura é possível. Assumir aquilo que se gosta de fazer é o primeiro passo para tirar verdadeiro partido deste período de 30 dias que nos irá desafiar ao limite no que toca ao nosso processo criativo.

 

Haverá momentos em que nos sentiremos abalroados, confusos, dispersos, impacientes, nervosos, com vontade de largar tudo como se quiséssemos despir uma pele que já não nos serve.

 

Não desesperem.

 

Larguem essa pele ao vosso ritmo. É mesmo para largar. Não vale a pena forçar ou ignorar.

 

Permitam que as coisas aconteçam na cadência certa para cada um e todo este processo será menos complicado do ponto de vista da personalidade.

 

Lembrem-se que é apenas mais uma etapa no caminho!  

 

 

 

Em Profunda Comunhão com a Vida!

Hawwah

25
Mai16

Bússola interna

Eva Veigas

mermaid.jpg

"Os nossos planos fracassam porque não têm destino. Quando não sabes para que porto hás-de ir, nenhum vento é favorável."

 

Séneca, o Velho

 

E quando se perde o norte é preciso parar, serenar interiormente e saber que tudo faz parte de um longo processo de aprendizagem, de um grande e aperfeiçoado plano cósmico, desenhado com minúcia para cada ser da existência.

Parar, não significa virar as costas às responsabilidades ou abdicar daquilo por que se lutou. O aparente movimento de paragem serve tão somente o propósito de realinhar o nosso ego, a nossa alma e a nossa consciência superior actualizando as escolhas ou o caminho da alma. 

À medida que as aprendizagens vão ficando integradas é preciso deixar ir aquilo que já não nos faz falta para crescer e evoluir e acolher as experiências novas que nos irão trazer novos desafios e nos obrigarão a fazer novas escolhas baseadas em novas decisões internas.

Pode parecer duro e cruel, sobretudo para as pessoas que estão mais perto de nós, mas este processo é transversal a todos os seres. Uns fazem o que tem de ser feito e outros, simplesmente por medo de agir, permanecem nos seus lugares de conforto.

Na busca de compreensão para o que nos serve ou para distinguir entre o que tem e o que não tem qualidade para a nossa vida, deparamo-nos com momentos de impasse, aquilo que muitas pessoas designam por bloqueio ou medo de avançar.

É preciso estar consciente e presente em si mesmo, pois nem sempre o impasse corresponde a um medo de agir. Por vezes é tão só um momento de integração de novas energias que por ainda não terem sido vividas não têm expressão e não sabemos ainda como manifestá-las coerentemente. É importante, permanecer em silencio, dentro da gruta pessoal por algum tempo, o tempo estritamente necessário apenas, para que todo o processo amadureça e então sim, já firmes e energizados, estaremos aptos a seguir em frente.

Solitário é o caminho. Solitária é a busca. É na solitude que nos tornamos inteiros.

 

Em Profunda Comunhão Com a Vida

Hawwah

 

23
Mai16

No Mundo da Sacerdotisa

Eva Veigas

2 Papisa.jpgSilêncio... escuta... fecha os olhos... vai para algum lugar dentro de ti. Talvez possas dirigir a tua atenção ao centro do teu coração ou ao ponto entre as tuas sobrancelhas. Fica aí! Deixa-te ficar. Não tentes! Fica! Deixa-te ir. Entrega-te.

 

O que é que tens a perder? O que é que pode suceder de mal por te deixares invadir pela própria vida? O que pode correr mal?

 

Nada! Nada de mal te irá suceder se fechares os olhos e te abstraires do tangível.

Mas talvez... só talvez te possas surpreender pelo que estás prestes a descobrir se ousares fluir nesse movimento interno.

 

Escuta a melodia da Natureza. Ouve a quantidade de sons que podes distinguir e que habitualmente não ouves, porque não ousas parar.

Os passarinhos entoam cânticos maravilhosos, todos diferentes, mas repara... como é bonito. Repara que não existe qualquer desarmonia independentemente da quantidade de passarinhos que estejam a assobiar, chilrear, piar...

Agora repara como essas notas deliciosas de fundo te permitem ouvir ao outros animais: há cáes a ladrar, há asas a bater por cima da tua cabeça, há gafanhotos a saltitar na relva à tua volta, há deslocação do ar quando as borboletas e outros bichinhos se deslocam vibrando as suas asinhas pequeninas e delicadas. Há zumbidos de abelhas e zangões. São bem diferentes, repara.

Ouves o bater das ondas? O sussurro do brisa morna que te despenteia os cabelos?

Há milhares de sons diferentes e todos juntos formam a mais bela e perfeita sinfonia que algum dia poderás ter imaginado.

Agora sente. Sente o vento fresco ou a brisa morna que te acaricia o rosto. Sente a relva, a areia, as pedrinhas, a água, em contacto com os teus pés...

Sentes algo mais? Algo como uma vibração muito subtil? Sentes? É o coração da Terra!

Alinha o teu batimento cardíaco com o da Terra... 3, 2, 1... 3, 2, 1... 3, 2,1

 

Serena a tua mente e o teu coração e sente... sente como fazes parte deste complexo e perfeito sistema criado para te proporcionar as condições ideais para a tua evolução.

Meus queridos irmãos humanos, vamos proteger-nos uns aos outros, defender o nosso planeta para que a nossa espécie possa ser protegida, a fim de que através do nosso humilde contributo outras espécies possam habitar este planeta, coexistindo pacificamente connosco.

 

Saudações da Grã-Sacerdotisa

Hawwá

 

 

20
Mai16

No Mundo da Sacerdotisa - Mensagem do Dia

Eva Veigas

2 Papisa.jpg

Como prometido aqui está a mensagem da Sacerdotisa para hoje. O Mundo da Sacerdotisa encontra-se nos bastidores da nossa vida, oculto por trás de uma pesada cortina de tons amarelo-ocre.

Ao longo do dia vamos  mergulhando nos nossos afazeres familiares, profissionais, sociais, etc., ficando pouco ou nenhum espaço para entrar em contacto com a aquela parte de nós que pela sua delicadeza e pureza dificilmente aflora no meio da confusão que se vai acumulando ao longo dos dias, semanas, meses...

Hoje mergulhamos com a Sacerdotisa no seu Mundo de conhecimentos e com ela levantamos os véus que impedem a nossa visão interna de testemunhar a beleza de outros mundos que julgamos fora do nosso alcance.

 

Trabalhar com a Sacerdotisa

 

O silêncio e o altar

Façamos silêncio interior e procuremos um sítio na natureza ou em nossa casa onde possamos permanecer sem ser incomodados.

 

Vamos preparar o nosso altar em honra do Sagrado em nós.

 

Escolhemos o local onde o altar vai ser montado, bem como os objectos sagrados que dele vão fazer parte. Eis os elementos básicos para começar  e para quem nunca fez: 1 pano para o altar, fósforos, 1 vela branca, suporte para a vela, incenso, incensário, carvão, 1 cristal de quartzo e/ou outros cristais, búzios e/ou conchas, plantas medicinais.

 

Pode querer colocar outros objectos sagrados à sua escolha.

 

Eu prefiro altares com poucos objectos mas cada qual saberá e sentirá o que é melhor para si.

 

Disponha todos os objectos no seu altar, espalhando-os de acordo com a sua intuição (sugiro que coloque a vela no centro do altar).

 

Antes de preparar o altar firme bem a sua intenção, medite no que quer oferecer ao altar, nas suas intenções de cura, nas suas preces e orações por si, por outras pessoas, pelos animais, pelo planeta, pela paz mundial, enfim o que para si fizer sentido.

 

Medite na pureza de intenções do seu coração e depois comece a montar o altar, sempre presente e focado no que está a fazer. Não se distraia. Pode por uma musica de fundo se desejar, bonita e suave que o ajude a elevar os seus pensamentos e orações. 

 

Quando tudo estiver como deseja, acenda a vela e reafirme as suas intenções. Peça protecção ao Fogo do Espírito para que o ilumine e o guie durante este processo assim como em todos os momentos da sua vida.

 

Agora que tudo está pronto, observe o seu altar, veja como está bonito e radioso iluminado e puro. Feche os olhos e vá ao encontro da deusa -sacerdotisa que o habita.

 

Saúde-a quando a sentir a sua presença. Fale com ela acerca do que pretende com este trabalho. Seja claro e conciso. Não precisa repetir a sua intenção, basta fazê-lo uma vez, pois as nossas equipas espirituais ouvem-nos muito bem e logo à primeira, assim sejamos claros nas nossas afirmações.

 

Depois prepare-se para ouvir a resposta. Deixe-se ficar entregue a si mesmo e à deusa. Permita que ela se revele dentro de si. A resposta surgirá naturalmente, não tente forçar nada, pois se o fizer, no mesmo momento tudo se evaporará. Confie... confie!

 

Fique o tempo que conseguir, quiser ou puder. Antes de terminar agradeça. Seja grato aos seus guias e protectores. Mesmo que não tenha visto nada agradeça pela experiência. Insista que um dia verá ou ouvirá claramente aquilo que precisa.

 

Depois vá regressando ao momento presente com calma, respirando profundamente, espreguiçando-se devagar, movimentando-se até estar completamente presente nesta realidade.

 

Assim que puder anote de imediato todas as impressões, frases, cores ou figuras que possam ter surgido durante o trabalho com a deusa. Não se preocupe se não perceber nada ou se não entender as ligações entre as coisas. Mais tarde tudo começará a fazer sentido.

 

Lembre-se de ter papel e canetas ou lápis de cor para escrever e desenhar o que viu.

 

Depois tire as suas próprias notas e retome os seus afazeres diários.

 

De preferência deixe a vela arder até ao fim. Se for de todo impossível apague-a e volte a acender num outro momento em que disponha de tempo.

 

Se puder medite todos os dias, junto desse seu altar. Verá que quanto mais praticar mais orientações maravilhosas chegarão à sua vida.

 

Mantenha o seu diário ou caderno de apontamentos por perto e vá relendo as suas notas... com o tempo vai surpreender-se de certeza absoluta.

 

A Sacerdotisa espalha as suas bênçãos e perfuma as nossas vidas.Ela conhece os corações dos seus filhos e filhas.  Ela é Mãe e Amparadora. Ela é o Bálsamo Curador e Apaziguador de todas as feridas. Buscai-a e ela revelar-se-á!

 

Em profunda comunhão com a Vida

Eva Veigas

 

20
Mai16

No Mundo da Sacerdotisa

Eva Veigas

2 Papisa.jpg

No Mundo da Sacerdotisa é a nova rubrica do meu blog. A Sacerdotisa é o canal de comunicação entre o mundo espiritual e o humano. Senhora da Sabedoria, ela sabe exactamente com quem pode e deve partilhar a riqueza do seu conhecimento.

Quando o aluno está pronto o Mestre aparece, portanto para aceder aos nossos conhecimentos e sabedoria superior devemos preparar-nos, aprontar-nos, para nos tornarmos dignos das mais valiosas informações que nos permitem transformar a partir de dentro para fora.

De mãos dadas com a sacerdotisa, somos mais fortes, mais ternos, mais compassivos, mais intuitivos, ficamos mais fortes do ponto de vista emocional. Crescemos e evoluímos a partir dessa transformação interior que é gradual e requer a nossa atenção diariamente, numa base regular.

A Sacerdotisa vai assim passar a funcionar como o canal de acesso para trazer energia de cura e resolução para as nossas vidas, mostrando caminhos e abrindo portas, fechando outras...

 

Espero que gostem e usufruram das belas mensagens com que ela nos presenteará de hoje em diante.

 

Mil Bênçãos da Sacerdotisa para todos Nós

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

♥♥♥

Bio

Consultas

Dias de Nascimento

Ano Universal

Anos Pessoais 2009

Anos Pessoais 2010

Anos Pessoais 2011

Anos Pessoais 2012

Anos Pessoais 2013

Meses Pessoais em 2011

Meses Pessoais em 2012

Meses em 2013

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D