Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Way of Silence

by Eva Veigas

The Way of Silence

by Eva Veigas

Mais sobre mim

Sessões

Numerologia, Tarot, Leitura de Oráculos, Massagem, Resgate e Cura Vibracional, Prática Xamânica, Cura Intuitiva.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

♥♥♥

Facebook

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
20
Jan12

Mês Pessoal 9 em 2012

Eva Veigas

 

Este é um mês importantíssimo especialmente para quem estiver sob a influência do ano pessoal 9. A energia encontra-se dobrada e consequentemente sentirá os seus efeitos do mesmo modo.

Durante este mês convém dar reposta a tudo o que se encontre pendente. Sendo o fecho do ciclo, é a altura ideal para fazer um balanço de tudo quanto já conseguiu fazer e do que falta ainda concluir. Esta vibração pressupõe um abrandamento ao nível do mundo interior.

O que distingue este mês dos demais, é precisamente, a possibilidade que ele nos dá de nos evadirmos da agitação diária, através do pensamento, da reflexão e da meditação. Mergulhar no silêncio, olhar para o nosso interior com verticalidade e imparcialidade, sem julgamentos, permite-nos perceber as nossas necessidades reais (e não os caprichos do ego) e chegar às conclusões que, obviamente, nos facilitarão escolher em consciência, qual a direcção a tomar na nossa vida. Quando escolhemos em consciência, isto é, quando nos sentimos verdadeiramente responsáveis pela nossa vida e já não cobramos dos outros, sentimo-nos revigorados, livres e prontos para enfrentar toda e qualquer eventualidade. É uma força incrível que a maior parte desconhece possuir.

Este é o momento para deixar para trás velhos hábitos, velhas crenças, velhos dogmas. Está na hora de mandar o Velho do Restelo para a reforma…

Não receie mudar, transformar-se, actualizar-se. Desfaça-se do velho e abrace o novo. Desfrute! É uma sensação maravilhosa que traz consigo uma libertação e um sentimento delicioso de que nada é para sempre.

Lembre-se que o aspecto material da vida tem de evoluir a par com o progresso espiritual. É necessário que a transformação interior ocorra, é imperativo renovar o que conhece ou cairá na armadilha tecida pela ilusão de que nada nem ninguém evolui. Depressa dará por si, a queixar-se da vida como de costume.

Entenda que a verdadeira transformação ocorre a partir do interior e no interior. Tome consciência que o que ocorre no exterior é apenas um reflexo do que sucede no interior. Portanto, não adianta queixar-se e muito menos atirar as culpas para cima de terceiros.

Quando me refiro a olhar para dentro, não estou a dizer-lhe que se isole do mundo, nem a sussurrar-lhe que fuja das suas responsabilidades, mas sim a afirmar-lhe que é possível recolher-se no seu mundo interior e dedicar tempo a investigá-lo, tal como faria um cientista. Este trabalho requer paciência, dedicação, coragem, ânimo e muito amor por si próprio.

Terá que aprender a distanciar-se emocionalmente, isto é, a tornar-se independente do ponto de vista emocional ou afectivo. É uma tarefa árdua, sem dúvida, mas muito compensadora a longo prazo. Encontre a sua luz interior e aprenda a brilhar como um farol. Pratique, pratique, pratique! Depois torne-se um porto de abrigo para os outros até chegar a ser um modelo ou um guia para uma só pessoa ou para toda a Humanidade.

Em termos práticos este é um mês em que deve aproveitar para concluir e encerrar tarefas ou projectos de menor dimensão. Pode aproveitar para fazer mudanças, limpezas, arrumações, quer em casa, quer no local de trabalho. Nessa altura, lembre-se dos necessitados, dos sem-abrigo, das causas nobres. Aquilo que já não lhe faz falta pode ser muito útil a alguém que nada possui.

Se pretende livrar-se de um mau hábito, de um vício, de um padrão de pensamento negativo, de uma rotina desgastante e assim por diante, este também é o mês ideal para o fazer, pois a energia flui em sintonia com os que pretendem pôr fim ao que quer que seja.

Sendo o 9 por excelência, a energia associada ao amor incondicional, este é também o momento ideal para praticar o bem. Apostar no voluntariado pode ser uma opção interessante, sobretudo se tem suficiente tempo livre. É sempre melhor do que ficar em casa lamentando-se por tudo o que lhe acontece. Uma excelente forma de curar as nossas feridas é olhar em volta e verificar a quantidade de pessoas que vivem situações tão difíceis, por vezes, mesmo ao nosso lado.

O 9 gosta de ajudar, de cooperar e de contribuir para um mundo melhor, portanto, este é o momento de agir e de participar activamente para melhorar a vida de alguém, quer seja na família, na comunidade, no país ou no mundo.

E por falar em amor incondicional. Aquele amor que tanto se anseia, de que tanto se fala, acerca do qual tanto se escreve mas que se pratica tão pouco. Pratiquemos mais e falemos menos!

O egoísmo prolifera. A intolerância é praticada a toda a hora. A incapacidade para compreender os outros parece aumentar. E estamos todos à espera uns dos outros… Sim! Estamos à espera que os outros mudem para então nós darmos o passo!

Bem, sob esta energia não podemos simplesmente ficar à espera, temos que agir. Muda e o mundo à tua volta mudará! Sob esta energia o abrandamento é apenas interior, como já foi dito acima. No exterior, ou seja, no dia-a-dia, é preciso actuar. Porque é que não pode ser você a mudar? Porque é que tem que ser o outro a dar o primeiro passo? Afinal, o que é que você ganha com isso? Será que ganha mesmo alguma coisa? Aqui só entre nós, acredite, você ganha: Zero! Isso mesmo. Nada! Não ganha nada, mas perde muito. Perde a sua oportunidade de perdoar e consequentemente libertar-se a si e aos outros dos grilhões energéticos da amargura, do ressentimento, da raiva, do ódio, que nos prendem numa roda que gira interminavelmente. Quer mesmo continuar a alimentar essa energia doente e perniciosa? Esta energia doente é responsável pela maioria das nossas doenças físicas, desde uma simples dor de cabeça ou de estômago a uma doença grave ou mesmo fatal. Opte por perdoar e siga em frente, aproveitando o fluxo harmonioso da energia 9. Sintonize-se com o elemento filosófico Fogo e “queime” todas as dores, todas as tristezas e todos os rancores. Sinta-se maravilhosamente vazio! Depois preencha o vazio com a Luz Branca do Amor Incondicional. Perdoe a si mesmo por tudo o que pensou, fez ou disse de errado.

Se é do tipo de pessoa que costuma afirmar: “Eu perdoo, mas não esqueço”, saiba que ainda não perdoou.

O Perdão é uma energia de cura maravilhosa. Quando perdoamos realmente, a partir do centro do nosso coração, produz-se um verdadeiro milagre. Um milagre natural que só poderá vivenciar experimentado o verdadeiro perdão, com a intenção sincera de se libertar e libertar o outro.

 

19
Jan12

Mês Pessoal 8 em 2012

Eva Veigas

Este é um mês de influência predominantemente material. A vibração 8 significa realizar, concretizar, tornar visível, expandir. Portanto, trate de aproveitar ao máximo esta energia francamente favorável que estará ao seu dispor durante um mês inteirinho. O leque de oportunidades é vastíssimo, sobretudo, no que concerne a questões financeiras. Apresentam-se excelentes possibilidades de poder solucionar situações que vinham a arrastar-se e cuja resolução parecia não ter remédio.

A vibração 8 é prenúncio de sucesso, no entanto, é preciso entender que não podemos colher frutos saudáveis e saborosos, sem antes os termos plantado e cuidado durante o seu crescimento e maturação. Portanto, se no seu caso não conseguir conquistar o que pretende é porque não deu os passos certos, a atenção necessária ou não se dedicou a 100% ao seu projecto. Nesse caso, é possível que sinta o fracasso de forma mais acentuada que em qualquer outro mês, pois esta forte vibração acentua quer o melhor, quer o pior, já que se trata de uma energia de expansão, como já referi. Para conseguir alcançar o sucesso em qualquer empreendimento que seja, é necessário, para além de uma forte motivação, assumir um compromisso consigo mesmo. Quando estamos verdadeiramente comprometidos connosco, nada nem ninguém nos poderá impedir de alcançar as nossas metas. Deste modo os aspectos mais importantes a considerar durante este mês prendem-se com a motivação, o compromisso interno, a disciplina, a determinação, a versatilidade, a firmeza e uma força de vontade férrea. Estas são as escadas, cujos degraus deverá subir, de forma a alcançar níveis mais elevados de vitória e de sucesso.

Saber usar o poder associado à posse do dinheiro, dos bens materiais, da riqueza, da prosperidade, é uma aprendizagem e tanto. Esta é uma das mais difíceis lições para a maior parte de nós. E a dificuldade assenta sobretudo nas crenças negativas que herdamos em relação a este aspecto particular da vida: o aspecto material.

Ao longo de incontáveis gerações fomos assistindo à manipulação que ricos e poderosos (faraós, imperadores, reis, príncipes, senhores feudais, e assim por diante) desencadearam sobre a Humanidade. Perdemos a esperança num herói justo e generoso que nos salvasse dos nossos grilhões. Já não acreditamos em nada nem em ninguém. Actualmente assistimos à derrocada dos déspotas e tiranos do nosso tempo, mas nem assim conseguimos ver o mundo melhorar. E isso deve-se à crença negativa que transportamos dentro de nós, de que o dinheiro e consequentemente o poder material não dão felicidade. A verdade, é que o dinheiro é apenas um meio de troca e nada mais do que isso. O uso que dele fazemos é que tem que ser reavaliado. Uma foice nas mãos de um lavrador é um instrumento agrícola, mas nas mãos de um assassino é uma arma que ceifará vidas inocentes.

Assim, este é um excelente mês para trabalharmos essas crenças negativas e passarmos a “curar” esse aspecto sombra em nós.

O herói que nos salva não regressará num dia de nevoeiro, ele simplesmente reside dentro de nós, adormecido, à espera que a nossa fé em nós mesmos o acorde do seu sono de morte. O herói adormecido erguer-se-á, assim, no seu esplendor, na sua generosidade, na sua força e combaterá o verdadeiro inimigo – a crença - que ele estilhaçará para sempre. Essa crença era o que nos impedia de aceder à nossa própria prosperidade. Impomo-nos sempre condições negativas, tais como: ‘Um rico é mau e desonesto. Eu sou uma boa pessoa e sou honesto. Logo, eu não posso ser rico.’ Isto é algo muito negativo e que deve ser trabalhado desde a raiz, entendido, integrado e libertado para sempre, permitindo-nos desta forma alcançar níveis de poder dos quais não temos ainda o menor vislumbre. Inteire-se acerca de tantas e tantas pessoas ricas, generosas, que espalham o bem e que usam o seu dinheiro, a sua fortuna em prol da humanidade ou em menor escala, em prol da sua comunidade ou da sua família. Ainda concorda que ter dinheiro e poder material é mau para si? Se pretende aprender mais sobre esta matéria investigue. Há imensos cursos e livros que ensinam a usar técnicas de libertação em relação a crenças negativas específicas, como é o caso do dinheiro e do poder material. Essas técnicas, na maior parte das vezes, muito simples, colocam-nos de volta no caminho certo, em direcção ao nosso verdadeiro Poder – O Poder Pessoal.

Este mês também nos lança um outro desafio não menos difícil. Ele pede-nos que equilibremos os pilares da versatilidade e da firmeza. Pode parecer fácil, mas não é.

É muito fácil escorregar para um dos lados, pois a procura do novo lança-nos muitas vezes em buscas infrutíferas e quando chegamos ao fim, compreendemos que apenas perdemos o nosso tempo e nada conseguimos concretizar. A dispersão anda à espreita durante todo o mês 8. Há então que ser firme e particularmente atento a todos os detalhes, de modo a não correr riscos desnecessários gastando a nossa energia em esforços inúteis.

Em termos práticos fique atento, sobretudo a mudanças no plano profissional. Existem muitas hipóteses de ascender nesse plano. Se é empresário ou trabalhador por conta própria deverá investir e intensificar o seu negócio, inovando, recriando, apresentando novas propostas aos seus clientes, alargando o leque de possíveis clientes, etc. Se é trabalhador por conta de outrem, esmere-se. Faça por mostrar as suas capacidades, o seu empenho, enfim, a sua eficiência. Poderá colocar projectos em andamento e concretizar muitos dos seus sonhos, mesmo aqueles que lhe pareciam praticamente impossíveis. Um mês com esta vibração é ideal para tudo o que se relacione com dinheiro, investimentos, negócios e respectivas reuniões, resolução de problemas fiscais, e assim por diante.

Aprofunde os seus conhecimentos em torno de áreas, como a banca, finanças, economia, bolsa de valores, mercado imobiliário. Tudo isto se tornará proveitoso mais tarde ou mais cedo e poderá impedi-lo de dar um passo em falso.

Se ocupa um cargo de chefia invista nas pessoas que trabalham consigo e forme uma equipa. Lembre-se que a palavra-chave em 2012 é união. Invista nelas. Dê-lhes um voto de confiança e ajude-as, pois mais tarde elas poderão revelar-se um apoio precioso dentro da sua empresa.

Assim, para além de uma notória melhoria a nível de trabalho e consequentemente de uma possível satisfação a nível material, este mês também lhe conferirá mais poder pessoal, podendo, mesmo, catapultá-lo a nível social. Não descure a menor hipótese de alargar a sua rede social de amigos, conhecidos ou clientes.

Finalmente, e em jeito de conclusão, apesar de este ser um mês de vibração material não descure, em caso algum, o aspecto espiritual do Ser. Lembre-se que somos um Ser complexo em que nada funciona se houver uma parte de nós, por pequenina que seja, que fique esquecida. Ame-se! E se ainda não sabe fazer, aprenda!

 

 

18
Jan12

Mês Pessoal 7 em 2012

Eva Veigas

 

Receptividade é a palavra-chave para este mês. A receptividade representa a natureza feminina como complemento da natureza masculina.

Estar receptivo não é o mesmo que estar inactivo ante a vida, de braços cruzados sem fazer nada, sem participar nos acontecimentos, entregando o nosso poder pessoal a terceiros.

Estar receptivo é aprender a respeitar os ciclos naturais da vida com os seus altos e baixos, com os seus momentos para agir, momentos para reflectir, momentos para deixar ir, momentos para contemplar, e assim por diante.

Estar receptivo revela sensibilidade, intuição e compaixão. Atributos a desenvolver durante este mês.

A mudança para este estado de Ser obriga a uma profunda introspecção e este mês é ideal para o fazer. É um mês que pede recolhimento, silêncio e solitude.

Há que criar as condições ideais para podermos entrar em contacto com o nosso Eu Interno (ou como queira chamar àquela parte de si que o liga à Luz Divina).

Quando nos propomos entrar em contacto com as mais altas esferas do nosso Ser, damos início à complicada mas sublime tarefa a que muitos sábios e mestres se propuseram antes de nós – imortalizada na célebre frase – “Conhece-te a ti mesmo.” Esta tarefa de nos conhecermos implica antes de mais um comprometimento total com o nosso Ser mais elevado. A alma quer amadurecer, sem que no entanto, esse amadurecimento se torne velho, transformando-se em algo oco e inútil. Pelo contrário, a alma renova-se a cada nova tomada de consciência. A cada nova iluminação, ela volta a ser verde, mantendo-se em permanente estado de aprendizagem. Dessa forma, vamos trabalhando a humildade em nós e vamos percorrendo um caminho cada vez mais consciente em direcção ao reconhecimento do divino em nós.

Esta tarefa requer muita, muita paciência e muita atenção a tudo o que acontece dentro de nós. Mas cuidado! É preciso estar atento e não obcecado com os resultados. Lembre-se de que a vida é para ser vivida momento a momento. E como já referi, há momentos para tudo.

Reflicta sobre o que sente que a sua alma quer aprender. Observe a sua vida. Retire-se para um local silencioso, onde possa estar a sós consigo, nem que seja por breves instantes. Opte por criar uma rotina e poderá fazê-lo mesmo no meio do barulho da cidade. Escolha cuidadosamente o local, o tempo de que dispõe, o momento do dia que lhe seja mais favorável e se preciso for, avise a família de que necessita desse momento para si. Aliás, pode incitá-los a fazer o mesmo, se lhes explicar exactamente do que se trata.

Depois, nesses momentos, desligue-se das questões mundanas, dos problemas quotidianos, respire profunda e lentamente algumas vezes ou use as suas técnicas habituais de descontracção e meditação. (Aconselho aqueles que ainda desconhecem estas técnicas que se proponham a fazê-lo de modo a encontrarem mais equilíbrio para as suas vidas). Permita-se escutar o seu coração, a sua alma, o seu Eu Interno, o que lhe quiser chamar. Sinta e ouça as mensagens que o seu Eu Interno lhe quer transmitir. Fique receptivo. Permita-se receber. Desligue o interruptor do julgamento. Não comece a emitir pensamentos do género: “isto é bom”; “aquilo é mau”. Sinta apenas. Ouça as mensagens ou veja as imagens que passam pela sua mente. Fique assim por alguns momentos e depois regresse calmamente. Se gostar de escrever e for caso disso anote o que sentiu, viu ou ouviu. Depois fique atento aos acontecimentos que se seguirão a esses encontros com o seu Eu Interno e tire as suas próprias conclusões. Esta é uma forma de se estudar a si mesmo durante este mês, mas que pode aplicar para o resto da sua vida.

Este é um caminho único, luminoso, riquíssimo, mas mesmo assim, por vezes, você pode sentir-se muito, mas muito só ainda que esteja rodeado de centenas de pessoas. Porém, asseguro-lhe que não há necessidade de sentir solidão durante este processo ou durante a sua vida. Há que compreender a diferença entre solidão e solitude. A melhor explicação que encontrei para esta diferença é a que consta no livro “O Tarot Zen, de Osho”: “Solidão é ausência do outro. Solitude é a presença de si mesmo. (…) É uma presença (…) transbordante. Você se sente tão pleno de presença que pode preencher o universo inteiro com a sua presença, e não há nenhuma necessidade de ninguém.”. Isto, você poderá descobrir em meses com este tipo de vibração, cuja frequência o ajudará a permanecer mais sintonizado com esta energia.

Em termos práticos, este é um excelente mês para iniciar um curso novo ou para fazer uma aproximação a nova áreas do conhecimento. Para os cientistas, pensadores, filósofos, escritores, criativos, etc., esta é a vibração ideal para investigar de modo mais profundo as suas áreas de interesse. É um momento muito benéfico para iniciar ou continuar uma pós graduação, por exemplo.

Como foi referido no início desta análise, há alguns atributos que se destacam nesta energia e que podem ser desenvolvidos de acordo com o nível de consciência de cada Ser. Um deles é a sensibilidade. A sensibilidade é um atributo maravilhoso e é através dela que nos podemos permitir estar gratos por tudo o que somos e por tudo o que temos. Actualmente, as pessoas, de um modo geral, estão muito focadas nas suas necessidades, o que gera, na maior parte dos casos, grande ansiedade, incapacidade de lidar com os problemas diários e mesmo revolta diante da impossibilidade de atingir os objectivos traçados. Como é de esperar, este sentimento de necessidade gera mais necessidade tornando esta questão numa bola de neve que pode tomar proporções gigantescas. Uma forma de trabalhar as necessidades é olhar para aquilo que já é e que já tem e agradecer por isso. É aconselhável elaborar uma lista ou preparar um Caderno de Gratidão (seja criativo). O ideal é reler essa lista todas as noites antes de dormir mantendo esse sentimento de gratidão. De certeza que acordará com esse mesmo sentimento. Seja grato por tudo o que é, por tudo o que tem e por tudo o que lhe acontece e começará a entender o real significado de prosperidade na sua Vida. Não mais se focará na necessidade mas sim na abundância que rodeia tudo e todos.

A intuição é outro atributo que vai estar disponível para si durante este mês. Aceda à sua intuição, pois não é algo externo a si, mas antes algo que faz parte do seu Ser. A intuição está guardada na sua caixa de ferramentas divinas. Se você não a usar ela vai “enferrujar”. Aprenda a abrir essa caixinha de ferramentas, aceda à sua intuição, aprenda a ouvir e depois aja de acordo com essas indicações. Ela pode guiá-lo na direcção certa evitando muitos dissabores e situações muito desagradáveis.

A compaixão é o último aspecto desta vibração que influenciará o mês de Fevereiro. Este é o sentimento que verdadeiramente nos liga à Fonte da Criação e nos faz sentir que não estamos sós. Deixamos de observar as diferenças e passamos a ver as semelhanças entre os Seres. Os complexos de inferioridade e superioridade dão lugar à união, à cooperação e ao trabalho para o Bem do Todo. Somos Todos Um!

 

17
Jan12

Mês Pessoal 6 em 2012

Eva Veigas

No caso específico deste mês podemos afirmar que a nossa atenção e consequentemente as nossas acções deverão estar direccionadas para tudo o que diga respeito à família, ao lar, aos amigos, enfim, aos afectos.

A família, as raízes, o conhecimento da nossa ancestralidade é uma questão a ser considerada com mais seriedade e responsabilidade durante este mês. Talvez seja importante reflectir sobre isto e amadurecer algumas ideias. Não devemos ter vergonha das nossas origens por mais humildes, ou no pior dos casos, por mais violentas que sejam. Examinar esta questão de perto, sem julgamentos nem ideias pré-concebidas, pode ser o motor de arranque para nos situarmos na vida, no mundo. Somos o fruto de incontáveis gerações e quer gostemos quer não das nossas raízes é graças a elas que estamos aqui, cientes do vastíssimo leque de oportunidades que temos ao nosso dispor aqui e agora.

Fazer uma aproximação amorosa, ao nosso ritmo, a esta questão em particular é algo que está ao alcance de todos nós. Não é imperativo construir um quadro com uma árvore genealógica de toda a família, para depois o pendurar na parede. Não! O que é verdadeiramente importante é tentar conhecer melhor os nossos pais, os nossos avós, os nossos bisavós, etc. Mesmo que eles já tenham partido das nossas vidas, há sempre recordações, memórias que ficam, com as quais podemos trabalhar, tentando extrair o máximo de informação que seja útil para o nosso crescimento. Entendo por crescimento, neste contexto específico, aprender a aceitar quem sou e compreender o papel que me cabe no meu contexto familiar. Que tipo de responsabilidade tenho para com os membros da minha família?

Outra questão a ter em consideração neste caso, prende-se com a sensibilidade.

É comum, quando nos decidimos a empreender este trabalho de nos conhecermos em maior profundidade, abordar a nossa família mais directa, nomeadamente os pais ou os avós, ou ambos, fazendo muitas perguntas, por vezes bastante delicadas.

É neste ponto que devemos ser cuidadosos, sensíveis, carinhosos, amorosos. Se você nunca se interessou pela história da sua família, os seus pais (ou quaisquer outros membros da família) podem achar estranho esse repentino interesse.

Explique de forma honesta o que pretende e vá devagar. Tenha à mão um bloco e anote datas, nomes, profissões e eventos que considere relevantes para si. Prepare-se para ficar surpreendido tanto pela positiva como pela negativa. Todavia, evite fazer muitos julgamentos. Tente compreender que essas pessoas agiram de acordo com o conhecimento que tinham naquele momento das suas vidas, que agiram de acordo com as suas crenças, que esse sistema de crenças lhes foi passado pela geração anterior e que o que fizeram foi sentindo e pensando que estavam a fazer o melhor. Quando e se se sentir revoltado com alguma escolha de um seu antepassado, pense em si hoje: Quando age não o faz pensando no que é o melhor para os seus filhos? Para a sua família? Pensa que está imune e que eles nunca lhe vão cobrar pelas escolhas que fez por eles e para eles? Remexer no passado pode ser doloroso, se a abordagem não for a mais correcta. Mas se for de coração aberto, não só obterá muitas informações como poderá ainda celebrar com alegria uma verdadeira integração com os seus ancestrais.

Este encontro com o nosso passado pode ser altamente curador, do ponto de vista do desenvolvimento pessoal. Vasculhar as nossas raízes é um excelente exercício para exorcizar muitos demónios e para tirar os fantasmas dos armários. Este é um trabalho que gera uma integração harmoniosa connosco, tornando-nos mais conscientes e próximos da nossa grande missão. É um passo importante no meio de tantos outros que nos fará atingir o estado de consciência de tudo o que é.

É importante ter em conta que a família terrena é escolhida por nós, com todo o cuidado, dado que as lições que queremos aprender só podem ser compreendidas e integradas através da nossa família, pois só ela possui as características específicas e os desafios certos para o nosso crescimento e desenvolvimento pessoal.

O Lar é outra questão sensível a considerar durante este mês. A meu ver ter uma casa não é sinónimo de ter um lar. Conheço muitas casas cujos lares estão destruídos. É apenas uma casa, um edifício, que alberga um determinado número de pessoas, que se tentam tolerar por este ou por aquele motivo.

O amor que envolvia essas pessoas foi desaparecendo, dando lugar ao afastamento, à tristeza, à frieza, ao rancor, ao desespero e à intolerância. Um lar não se constrói sozinho nem se destrói sozinho. Um lar é fruto do amor, da compreensão, do carinho, da responsabilidade, da honestidade e da capacidade de perdoar e seguir em frente. Num lar existem pelo menos dois seres, que detêm o papel de fazer mover esta energia do amor. Quando um lar está assente sobre os valores sólidos de cada um dos indivíduos que o compõe, nada nem ninguém poderá destrui-lo. Contudo, a maioria dos lares encontra-se ameaçada, não por forças exteriores, mas porque ele se encontra minado a partir do próprio interior. É necessário estar atento aos sinais! Sob esta vibração é fácil cair na energia da cobrança. Todavia, culpar o outro pelo nosso mal-estar, apontar-lhe o dedo como sendo ele a causa de tudo estar a ruir, deixou de ser uma justificação válida. É preciso olhar para dentro, encarar os medos com toda a honestidade e frontalidade que nos for possível. Afirmações desesperadas do tipo: “ Ele (ou ela) não me ama!”; “Não me dá atenção”; “Não me dá carinho”; “ Não me dá… não me dá… não me dá…”, são um sinal revelador que não merecemos amor. Se não mereço ser amado então tudo à minha volta se organizará, no sentido de me reflectir como num espelho, através do outro, a minha crença interna de desmerecimento. Então, olhe para dentro, aceite que neste momento da sua vida se encontra nesse estado, mas não se agarre a isso. Aja, no sentido de dar início a um longo enamoramento por si mesmo. Aprenda a aceitar-se e comece a amar-se. Quando aprendemos a amar-nos, o que implica aceitarmo-nos tal como somos (luz e sombra), tudo à nossa volta nos revelará a nossa transformação interior. É aí que a verdadeira aventura da nossa vida começa.

Os amigos, para além da família são o outro grande pilar da nossa vida. É a eles que recorremos sempre que queremos celebrar ou partilhar algo ou quando queremos que nos lancem uma corda para nos retirar do fundo do poço. Observe as suas amizades. Quantas dessas pessoas são verdadeiramente amigas? Quantas o remetem para si quando veste a pele de vítima ou de coitadinho? Os verdadeiros amigos sacodem-nos e dizem-nos as verdades mais duras e difíceis de verbalizar. Esses são os amigos com os quais poderemos contar numa hora de aflição ou que estarão presentes num momento de felicidade. A esses, que atenção lhes dispensa? Temos tendência a ser muito egoístas em relação aos nossos amigos. Tomamo-los como “coisa” adquirida. Carregamos numa tecla e ligamos-lhes, porque partimos do princípio que eles estão sempre lá, prontos a largar tudo e a vir em nosso auxílio (e sim, isso é verdade!). Mas, reflicta, o que faz você pelos seus amigos?

 

16
Jan12

Mês Pessoal 5 em 2012

Eva Veigas

 

A expressão que melhor se adequa à vibração deste mês é, sem sombra de dúvida: “Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje.”

A palavra-chave do mês 4 é a Paciência.

Se não se distraiu no mês anterior (mês pessoal 3). Se não desperdiçou o seu tempo. Se não investiu apenas no seu próprio prazer, então, com certeza, viverá um excelente mês sob a vibração 4.

O 4 é o símbolo da matéria e pertence ao elemento Terra, portanto é uma energia associada a tudo o que diga respeito ao lado material da vida.

Assim haverá uma certa tendência para dar mais atenção ao corpo. Cuide dele com carinho e com paciência. Aprenda a nutri-lo de formas saudáveis. Passe mais tempo ao ar livre, em contacto com a Natureza.

Sob a vibração do 4 sentirá uma forte motivação para fazer o seu trabalho bem feito e com muita qualidade, sentindo-se incrivelmente satisfeito com o resultado. A necessidade de estabelecer um método, uma disciplina e uma rotina diárias vão fazer-se sentir. Isso fará com que se sinta mais seguro, mais organizado, mais realizado e mais próximo da estabilidade que tanto deseja, quer na sua vida pessoal quer na profissional.

Dará também uma maior importância à qualidade das suas relações pessoais, afectivas e profissionais.

A sua capacidade analítica estará em destaque durante este período sereno, especialmente se se dedicar a desenvolvê-la, integrá-la e aplicá-la ao seu dia-a-dia. Trata-se de uma ferramenta importante que vai ajudá-lo a conquistar a segurança que tanto deseja. Por outro lado, vai ainda ajudá-lo a tornar-se uma pessoa mais eficiente, mais empenhada e mais rigorosa. Neste momento você possui a capacidade de realizar na perfeição quaisquer tarefas que pretenda iniciar, desenvolver ou concluir, ainda que isso não lhe traga prestígio. O que lhe interessa neste momento é o seu brio pessoal e a atenção que dedica a todos os projectos em que se encontra envolvido. De facto, quando consegue terminar algo a que se propôs, com uma qualidade inigualável, experimenta um sentimento de felicidade e de prazer único. As suas qualidades, como a organização, a disciplina, o detalhe ou a perseverança, serão exacerbadas durante este período.

Haverá também uma tendência para querer fazer as coisas por sua conta e risco, até porque gosta de responder e responsabilizar-se pelos seus próprios actos. No entanto, será aconselhável saber ouvir os outros e aceitar a sua ajuda, ainda que o caminho mais compatível com a sua aprendizagem, neste momento, seja, de facto, mais individualista. Contudo, este caminho não tem que ser necessariamente pesado ou solitário. Use a sua lucidez e o seu bom senso e siga em frente. O Universo conspira consigo.

Entretanto, um dos grandes desafios deste mês prende-se com a paciência, ou melhor, com a falta dela! A paciência é uma virtude dizem os sábios. “Adopte o ritmo da natureza. O segredo dela é a paciência” Diz-nos Ralph Waldo Emerson.

Nos tempos que correm nada poderia ajudar-nos mais do que adoptar o ritmo da Natureza. Isso implicaria abrandar o nosso ritmo, como é evidente, e você dirá que isso é impossível. Mas reflicta um pouco e verá que não é tão impossível assim. Podemos sempre abrandar o nosso ritmo, sempre que quisermos. É aí que devemos fazer actuar a nossa magia interna. Somos nós que contribuímos, todos os dias, para acelerar o tempo. Comprometemo-nos com demasiadas coisas em simultâneo e depois queixamo-nos que não podemos estar em todo o lado.

Mesmo quando conseguimos estar presentes, na maioria dos casos, só estamos presentes fisicamente, porque a nossa mente está longe. Está a pensar que dentro de vinte minutos estará noutro local e assim sucessivamente. Então, evite comprometer-se sem ter a certeza que poderá estar totalmente presente. No fundo, não saboreamos nada porque não estamos efectivamente envolvidos, presentes, conscientes da nossa missão em cada local, cientes das palavras que proferimos, dos gestos que fazemos e da qualidade dos pensamentos que emitimos. Sei que é um enorme desafio. Mas quem não gosta de um bom desafio na vida?

O outro grande obstáculo da vibração 4 é o perfeccionismo. Trata-se de um desafio com o qual, uma grande parte de nós tem que aprender a lidar. A melhor desculpa que se dá, é a de que vivemos num mundo altamente competitivo, onde cada qual tem que dar o seu melhor, mesmo que para isso, tenha que prescindir dos seus verdadeiros princípios.

O facto é que, na realidade, o perfeccionismo tem uma causa mais profunda e, na maioria das vezes, esconde uma outra verdade a nosso respeito. O perfeccionista, na verdade, não se permite falhar. Falhar, para ele significa que não é suficientemente bom, correcto, confiável, lógico e isso ele não consegue admitir. O perfeccionista não se permite um momento de relaxamento, de prazer, lazer, porque isso faz dele uma pessoa muito correcta, muito trabalhadora e muito lutadora. Desse modo, o perfeccionista conquistará a confiança e a admiração dos seus superiores hierárquicos, dos seus colegas de trabalho, da sua família e dos seus amigos. O problema é que entretanto ele se esquece de viver.

Naturalmente, este perfeccionista, não costuma ter grande sucesso ao nível dos relacionamentos, sobretudo afectivos, pois aí reside uma das suas grandes dificuldades, e por isso tende a refugiar-se no trabalho, dando a impressão de estar sempre ocupado.

Como é óbvio, este padrão de comportamento acabará por trazer-lhe muitos dissabores, podendo transformá-lo numa pessoa amarga e sem gosto pela vida. É aconselhável, em primeiro lugar, que tome consciência deste seu lado sombra. Depois tome consciência que este é o momento para curá-lo. Se não conseguir fazê-lo sozinho, procure ajuda de um terapeuta especializado. A psicoterapia, por exemplo, tem mostrado bons resultados com as suas técnicas simples mas certeiras. Não feche a sua mente, nem se torne rígido. Experimente ser mais flexível. Seja como uma árvore. Observe as árvores. Elas têm as raízes bem seguras na terra, e o seu tronco é firme, no entanto os seus ramos mostram uma flexibilidade incrível quando agitados pelos fortes ventos. Ou torne-se como á agua – Flexível e Humilde. Flexível, porque toma sempre a forma do recipiente onde é lançada. Humilde, porque nasça onde nascer ela procura sempre o nível mais baixo. Nunca tenta chegar ao topo para se exibir. Ela procura sempre o nível mais baixo. Nunca tenta escalar uma montanha. Nem tocar o céu. O nível mais baixo é o lugar mais seguro, natural e pacífico.

Se conseguir trabalhar estes desafios e colocar em prática os seus objectivos, realizando as suas tarefas com amor e dedicação, estará a preparar um terreno fértil para viver o mês seguinte em pleno equilíbrio. Lembre-se de se organizar o melhor possível, pois a mudança está à espreita. Quanto mais organizado e receptivo estiver mais fluida será a transformação.

Sintonize-se com a energia do 4 e prepare-se para dar mais um passo na direcção do seu progresso espiritual e humano. Dê passos firmes e de cabeça erguida e não desista nunca das suas metas, dos seus sonhos e aspirações. Use o poder da sua magia pessoal e lembre-se, quando formula um desejo especial que nasce do centro do seu coração, com uma intenção pura e altruísta, os céus ficam em festa, os anjos sorriem e os deuses conspiram consigo!

Pág. 1/4

Mais sobre mim

Sessões

Numerologia, Tarot, Leitura de Oráculos, Massagem, Resgate e Cura Vibracional, Prática Xamânica, Cura Intuitiva.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

♥♥♥

Facebook

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D